A OBRA DE DEUS INTERIORMENTE AO "REINO DOS CÉUS" 
 
Conforme foi visto, temos em Mt 13 sete parábolas, sobre o "Reino dos Céus". [O número "sete" representa uma unidade sob seus diversos aspectos (compare: sete igrejas em Ap 2 e 3; sete selos, sete espíritos em Ap 5 e muitas outras comparações)]. Essas sete parábolas nos mostram todo o desenvolvimento do "Reino dos Céus", desde a fundação da Igreja, quando o Senhor confiou o trabalho às mãos dos homens, até à sua consumação. A primeira das sete parábolas, "os diferentes solos", representa a introdução; ela nos mostra como os corações se comportam ante a Palavra de Deus. Então seguem dois grupos de três parábolas cada. 
As primeiras três já vimos: 
a) Joio; 
b) Grão de mostarda; 
c) Fermento. 
Essas três mostram a decadência ou a corrupção do reino, sob as mãos dos homens. Nas três parábolas seguintes o Senhor nos mostra como Deus tem a sua obra no "Reino dos Céus", e que há coisas ali que Lhe continuam sendo preciosas, ainda que o Reino dos Céus tenha sido exterior e interiormente corrompido através da astúcia do inimigo e da infidelidade dos homens. O Senhor, por este motivo, não fala essas parábolas perante a multidão, mas somente perante os seus discípulos (como o fez quando explicou a primeira - v. 36). 
 
34) A Parábola do Tesouro no campo e da Pérola preciosa. 
 
1. Do tesouro no campo: Mateus 13: 44. 
2. Da pérola preciosa: v. 45-46. 
 
Explicação e ensinamentos: 
Um tesouro geralmente é uma coisa preciosa, pela qual o coração se afeiçoa (Mt 6:21). As vezes o tesouro é alguma herança, que aos olhos dos outros não tem valor, mas que para o dono vale muito. Por que? Talvez a pessoa estime aquela herança por causa daquele de quem a herdou. Nesta parábola o campo (que é o mundo - compare v.38) foi comprado devido ao tesouro nele contido. Esse tesouro é a Igreja: os seus, que estão no Mundo (Jo 13: 1; *17:6). A julgar-se pelo preço que foi pago (o sangue de Jesus), vemos quanto valor este tesouro tem para o Seu coração (Atos 20:28). Não se trata aqui da beleza da Igreja, mas do valor que ela tem para o coração do Senhor. 
A seguir, na parábola da "Pérola Preciosa''', esse tesouro nos é discriminado mais nitidamente. O título lembra a maravilhosa beleza da Igreja. Quem é o negociante? É o Senhor Jesus. Não é o homem, como muitos pensam. O homem é corrompido e endividado. Ele nada pode comprar e pagar. Também não é o homem que procura a sua salvação, nem ao Senhor, mas o Senhor procura a Ele (comparar Gn 3:8 e 9 e Lc 15:1-10). A "pérola Preciosa" é a Igreja. O que são as "Boas Pérolas"? Talvez sejam os direitos e dignidade que o Senhor queria possuir nesta Terra e em Israel, aos quais, porém, renunciou. Por exemplo: 
O Reino neste Mundo. Mais tarde, no entanto, há de recebê-los de Deus (*Salmo 2: 8). A Igreja é, portanto, mais valiosa e preciosa para o Filho do que dignidade e glórias (Mt 16: 18). Ela é chamada "Noiva de Cristo", a "Noiva" e"a Esposa do Cordeiro" (Ap 21:9). Cristo amou e a Si mesmo se entregou por ela (Ef 5:25). 
 
Devo contribuir?
Ao receber o Senhor Jesus Cristo como seu Salvador, uma das primeiras coisas que você irá aprender é que Deus é amor. Como resultado disto, você logo perceberá que o amor precisa de uma forma prática para se expressar. Você aprenderá que há uma relação entre amar e dar. Deus é um Deus que nos dá muitas coisas. Amar e dar estão intimamente ligados nas Escrituras. “O Filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim” (Gl 2:20), e “Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito” (Jo 3:16). Continuar Lendo...
Desenvolvido por Palavras do Evangelho.com