O EVANGELHO DE DEUS

JUSTIFICAÇÃO DOS PECADOS
 
1. QUAL O SIGNIFICADO DA PALAVRA "EVANGELHO"?
A palavra grega significa "boa notícia" (ou "boas-novas"). Na Grécia antiga, quando uma batalha era ganha, enviava-se um mensageiro à cidade. Ao se aproximar, ele exclamava esta palavra: "evangelion" - boas novas - a batalha foi vencida!
O homem não procurou por Deus, mas a boa notícia é que Deus está procurando o homem (Lucas 15)!
 
2. QUAL É O TEMA DO EVANGELHO?
Na Bíblia, o evangelho relata-nos como, quando o homem fracassou completamente, Deus providenciou-lhe um caminho para que pudesse chegar até Ele. Esse caminho é seu Filho, o Senhor Jesus, que era e é Deus, mas se fez homem e morreu na cruz pelos pecadores: "o evangelho de Deus [...] acerca de seu Filho"(Rm 1:1,3).
Esse é o único caminho que leva o ser humano a Deus.
 
3. POR QUE PAULO NÃO SE ENVERGONHAVA DO EVANGELHO (RM 1:16-17)?
Por vários motivos. Primeiro, porque o evangelho é "o poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê" (v. 16).
O evangelho tem o poder de levar as pessoas a Deus e transformá-Ias (desde que aceitem e creiam). Além disso, o evangelho é universal (para judeus e gentios). Por fim, a justiça de Deus é apresentada ("revelada")nesse evangelho.
 
4.O QUE É A JUSTIÇA DE DEUS?
Deus é justo quando, em sua ira, condena o pecador (Rm 1:17-18). (Deus é amor (1 João 4:16), mas Deus também é luz (1 João 1:5)).Deus foi justo quando ressuscitou Jesus e lhe deu um lugar de honra (Jo 16:10). É justo quando perdoa os pecados confessados (1 Jo 1:9), e é justo quando justifica aqueles que creem em Jesus (Rm 3:25; 4:5). Esta última situação é surpreendente à primeira vista; para saber por quê, leia a pergunta 12.
 
5. QUEM PRECISA DO EVANGELHO?
Todos. Paulo divide a humanidade em três grupos: os bárbaros (pessoas incultas), os pagãos civilizados e os judeus. Todo ser humano pertence a um desses três grupos. E o apóstolo demonstra (Rm 1:18-2:23) que cada grupo é culpado perante Deus. Sem o evangelho, pessoa alguma tem esperança.
 
6. EXISTE ALGUMA EXCEÇÃO?  E AS PESSOAS DE BEM, CULTAS, OU MESMO A NAÇÃO DE ISRAEL?
Não, não existe nenhuma exceção. Os bárbaros incultos são culpados (mesmo que jamais tenham ouvido o evangelho), porque poderiam ter conhecido o Criador tão somente observando a criação em torno deles, mas eles recusaram essa mensagem acerca  de Deus. As pessoas civilizadas fazem regras, mas não as guardam. E Israel tinha a lei, mas violou-a. "Não há um justo, nem um sequer" (Rm 3:10).
"Não há distinção, pois todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus" (Rm 3:22b-23).
 
7. NÃO HÁ SOLUÇÃO? COMO O HOMEM PODE CHEGAR A DEUS?
Há solução. Para entender exatamente qual é essa solução, tenha em mente que Deus é um juiz justo. E ele é onisciente. Deus tem conhecimento de cada um de nossos pecados.
Há duas opções somente. Se deve nos condenar ou nós temos de nos tornar "justos" perante Ele. Para entender como isso pode ocorrer, por favor, leia as perguntas seguintes.
 
8. O QUE SIGNIFICA SER "JUSTIFICADO" (RM 3:20)?
Justificado significa"declarado justo" .Isso é até melhor que ser inocente. Se somos justificados, podemos indicar Cristo à direita de Deus e dizer: "Eu pertenço a Ele, por isso sou justo" .Adão quando ainda inocente não podia fazer isso. Portanto, se alguém quisesse nos condenar como culpados, teria primeiro de condenar a Cristo como injusto - e isso é impossível.
 
9.O QUE QUER DIZER. "OBRAS DA LEI" (RM 3:20)?
Obras da lei não são apenas as obras que visam a guardar a lei de Moisés - a lei dada a Israel no Sinai-, mas obras que visam a guardar qualquer tipo de lei (literalmente: "obras de lei").
Refere-se a um padrão de ser justo ou reto diante de Deus. Um padrão que nós poderíamos tentar alcançar por meio de nossos próprios esforços, mas nada do que venhamos a fazer jamais terá esse efeito.
 
10. ENTÃO, COMO ALGUÉM PODE SER JUSTIFICADO DIANTE DE DEUS (RM 3:22-25)?
No que diz respeito a nós,somente pela fé. No que diz respeito a Deus, somente pela graça. "Pela fé" significa que nós confiamos em  Cristo; cremos que Se pagou o preço por nossos pecados e que isso é suficiente. "Pela graça" significa que nós podemos apenas aceitar a justificação não podemos fazer na da nem acrescentar nada ao que Deus fez. Porém somos também justificados pelo sangue. Isso significa que o Senhor Jesus teve de morrer (como nosso substituto).
 
11. OQUE QUER DIZER: "DEUS [o] PROPÔS PARA PROPICIAÇÃO PELA FÉ NO SEU SANGUE" (RM 3:25)?
Apalavra"propiciação'' significa satisfação quanto ao pecado, de forma que aquele contra quem se pecou possa ser favorável ao pecador. Paulo emprega essa palavra aqui referindo-se ao propiciatório ou a tampa - da arca da aliança no tabernáculo sendo aspergido com sangue (Lv 16).As tábuas da lei estavam na arca (declarando que o homem era culpado),e os querubins olhavam para baixo sobre a tampa de ouro da arca,que falava da glória imaculada de Deus (e assim tinham de reconhecer que Deus tinha de condenar o homem).
Mas, então, a tampa era aspergida pelo sumo sacerdote com o sangue de uma vítima inocente derramado em favor do culpado povo de Israel.
Desse modo, Deus podia poupar esse povo e continuar habitando entre os israelitas.Isso é uma prefiguração do que Cristo fez na cruz: Ele deu sua vida, derramando Seu sangue, para que Deus não tivesse de nos julgar. Fomos "cobertos": Cristo deu Sua vida por nós".
 
12. COMO DEUS PODE JUSTIFICAR UM PECADOR E AO MESMO TEMPO SER JUSTO?
Porque Cristo tornou-se o substituto. Se alguém paga minha dívida, o que o juiz pode então fazer? Nada! Alguém pagou em meu favor.
Homem nenhum poderia ter inventado essa maravilhosa mensagem. Deus perdoa(só isso já é maravilhoso),mas não "faz vista grossa"para os pecados.Se perdoa depois de ter julgado e condenado o pecado. O problema foi resolvido,mas de forma justa. A palavra "expiação", ou cobertura, empregada no Antigo Testamento é intimamente relacionada com a palavra empregada para a tampa (cobertura) da arca. O sumo sacerdote aspergia a tampa da arca com sangue uma vez por ano, no Dia da Expiação.
 
13. E OS SANTOS DO ANTIGO TESTAMENTO?  COMO ELES FORAM JUSTIFICADOS (CAP. 4)?
Do mesmo modo que os crentes do Novo Testamento: pela fé. Abraão creu em Deus e isso lhe foi imputado por justiça. Deus podia fazer isso com retidão porque olhava para o sacrifício de Cristo (futuro nessa época) - Romanos 3:25-26.
 
14. MAS TIAGO NÃO AFIRMA QUE ABRAÃO FOI JUSTIFICADO PELAS OBRAS?
Bem, sim. Mas lago está falando acerca da justificação diante dos homens (obras como prova da fé, Tiago 2:21). Como os homens poderiam saber que Abraão era justo? Somente por suas obras. Quando foi oferecer Isaque,deu a prova de fé. Mas Deus sabia muito  antes que Abraão cria e lhe creditou isso como justiça(Gn 15:67).
 
15. QUAIS AS CONSEQUÊNCIAS DA JUSTIFICAÇÃO (RM 5:1)?
Temos paz com Deus. Isso é esplêndido. Não há mais problema algum entre Deus e nós! Nada que nos separe. Os incrédulos estão em inimizade com Deus e precisam reconciliar-se com Ele. Para o crente há paz (não apenas uma promessa de que terá paz com Deus, mas que ele já tem paz agora!). E há muito mais. Leia Romanos 5: 1-11 para conhecer as maravilhosas consequências da justificação e da paz com Deus.
 
16. POR QUE CRISTO TEVE DE SER RESSUSCITADO PARA NOSSA JUSTIFICAÇÃO?
A obra de Cristo se completou quando Ele disse: "Está consumado!" e entregou o espírito (João 19:30).Nada a não ser a ressurreição demonstraria que Sua morte tinha sido suficiente para Deus! A ressurreição de Cristo é prova para todos de que Deus está plenamente satisfeito com Ele, e que aceitou o Seu sacrifício em nosso favor (Rm 4:25).
 
LIVRAMENTO DO PODER DO PECADO
 
Quando as pessoas chegam a Cristo, confessam seus pecados e creem que Sua obra na cruz do Calvário é suficiente para elas, ficam cheias de alegria.
Descobrem que têm "paz com Deus" (Rm 5: 1). Muitas dessas pessoas saem a contar para todo o mundo o que encontraram e como estão felizes. E então, de repente, acontece. Algo dá errado; elas têm um mau pensamento ou diz em uma palavra feia,ou coisa pior. E agora? Elas começam a se perguntar: Como pude fazer isso? Eu tinha confessado todos os meus pecados e recebi Cristo como meu Salvador, mas agora fiz isso de novo... Então começam a surgir dúvidas. 
Minha conversão foi verdadeira?
Será que me arrependi o suficiente?Será que estou salvo de verdade? As perguntas e respostas a seguir foram elaboradas para ajudar alguém que esteja com esse dilema.
 
17. QUAL A DIFERENÇA ENTRE PECADOS E O PECADO?
Pense numa árvore com seus frutos. Os pecados ., maus pensamentos, palavras e ações - são como os frutos produzidos por uma árvore. O pecado é a própria árvore, a fonte que produz os atos pecaminosos, resumindo numa palavra: a natureza má do homem.
 
18. QUAL A SOLUÇÃO DIVINA PARA OS PECADOS E PARA O PECADO?
OS pecados são perdoados. Se você crê em Cristo, está justificado dos seus pecados. Mas o pecado como tal jamais pode ser perdoado. Só pode ser condenado. E é isso que Deus fez na cruz (Rm 8:3). Maus pensamentos, palavras e ações podem ser perdoados, mas a natureza má deve ser condenada.
 
19. O CRENTE AINDA ESTÁ SOB O PODER DO PECADO?
Não. Pode acontecer do crente pecar (1 João 2: 1), sim, mas ele não precisa.
Na verdade, ele não deve pecar.
Para ver como o crente é liberto do poder do pecado, atente para as perguntas e respostas a seguir.
 
20. QUAIS SÃO AS DUAS FAMÍLIAS APRESENTADAS EM ROMANOS 5?
Naturalmente todo ser humano é filho ou filha de Adão. Mas, diferentemente, aqueles que recebem Cristo e creem nele passam a pertencer à família (ou raça) de Cristo. Veremos mais adiante que passamos por uma morte que encerra nossa ligação com Adão. Quando esta acontece, Cristo passa a ser nossa nova cabeça.
 
21. E QUAL A CONSEQUÊNCIA DE PERTENCER À FAMÍLIA DE ADÃO?
Todo filho de Adão herda uma coisa dele: o pecado. A consequência do pecado é a morte. O próprio fato de que todos morreram até agora é prova de que todo filho de Adão é pecador.
 
22. E QUAL A CONSEQUÊNCIA DE PERTENCER À FAMÍLIA DE CRISTO?
A graça de Deus abundou sobre muitos e trouxe justificação (Rm 5: 15-19). Colocando-se em outros termos: todo membro da família de Cristo é justificado.
 
23. SE EU ME TORNEI PARTE DA FAMÍLIA DE CRISTO, E TUDO ISSO É PELA GRAÇA, TENHO AUTORIZAÇÃO PARA CONTINUAR PECANDO?
Não. A graça jamais é desculpa para o pecado (veja também a pergunta seguinte).
 
24. POR QUE NÃO?
Porque" moremos para o pecado (veja as perguntas sobre Romanos 6). Cristo morreu na cruz, e nosso batismo nos "identifica" com Ele nisso. Ele morreu e nós morremos também (no que diz respeito a nosso velho homem -o velho ser-, o "filho de Adão").
 
25. POR QUE, ENTÃO, ÀS VEZES EU AINDA COMETO PECADOS? AFINAL, NÃO ESTOU MORTO COM CRISTO?
O velho ser morreu com Cristo, mas nós aprendemos, muitas vezes pela experiência  dolorosa, que ainda temos em nós a carne, ou a natureza pecaminosa. Isso significa, portanto, que ainda é possível pecarmos. Para saber mais sobre isso, veja as perguntas sobre Romanos 7.
 
26. QUE QUER DIZER "O NOSSO VELHO HOMEM FOI COM ELE CRUCIFICADO" (RM 6:6)?
Meu "velho homem" é a minha pessoa antes da conversão, como filho de Adão e membro da família de Adão (Rm 5: 12 ss.).
Antes da conversão, eu era responsável e culpado perante Deus. Porém, esse velho homem - vou chamá-lo pelo meu nome: Michael foi crucificado. Desse modo, nós crentes não estamos mais "na carne (de Adão)", mas "no Espírito" (Rm 8: 8-9). O velho homem não existe mais perante Deus.
Podemos sentir isso? Não, mas é verdade mesmo assim - porque Deus diz que é. Continuar no pecado seria um insulto á graça e ao próprio Senhor Jesus Cristo, que sofreu por nossos pecados {se você recebeu Cristo e sabe o enorme preço que Ele pagou (o próprio sangue derramado), vai querer agradá-Lo, não insultá-Lo, continuando no pecado}.
 
27. QUE QUER DIZER "PARA QUE O CORPO DO PECADO SEJA DESFEITO, A FIM DE NÃO SERVIRMOS MAIS AO PECADO" (RM  6:6b)?
O "corpo do pecado" é todo o mecanismo, ou sistema, do pecado em nós antes de nossa redenção. O  crente (não deve, mas) pode ainda cometer pecados, porque a carne (velha natureza) ainda habita nele, mas: o pecado já não é mais o poder predominante sobre ele.
 
28. O PROBLEMA DE NOSSOS PECADOS É RESOLVIDO PELA MORTE DE CRISTO POR NÓS. MAS COMO SE RESOLVE O PROBLEMA DO PECADO E DE SEU PODER?
Não pela morte de Cristo por nós, mas pela nossa morte com Cristo. Compare isso com a relação entre um escravo e seu dono. O dono faz exigências do servo, mas somente enquanto o servo está vivo. Depois que o servo morre, seu dono nada mais pode fazer. O mesmo ocorre conosco. Assim que morremos com Cristo, o pecado não tem mais reivindicação nem autoridade sobre nós.
 
29. QUAL O SIGNIFICADO DO BATISMO?
O batismo implica numa identificação com Cristo. Do mesmo modo que Cristo morreu e foi sepultado, também nós fomos batizados (Rm 6: 2-3). O batismo também fala de outras coisas, por exemplo, que a pessoa batizada é discípulo de Cristo (Jo:1-2 e 1 Co 10:2), etc., mas a questão aqui, de Romanos 6, é que nós nos identificamos com Cristo na Sua morte, ou seja,nós morremos com Ele.
Por favor, preste atenção: ser batizado não é um passaporte para o céu!
 
30. COMO POSSO SABER QUE MORRI COM CRISTO? POSSO SENTIR ISSO?
Não. Isso não é algo que se possa sentir. Se você recebeu Cristo pela fé, sua morte com Cristo é um fato e você pode sabê-lo porque Deus lhe diz isso em sua Palavra.
 
31. SE EU MORRI COM CRISTO, DE QUE FORMA ISSO INFLUI NA MINHA RELAÇÃO COM O PECADO?
O pecado (o princípio do mal, de oposição contra Deus) não tem mais reivindicações nem direitos sobre nós. É como o homem que pagou uma grande quantia a fim de não ir para a guerra eque outro fosse no lugar dele. Quando o governo escreveu-lhe dizendo: "Você tem de ir para a guerra agora, seu substituto morreu", ele respondeu, dizendo: "Infelizmente, eu não posso ir para a guerra, estou morto". Esse homem compreendia que tinha o direito de considerar-se morto porque seu substituto havia morrido.
 
32. SE EU MORRI COM CRISTO, QUE SIGNIFICADO PRÁTICO ISSO TEM EM MINHA VIDA DIÁRIA?
Quando o pecado quer exercer direitos sobre nós, nós temos direito (e obrigação) de nos considerar mortos (veja a pergunta anterior).
 
33. O CRENTE, ENTÃO, DEVE GUARDAR A LEI (OU PELO MENOS ALGUMAS DELAS) PARA TER MAIS CERTEZA DE NÃO PECAR?
Não. Guardar a lei, ou mesmo certas regras, não é o caminho. É um princípio carnal (porque se baseia na capacidade natural do homem). Além disso, temos de reconhecer (paraser sinceros) que assim que tentamos fazer isso, falhamos. Paulo explica que estamos mortos para a lei (damesma forma que estamos mortos para o pecado - ver Romanos 7: 1-6).
Nota: Além disso, a lei de Moisés foi dada a um povo somente (Israel).
 
34. COMO, ENTÃO, O CRENTE PODE VIVER DE MODO QUE AGRADE A DEUS?
Não guardando a lei, mas se ocupando de Cristo. Isso vai fazer com que fiquemos cada vez mais parecidos com Ele e vivamos nossa vida cotidiana para Ele.Se permitirmos que o Espírito Santo nos ocupe de Cristo, então o Espírito também nos dará poder para viver de um modo que agrada a Deus (veja as perguntas sobre Romanos 8:1-4).
 
35. QUEM É O "EU" DE ROMANOS 7 (VERSÍCULOS 7-25)? SERIA PAULO?
Não pode ser Paulo, porque ele diz: "Outrora eu vivia sem lei..." (v.9).Isso não se aplica a Paulo, que foi criado como rígido fariseu (Fp 3:5).
 
36. QUEM É O "EU" DE ROMANOS 7? É UM CRENTE NORMAL?
Não, não pode ser um crente normal. A afirmação: "Eu sou carnal, vendido como escravo ao pecado" (v.14) dificilmente corres-penderia à descrição de um crente normal.
 
37. QUEM É O "EU" DE ROMANOS 7? É UM NÃO-CRENTE?
Não, não pode ser um não crente.
A pessoa de Romanos 7 já tem a nova natureza; ela deseja fazer o bem (v.19) e diz: "Pois segundo o homem interior, tenho prazer na lei de Deus (v. 22). Evidentemente, esses desejos são da nova natureza, que Deus concede por ocasião do novo nascimento (Jo 3:3).
 
38. ENTÃO, QUEM É O "EU" DE ROMANOS 7?
É uma pessoa que nasceu de novo (veja a pergunta anterior), mas não é espiritual, e sim carnal, alguém que está confiando em sua própria força, tentando guardar a lei,tentando fazer o bem (por sua própria força)e,portanto,constantemente sem sucesso nas tentativas e extremamente infeliz. Essa pessoa não sabe que a carne mais "espiritual" e na melhor de suas intenções ainda é carne.
Isso não é o estado normal de um cristão. Entretanto, muitos passam por ele em algum estágio da vida até aprender a confiar não somente em Cristo, mas também na Sua obra como suficiente para eles. Em outras palavras, até serem "libertados".
 
39. QUAL O PROBLEMA DESSA PESSOA?
Várias e várias vezes a pessoa descobre-se num grande dilema. É a batalha entre sua nova natureza e a velha. Deseja fazer coisas boas, mas acaba não as fazendo. Não deseja fazer coisas ruins, mas tropeça várias vezes fazendo-as de novo.
 
40. O QUE ESSA PESSOA DESCOBRE?
Pelo menos três fatos.
Primeiro, que ela ainda tem a natureza velha (caracterizada pelo pecado).
Segundo,que bem nenhum habita na sua pessoa.
Terceiro,que ela não pode libertar-se por si mesma, mas precisa de alguém para isso.
 
41. O"eu" DE ROMANOS 7 AGORA DESCOBRIU QUE NÃO PODE AJUDAR-SE A SI MESMO. DE ONDE VEM A AJUDA, ENTÃO?
No final do capítulo, ele pára de procurar ajuda em si mesmo e começa a procurá-la fora. Não se trata de" como vou me libertar?", mas de "quem vai me libertar?" (v. 24).
 
42. A QUE CONCLUSÃO SE CHEGA NO CAPÍTULO 7?
A conclusão desse capítulo tem dois aspectos. Primeiro, a pessoa aprendeu pela experiência que não pode fazer nada de bom dela mesma; não há bem nenhum na carne (v.18).Segundo, ela descobre que existe mas duas naturezas: a velha (e má) e também a nova. Essas duas são opostas entre si. Em seguida,ela agradece a Deus (v. 25) porque entende: somente Deus pode livrá-la. A condução plena é alcançada no capítulo 8:1-11 (veja a próxima pergunta).
 
43. O CRENTE PODE ALGUMA VEZ SER CONDENADO POR DEUS?
Não, porque o crente agora está "em Cristo". E, não se esqueça, Cristo está glorificado à direita de Deus. Portanto, se alguém quisesse condenar o crente, teria de condenar a Cristo - o que é impossível!
 
44. O QUE QUER DIZER A "LEI DO ESPÍRITO DE VIDA" E A "LEI DO PECADO E DA MORTE"?
A palavra "lei" também pode significar "princípio". Uma pedra cai no chão. Isso é uma "lei" da natureza. A "lei" do Espírito também é um princípio, isto é, o Espírito nos guia e nos ocupa de Cristo. A lei do pecado também é um princípio, isto é, oposição a Deus que leva à morte. Uma vez que o crente dá crédito a Cristo, crê que Sua obra é suficiente e não há condenação para os que estão em Cristo Jesus {isto é, uma vez que o crente creu no evangelho de sua salvação (Ef 1:13)}, o Espírito de Deus está livre para operar nele.
 
45. QUAL É A SOLUÇÃO DE DEUS PARA O PECADO ( O PRINCÍPIO DO MAL EM NÓS)?
Não perdoá-Io (somente pecados -pensamentos,  palavras e atos- são perdoados), mas condená-Jo. Não há nenhum outro meio coerente com a santidade e a justiça de Deus. A lei não foi capaz de realizar nada contra o pecado, porque estava "enfraquecida na carne", isto é, o homem não era capaz de guardá-la.
 
46. TUDO ISSO QUER DIZER, ENTÃO, QUE O CRENTE É LIVRE PARA FAZER COISAS COMO, ROUBAR E MATAR, POR EXEMPLO. PRÁTICAS QUE SÃO PROIBIDAS PELA LEI? SE NÃO FOR ESTE O CASO, SE O CRENTE NÃO É LIVRE PARA TAIS COISAS, PORQUÊ?
Não, não é livre. As justas exigências da lei são cumpridas no crente. A razão disso, porém, não se deve a suas tentativas de guardar a lei por si mesmo, mas no fato dele andar pelo Espírito. 
 
47. COMO ISSO FUNCIONA NA PRÁTICA - ANDAR NO ESPÍRITO? 
Bem, o Espírito ocupa o crente de Cristo (Jo 14 e 16). Isso enche o crente de alegria e de desejo de ser semelhante a Cristo. Podemos dizer que à medida que nos tomamos cada vez mais parecidos com Ele, as exigências da lei se cumprem em nós "automaticamente", como consequência natural, e muito mais profundamente.
Vamos dar um exemplo. A lei diz: "Não furtarás". O crente não está debaixo da lei, mas o Espírito o ocupa de Cristo. Ele era rico, mas se fez pobre e disse que é mais abençoado dar que receber. À medida que o crente aprende a amar a Cristo e se toma mais parecido com Ele, deseja ajudar os outros. É apenas uma consequência elementar do amor a Cristo, como ele poderia roubar os outros?
 
48. MAS O CRENTE SEMPRE ANDA NO ESPÍRITO?
Seria normal se fosse assim, mas, infelizmente, nem sempre é o caso, como sabemos por experiência. Em geral, o crente é conduzido pelo Espírito, mas é possível que ele" entristeça" o Espírito. Isso ocorre toda vez que o crente peca por não estar ocupado de Cristo, vivendo sob o olhar dele e em comunhão com Ele.
 
49. COMO PODEMOS TER CERTEZA DE QUE ESTAMOS ANDANDO NO ESPÍRITO?
Simplesmente abandonando tudo que entristeça o Espírito. Se abrigamos maus pensamentos, precisamos confessá-I os ao Pai. Se dissermos uma palavra ruim, devemos fazer o mesmo. Não devemos esperar para fazer isso, mas prestar logo contas a Deus. Então o Espírito ficará livre novamente para nos ocupar de Cristo e nos guiar (8: 14).
Desse modo, "mortificaremos as obras do corpo" (8: 13) e andaremos no Espírito.
 
50. O QUE DEUS FAZ PARA NOS AJUDAR A ANDAR NO ESPÍRITO?
Deus nos enviou Seu Espírito para habitar em nós (Rm 8: 10- 11). O Espírito não somente habita no crente (veja também 1 Co 6:19), mas também o ocupa de Cristo (Jo 16:14) e lhe dá a consciência de que Deus é seu Pai (Rm 8: 15-16). Isto é salvação completa: justificação dos pecados, libertação do poder do pecado e o conhecimento de Deus como Pai amoroso por intermédio do Espírito Santo!
 
51. SE NOSSA SALVAÇÃO É COMPLETA, POR QUE MUITOS CRENTES AINDA SOFREM DOENÇAS NO CORPO E MORREM? O CORPO NÃO ESTÁ INCLUÍDO EM NOSSA SALVAÇÃO?
Os crentes sofrem porque ainda fazem parte da criação.
Paulo explica isso nos versículos seguintes (Rm 8: 18-29). O pecado entrou no mundo por meio do homem e, por consequência, toda a criação "geme". Esse problema, porém, será solucionado um dia. Nós aguardamos a "redenção de nosso corpo" (v. 23). Quando Cristo voltar, receberemos corpos novos. Enquanto isso, temos essa "esperança" e o Espírito que nos ajuda em nossa fraqueza. Pense num exemplo dos esportes. Se um dos dois times que chegou ao final do campeonato não aparece para a partida, o outro time ganha - mas sem glória. São jogadores campeões, mas não campeões com glória.Deus deseja gloriar-se na presença do mal por nosso intermédio, isto é, quer que sejamos semelhantes ao Senhor Jesus neste mundo de pecado, no poder do Espírito Santo.
 
52. DEUS PREDESTINOU ALGUÉM PARA A CONDENAÇÃO?
Não. A Bíblia jamais diz isso. Deus quer que todos os homens sejam salvos (Tito 2: 11 e 1 Tm 2:4). Além disso, Ele, "manda agora que todos os homens em todos os lugares se arrependam" (Atos 17:30).
Em Romanos 9: 18, lemos que Deus endurece a quem Ele quer {mas somente depois que o homem endureceu-se por si mesmo, como mostra o exemplo do faraó (v.14-17)} .Romanos 9:22-23 declara com muito cuidado que Deus prepara os vasos de misericórdia para a glória, mas os vasos da ira são preparados para a condenação (não que Ele já tenha feito isso de antemão). Leia também Romanos 2: 5. O maravilhoso evangelho da salvação é aberto a todos!
 
RESUMO
Existem três grandes problemas que flagelam a humanidade:
 
  1. pecados (ações pecaminosas),
  2. o pecado (o princípio do mal, a fonte das más ações), e
  3. os sofrimentos físico, mental e material.
 
  • O primeiro problema é resolvido pela morte de Cristo por nós. 
  • O segundo, se resolve por nossa morte com Cristo. 
  • O terceiro problema se resolverá quando Cristo voltar. 
Em todos os casos, porém, devemos tudo a Cristo!
 
Por Michael Hardt

 

Devo contribuir?
Ao receber o Senhor Jesus Cristo como seu Salvador, uma das primeiras coisas que você irá aprender é que Deus é amor. Como resultado disto, você logo perceberá que o amor precisa de uma forma prática para se expressar. Você aprenderá que há uma relação entre amar e dar. Deus é um Deus que nos dá muitas coisas. Amar e dar estão intimamente ligados nas Escrituras. “O Filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim” (Gl 2:20), e “Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito” (Jo 3:16). Continuar Lendo...
Desenvolvido por Palavras do Evangelho.com