41) Jesus anda por cima do mar 
 
Mateus 14:22-33 (Mc 6:45-52; Jo 6: 16-21) 
 
Explicação e Ensinamentos: 
Temos visto na história anterior como Jesus curou o povo e deu-lhe pão. Ele é o Bom Pastor, que apascenta o seu povo, e cuida dele no caminho conforme vamos ver na história de hoje (J o 21: 15¬16). 
 
1. O Senhor Orando: 
O Senhor, depois da tarefa do dia, ficou a sós no monte para oração. Quanto mais necessária será então para nós a conversa com Deus, o Pai, num lugar tranquilo! Que belo exemplo o nosso Senhor é também nessa parte! Ele orava antes e depois dos seus afazeres (Mc 1:35). Enquanto não estamos na dependência de Deus, Ele não nos guia, e não haverá êxito. O Senhor também intercede por outros. 
 
2. Os discípulos estão aflitos: 
Chegou a noite e o barco está em alto mar, açoitado pelas ondas, e o Senhor não está com eles. Mas a compaixão e a oração do Senhor acompanha os seus nessa jornada difícil. A seu tempo Ele também surge para socorrê-los. O Senhor os alcança sem usar um barco. Ele anda por cima do mar. Nada O impede nem O detém a socorrer o Seu povo, e levá-lo com segurança para casa. Ele é capaz de dividir o mar, como na passagem do Seu povo pelo Mar Vermelho, ante Faraó. Ele pode até secar o mar (Isaías 50:2). Mas pode também passar por cima do mar, como vemos na nossa história de hoje. Os discípulos se espantaram, quando viram Jesus vindo a eles. Eles veem no seu salvador um fantasma. Jesus, porém, logo os anima e tira-lhes o medo. Ele diz: "Tende bom ânimo! Sou Eu, não temais!" Quantas vezes também nós nos assustamos na nossa aflição, pensando que chegou a destruição. Mas o Senhor está bem próximo. Ele muda tudo para o nosso bem, e nos socorre. 
 
3. Pedro andando por cima da água, ao encontro do Senhor: 
Pedro, cheio de amor e confiança no seu salvador, clama: "Senhor, se és tu, manda-me ir ter contigo por cima das águas"! O Senhor lho permitiu. Olhando para o Senhor, Pedro consegue andar com segurança sobre as águas, assim como o próprio Senhor Jesus. Notemos que Jesus andava em virtude de sua onipotência, Pedro, porém, somente pela fé. Quanta força reside na fé e no amor ao Senhor! Quem O ama e confia n'Ele pode triunfar sobre as dificuldades da vida e sobre as tentações por parte do mundo, enquanto outros são vencidos (* FI 4: 13; 1 Jo 5:4-5). A água, porém, somente sustentou a Pedro enquanto ele olhava confiante para o Senhor. Quando ele tirou o seu olhar daquele Senhor e dominador sobre tempestade e mar, e olhou para o "vento forte", assustou-se e começou a afundar. 
Quanto ensino contém isso para nós! Nós nada podemos por força própria e nada que não proceda da comunhão com Ele (* Jo 15:5). Mesmo em momentos calmos, sem tempestade, a água não nos pode carregar sem o Senhor. Quando, porém, estamos com o Senhor, a água tem de nos carregar, mesmo na tempestade. D'Ele depende tudo. Nossa incapacidade e as circunstâncias não são impedimentos para Ele. Quão feliz Pedro deve ter estado ao andar sobre as águas, olhando para o Senhor! Deve ter sido como quando uma criança, no medo e na aflição, vê a mãe se aproximando, e pode se jogar nos braços dela. Como teria sido bonito se Pedro tivesse olhado para o Senhor até ao final! Mas foi lindo também que o Senhor não permitiu que aquele fraco Pedro afundasse. O Senhor pode até permitir que os Seus comecem a afundar, mas não deixa que se afoguem. 
 
4. Símbolo: 
Esta história é um belo quadro representativo do nosso tempo atual. O Senhor Jesus está agora "a sós no monte", isto é no céu, onde Ele ora constantemente por nós (Rm 8:34). O Seu povo está, como naquela vez os discípulos no barco, no mar tormentoso, no mar da vida, sim, num mundo hostil. O espírito do mundo está contra o povo de Deus. O Senhor, porém, está acima das ondas e das tempestades. Ele está acima de tudo, e há de vir para nos levar ao lar. 
 
[Com efeito, aqueles discípulos que o Senhor salvou do meio da tormenta, conduzindo-os ao porto desejado, lembram aquele remanescente dos judeus no futuro. A este remanescente (restante) o Espírito de Deus há de chamar de entre o povo dos judeus, espiritualmente morto. Isso acontecerá depois do arrebatamento da Igreja. O remanescente passará por grandes tribulações, quais não houve sobre a terra (Mt 24), mas o Senhor o livrará finalmente. 
Pedro, que deixou o barco e que com fé e amor foi ao encontro do Senhor Jesus, é uma figura da Igreja, que será unificada com o Senhor ainda antes que Israel seja salvo, ou seja, chega à terra firme, isto é, para a terra dos pais, e seja introduzido o glorioso reino milenário. 
Também os demais discípulos adoraram ao Senhor depois de chegarem à terra firme após a viagem tempestuosa. Assim também os judeus que houverem crido, hão de, após os duros juízos, louvar ao Senhor Jeová, sim, depois de haverem chegado à terra dos pais. Mais tarde também as nações adorarão com eles (* 2 Sm 23:4, SI 107:29-31; SI 72: 11-13)]. 
 
Devo contribuir?
Ao receber o Senhor Jesus Cristo como seu Salvador, uma das primeiras coisas que você irá aprender é que Deus é amor. Como resultado disto, você logo perceberá que o amor precisa de uma forma prática para se expressar. Você aprenderá que há uma relação entre amar e dar. Deus é um Deus que nos dá muitas coisas. Amar e dar estão intimamente ligados nas Escrituras. “O Filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim” (Gl 2:20), e “Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito” (Jo 3:16). Continuar Lendo...
Desenvolvido por Palavras do Evangelho.com