17) A pesca (maravilhosa) de Pedro 
 
1. A pregação, de dentro do barco: Lc 5,1-4. 
2. A pesca maravilhosa: v. 5-7. 
3. O resultado dessa grande pesca: v. 8-11. 
 
Explicação e ensinamentos: 
Descrição sobre o lago de Genesaré: 4 léguas de comprimento, 2 de largura. Água clara, muito peixe, céu azul, ao redor uma cadeia de montanhas, jardins, florestas, searas, vinhedos, uma grinalda de cidades (Corazim, Betsaida, Magdala, Tibérias, Cafarnaum), grande estrada mercante de Damasco, costeando o lago e indo a Cafarnaum, muito tráfego; diversos povos: judeus, romanos (soldados, guarnições), gregos etc. 
 
Aqui o Senhor tem um grande campo de ação. Embora os discípulos antes disso já seguissem ao Senhor (bodas de Caná), é  aqui que Ele lhes dá uma missão. Primeiramente, o Senhor mostra como tudo Lhe está sujeito, e que ele também faz grandes coisas onde o homem nada pode fazer (*Salmo 107,33-35). Uma pesca em pleno dia, em alto mar, não é nada normal; mas para o Senhor exatamente isso é favorável, para que se manifeste o seu poder e a sua glória. 
 
Pedro, crendo na palavra do Senhor, desconsidera todas as dificuldades. Na presença do criador e Senhor sobre terra e mar, ele reconhece sua própria incapacidade e pecaminosidade (* Isaías 6,5: Jó 42,5-6). Uma humilde confissão, sim, uma auto-¬humilhação o torna apto para receber a graça, e, então, Lhe servir (sendo pescador de homens). A prova da fé: de um lado barcos repletos de peixes, do outro lado a chamada do Senhor, pedindo que Lhe siga (Mt 4,22; 9,9), o que condicionava separar-se de todos os bens terreais, e impunha uma autonegação (* Mt 16,24). 
 

Desenvolvido por Palavras do Evangelho.com