12) As Bodas em Caná
 
1. A carência na alegre festa: Jo 2.1-5. 
2. O maravilhoso socorro vs. 6,11 
 
Explicação e ensinamentos: 
Os cônjuges eram, sem dúvida, piedosos, pertencendo àqueles que esperavam pela consolação de Israel. O Senhor é convidado, vem e participa da alegria com os que estão alegres: "No lar feliz, onde Tu distribuis a alegria"... (*Rm 12,15). 
O Senhor foi convidado para ser hóspede, mas logo se evidenciou como sendo o socorro na necessidade, como a fonte do prazer, como o centro da festa e o Senhor da festa e da casa. A expressão "mulher" não era, de forma alguma, algo depreciativo (compare Jo 19,26; 20,13). Que ele amava sua mãe vemos ainda lá na cruz. 
A atitude do Senhor e a sua resposta mostravam que o seu feito e a sua glória como Filho de Deus sobrepujavam em muito a sua relação para com a mãe. Em dependência do seu Deus e Pai Ele esperava pelo momento e hora, que Deus tivesse' previsto para a manifestação da sua glória (v. 4) - Uma festa de casamento talvez seja a festa mais alegre, porém aqui acabou o vinho, a fonte e a figura da alegria. Mas, que bom que o Senhor Jesus estava presente. Ele é conselheiro e ajudador dos Seus. Ele quer dividir com eles sofrimentos e prazeres. Ele esteve com eles na tempestade no mar, e acalmou vento e ondas. Vemo-lo no deserto com eles, dando-lhes pão. Ele está com eles nas bodas e dá-lhes alegria, pois toda alegria terreal e humana se extingue logo. Ele se encontrava com os Seus junto ao sepulcro (Betânia) e chorou com eles, e trouxe o falecido de volta. 
Havia grande quantidade de água, para a purificação (uma jarra cerca de 100 litros). Se considerarmos a água como uma figura de tribulação, temos que entender que a alegria posterior era na mesma proporção correspondente. Também a nós, que somos dEle, o Senhor dá alegria eterna e glória eterna, após havermos suportado as provações (1 Pe 1,5-9 e *2 Co 4,17) "Espera, minha alma; espera no Senhor"! 
 
# [Nossa história das bodas de Caná e a purificação do templo, que aí é comentada, podem também ser localizadas do ponto de vista profético, em ligação com o capítulo 1 do mesmo evangelho:
De início, temos o testemunho de João Batista: Jo 1,19-38; mas a missão de João, propriamente dita (a anunciação de Jesus como cordeiro e Filho de Deus) é relatada nos versos 29-34. - A partir desse momento, o próprio Senhor Jesus é o centro e o ponto de reunião, como cordeiro de Deus e Filho de Deus. Esse trecho (v. 35-42) é uma prefiguração de como a Igreja é ajuntada, selecionada: é nossa época. E Pedro ("Cefas"), que significa pedra é, na figura, uma parte da Igreja (I Pe 2,4-5). Daí, a partir do verso 43 (depois da formação e complementação da Igreja) vem a chamada e a congregação do remanescente de Israel (Natanael debaixo da figueira) e as bodas (em Caná). Este é o "terceiro dia" precederam a esse fato os dois dias, do testamento de João (1 º dia) e da seleção da Igreja (2º dia). E depois disso inicia-se a tribulação e a seleção de Israel (3º dia). As bodas e o vinho são uma figura do reino do Senhor Jesus e da alegria sobre a Terra, quando Ele há de estar entre os Seus como Rei e Noivo. A esse reinado glorioso e a esse tempo alegre e feliz antecedem os dias da grande tribulação, tal qual não houve desde o princípio do mundo (Mat. 24); e estas profundas águas de tribulação serão convertidas no vinho da alegria. Será "O melhor vinho"; pois que tempos tão gloriosos e felizes o mundo não provou (compare Is 12; * 35,6.10; 54,7-14; Salmo 37,1; 98; 99; 100; Sf. 3,14-17). À aprovação de Israel e a ligação com o Senhor Jesus, segue a purificação do templo, o restabelecimento das festas e dos cultos em Israel. 
 
 
Neste tempo presente, o Senhor Jesus está aguardando com paciência. Ainda são válidas as Suas palavras, referentes ao Seu Reino e ao seu Domínio sobre a Terra e ao desenvolvimento da Sua Glória perante o mundo: 
"Ainda não é chegada a minha hora". Mas ela há de chegar. (Ap 19,11; 20,6; 21,9; Cl 3,4; 2. Ts 1,10) Aos crentes vale a recomendação: esperar e perseverar com Jesus (Ap 1,9; 3,10; 2 Ts 3,3)]. 
 
# As citações entre colchetes, podem ser deixados de lado por apresentarem um maior grau de dificuldade.
Devo contribuir?
Ao receber o Senhor Jesus Cristo como seu Salvador, uma das primeiras coisas que você irá aprender é que Deus é amor. Como resultado disto, você logo perceberá que o amor precisa de uma forma prática para se expressar. Você aprenderá que há uma relação entre amar e dar. Deus é um Deus que nos dá muitas coisas. Amar e dar estão intimamente ligados nas Escrituras. “O Filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim” (Gl 2:20), e “Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito” (Jo 3:16). Continuar Lendo...
Desenvolvido por Palavras do Evangelho.com