ABIGAIL
 
A MULHER ESPIRITUAL
 
Provavelmente a lição mais importante em 1 Samuel 25 é que, por mais que o Cristão supere a tentação numa determinada área da vida, um dia pode falhar ao surgir de novo a tentação anteriormente vencida.
 
Davi nos capítulos anteriores tinha sido tentado a revidar contra seus inimigos, mas conseguiu se controlar e manter sua comunhão com Deus.
 
Agora surgiu uma crise diferente e a reação de Davi nos mostra que vitórias do passado não garantem vitórias futuras, e não garantem que não vamos cair em uma nova situação.
 
Isto é verdade em todas as áreas da vida. Um homem de negócios ou um empregado de integridade e confiança pode partir para a desonestidade, especialmente estando em aperto financeiro. Um irmão conhecido por sua calma pode irar-se ao ser provocado. Ótimos relacionamentos dentro do lar hoje não garantem a continuação deles nos anos futuros. Estes são apenas alguns exemplos, e tendo em vista nossa inerente fraqueza não podemos deixar de tomar cuidado.
 
A atuação de Abigail no incidente que ocorreu neste capítulo dá a ela um lugar entre as mulheres mais impressionantes da Bíblia. Qualquer avaliação de seu valor deve levar em conta as difíceis circunstâncias da sua vida dentro do lar. Este capítulo
 
traz algumas lições práticas para nós, que vamos examinar.
 
Insuficiência
 
Davi havia sido um exemplo de graça e paciência ao recusar matar Saul quando teria sido tão fácil fazê-lo (1 Sam.24:3-22).Sua fé em Deus o sustentou e sua atitude de submissão ao rei estabelecido por Deus traz uma lição que é necessária até hoje nas igrejas. Entretanto, agora, sendo provocado, ele está pronto para levar quatrocentos homens para exterminar Nabal e todos os seus familiares. Se fosse permitido que ele executasse esse plano uma sombra escura teria caído sobre sua pessoa pelo resto de sua vida. Ele teria sido lembrado pela vingança injustificável e os homicídios desnecessários.
 
Bem podemos questionar: "Porque, Davi está fazendo isto? Como pôde mudar tanto?" Mas quem garante que algo semelhante não aconteça conosco? Muitas vezes os Cristãos perguntam a respeito dos outros: "O que é que houve?" "Como que isto pode ter acontecido?" Temos de nos lembrar de que a carne permanece no crente e pode nos trair a qualquer momento, independente das vitórias do passado. Que possamos aprender a lição da nossa insuficiência e que, mesmo com vitórias no passado, e as melhores intenções para o futuro, podemos sucumbir e falhar.
 
Duas passagens ajudam neste ponto: "Andai em Espírito e não cumprireis a concupiscência da carne" (Gá1.5:16) e "Revesti-vos do Senhor Jesus Cristo e nao tenhais cuidado da carne e,m suas concuptscencia.s (Rom,13:14). 
 
É somente na medida em que nos Julgamos a nós mesmos em Sua presença e nos servimos do poder do Espírito que seremos vitoriosos na caminhada. A oração e a Bíblia são indispensáveis na disciplina da vida diária.
 
Ingratidão
 
Nesta época, Davi continuava sendo vítima da inveja e do ódio de Saul. Ele tinha viajado para o sul para tentar garantir a sua segurança. Lá, ele e seus homens ajudaram muito os fazendeiros, pastores e os moradores em geral. Eles os protegiam dos ataques dos filisteus. Seria natural, então que homens ricos como Nabal sentissem certa gratidão para com Davi e seus homens. A época da tosa dos carneiros era a ocasião para a manifestação de generosidade nas comunidades e como Nabal tinha
 
uma dívida de gratidão para com Davi pela prosperidade dele, tinha motivos para prestar-lhe um favor. Mas não foi assim. "Quem é Davi?" ele pergunta. Continuando no mesmo tom de escárnio acrescentou calúnia, alegando que Davi estava nesta situação por causa de sua deslealdade a Saul! Em assim falar, Nabal estava se fazendo de "grande defensor da ordem pública", mesmo ele estando muito distante do Senhor.
 
Já ouvimos de algo assim?
 
Infelizmente é uma atitude que se repete em nossos dias. É triste ver em certas ocasiões a inrrefletida ingratidão de cristão para os que têm sido seus bem feitores. Quer sejam em coisas materiais ou espirituais, devemos ser pessoas caracterizadas por gratidão.
 
Um dos males da sociedade atual é a "ingratidão" (2Tim.3:2).Talvez os que mais sintam isto sejam anciãos que o Espírito Santo levantou, que são fiéis em seu labor espiritual e ensinamento da Palavra. Os tais muitas vezes são desprezados e caluniados. "Quem é ele para estar dizendo isto?" seria uma forma moderna da dura crítica de Nabal. Podemos ter certeza que Deus encara isto com seriedade e o cobrará de maneira solene. Um dos problemas que afligem os santos é o esquecimento (às vezes proposital).
 
Se nos recordássemos das bênçãos que alguns cristãos trouxeram para nós, abandonaríamos toda a grosseria que nutrimos contra eles por motivos fúteis.
 
Incompatibilidade
 
O casamento entre Nabal e Abigail deve estar entre os mais calamitosos em toda a história desta ordenança.
 
Normalmente leva tempo para confirmar a compatibilidade de duas pessoas que pretendem casar. Depois do casamento haverá ainda mais tempo para pôr esta compatibilidade à prova. A salvaguarda para ambos é a lealdade total ao Senhor Jesus Cristo. Onde isto predomina sérios  problemas serão evitados. Nabal tinha riqueza, mas faltava-lhe  qualquer vestígio de cavalheirismo  ou generosidade. Até os servos de Nabal percebiam seu caráter: um tal filho de Belial, que não há quem lhe possa falar" (v.17). Infelizmente ainda há alguns assim, até entre o povo de Deus. Faltam-lhes tanto as boas maneiras que nem se pode conversar com eles. 
 
Em contrapartida, Abigail manifesta um excelente caráter em todos os níveis. "Era a mulher de bom entendimento e formosa" (v.3). Nela se combinava bom senso e educação, inteligência e beleza. Lendo mais um pouco vemos que ela tinha um profundo conhecimento dos caminhos do Senhor. Ela soube se dirigir a Davi com humildade e reserva. Infelizmente quando casou com Nabal ganhou um marido ignorante e certamente as riquezas dele não aliviaram seus sofrimentos.
 
Tentamos imaginar de que maneira o casal conseguia conviver. No mundo  de hoje o casamento não teria durado muito, mas Abigail perseverou. Ela  fez o que era certo e quando Nabal morreu ela foi libertada por Deus.
 
Influência
 
O ponto alto da história é a maneira em que Abigail conseguiu aconselhar Davi e assim evitar uma calamidade na vida dele. Ela deixou um bom exemplo para os outros seguirem. Foi muito bom o conselho que deu a Davi quando o aconselhou a não dar ouvidos a um homem como Nabal. Nem valia a pena escutar! Nós também devemos lembrar que o peso duma crítica é determinado pelo peso de quem fala. Muitas críticas podem ser esquecidas sem prejuízo algum. 
 
Abigail agiu com urgência, honestidade e humildade. Certos problemas, na vida particular ou na igreja, poderiam ser resolvidos se encarados com certa urgência.
 
A honestidade é indispensável e quem quer ajudar em tempos difíceis precisará sempre de humildade. Abigail agiu na hora certa e com muita compreensão. Ela podia usar de franqueza sem criar inimizade.
 
Mas além de tudo isso, ela tinha uma mente espiritual bem desenvolvida.
 
Suas palavras desarmaram Davi por completo. Ela lembrou-lhe de suas bênçãos, seu bom nome, suas vitórias e acima de tudo o grande futuro que Deus tinha para ele. Ele não precisava vingar-se dos insultos de Nabal!
 
Alguém tem dito que ela "aplicou uma mão fria numa cabeça quente".
 
O resultado foi que Davi começou a encarar a situação do ponto de vista do grande futuro que Deus tinha para ele.Todos nós devemos aprender com isto, ainda que exija muita paciência.
 
Quantas vezes agimos só com "o presente" em vista, esquecendo-nos que vamos colher o que semeamos.
 
A cena termina com louvor para Deus e elogios para Abigail. Assim termina um episódio impressionante na vida de Davi com as lições com a Palavra de Deus trás para nós.
 
Por: J. Fleck - submetido por Thomas Matthews
 
Tradução e adaptaçao de um artigo publicado pela "Belieter's Magazine".
 

"Samuel... temia relatar a visão a Eli." 

1 Samuel 3.15

Deus dificilmente nos fala de forma extraordinária; ele usa os módulos mais simples os quais podem facilmente ser mal compreendidos; e então estamos questionando: "Será que é a voz de Deus mesmo?" Isaías disse: O Senhor me falava "tendo forte a mão sobre mim"; ou seja, pela pressão das circunstâncias. Nada perturba mais tocando nossa vida do que o próprio Deus. Será que discernimos a sua mão sobre nós, ou vemos tudo apenas como meras ocorrências?

Cultive esse hábito bendito de poder dizer: "Fala, Senhor"; e toda a sua vida se tornará uma verdadeira história de amor. Sempre que as circunstâncias o pressionarem, permita-se dizer: "Fala, Senhor"; e depois pare para prestar mais atenção. A correcção é mais do que um mecanismo de disciplina; ela visa obrigar-me a dizer: "Fala, Senhor". Tente também recordarse de alguma ocasião pela qual Deus lhe falou; será que já se esqueceu do que ele disse? Teria

sido em Luc.11.13, ou foi em 1 Tes.5.23? Quando prestamos atenção, nosso ouvido se aguça e, como Jesus, ouvimos Deus incessantemente.

Deverei contar ao meu "Eli" o que Deus me falou? É aí que entra o dilema da obediência.

Desobedecemos a Deus fazendo de providência divina muitas vezes. "Preciso proteger e cobrir por Eli"; "Eli" são as pessoas que melhor conhecemos. Deus não ordenou a Samuel que contasse a visão a Eli; ele teve que decidir isso por ele mesmo. O chamamento de Deus dirigido a si poderá vir a magoar o seu "Eli" preferido, mas, caso tente impedir o sofrimento de outrem por sua causa, isso virá a tornar-se um obstáculo à sua alma para com Deus. Se poupar outra pessoa de "amputar a mão direita" ou de "arrancar o olho direito", também você correrá sérios riscos.

Nunca peça o conselho de outros sobre algo que Deus quer que decida diante dele a sós. Se pedir conselho a outro que não a Ele, quase sempre ficará do lado de Satanás. "Não consultei carne e sangue", Gal.1:16.

Devo contribuir?
Ao receber o Senhor Jesus Cristo como seu Salvador, uma das primeiras coisas que você irá aprender é que Deus é amor. Como resultado disto, você logo perceberá que o amor precisa de uma forma prática para se expressar. Você aprenderá que há uma relação entre amar e dar. Deus é um Deus que nos dá muitas coisas. Amar e dar estão intimamente ligados nas Escrituras. “O Filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim” (Gl 2:20), e “Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito” (Jo 3:16). Continuar Lendo...
Array
Desenvolvido por Palavras do Evangelho.com