35) A PARÁBOLA DA REDE
 
Mateus 13: 47-50
 
Explicação e ensinamentos: 
Conduza a imaginação das crianças para a praia do mar, onde se apanham e se escolhem peixes. A parábola nos fornece uma figura do "Reino dos Céus"; tal qual será nos últimos dias e como já é hoje. Os peixes bons (os verdadeiros filhos do Reino, os crentes) são separados dos "ruins" (estes são "os maus"). Por que não o contrário? Por que não se separam os "ruins" dos "bons"? Separar os maus do meio dos filhos de Deus, para a eterna condenação, é serviço dos anjos na consumação dos séculos (v.49), e não tarefa dos homens, nos dias de hoje (os pescadores). Os "cestos" certamente são as Igrejas locais dos crentes. Assim vemos que, por meio de evangelistas, de pastores e de mestres, o Senhor Jesus está ocupado em tirar os seus de dentro do Mundo\ e quer mostrar-lhes como devem, em conjunto, servir-Lhe e adorá-Lo (2 Tm 2: 19-22; 3:5; *2 Co 6: 14¬18; Judas 20-22). Os anjos, portanto, se ocupam com os maus. Os servos do Senhor, porém, com os justos. 
É notável que a sentença sobre os maus (v.49-50) não é a explicação da parábola. Estes versos somente mostram o que há de acontecer com aqueles que neste tempo presente, da Graça, não creram no evangelho (2 Ts 1: 7-8). 
 
Doação
Desenvolvido por Palavras do Evangelho.com