Você pergunta como um crente no Antigo Testamento podia viver sem o Espírito Santo, e a mesma dúvida vale para os que serão salvos após o arrebatamento da Igreja, quando o Espírito Santo também será tirado da terra. Recebi outra dúvida que não se refere ao estado do crente, mas como o incrédulo poderia se converter, tanto no período anterior quanto posterior ao atual tempo da graça de Deus.
 
Começando por esta última dúvida, o Espírito Santo sempre agiu convencendo o pecador de seu pecado, mas não habitando nele porque o Espírito não iria habitar num incrédulo, seja no Antigo, seja no Novo Testamento. Habitação do Espírito não precede a conversão, mas é o selo final do processo neste atual tempo da graça. Digo "processo" porque existem algumas etapas que acontecem.
 
Primeiro a pessoa colocada em contato com a "água" da Palavra de Deus (Efésios 5:26) é tocada pelo Espírito Santo e recebe vida para o que está espiritualmente morto poder sentir o peso de seus pecados e crer. Este é o "nascer de novo" que Jesus explicou a Nicodemos em João 3. Em Romanos 3:10-11 diz que "Não há um justo, nem um sequer. não há ninguém que entenda; não há ninguém que busque a Deus.", porém em Atos 10:1-2 encontramos um homem que parece contradizer essa afirmação: "Cornélio, centurião da coorte chamada italiana, piedoso e temente a Deus, com toda a sua casa, o qual fazia muitas esmolas ao povo, e de contínuo orava a Deus.".
 
Cornélio não era um nascido de novo e ainda precisava escutar o evangelho da graça de Deus (At 10:34-43), crer e ser selado com o Espírito Santo (At 10:44). Agora ele era um homem salvo. Considere Efésios 1:13-14 como a versão condensada dessas etapas: "Cristo em quem também vós estais, depois que ouvistes a palavra da verdade, o evangelho da vossa salvação; e, tendo nele também crido, fostes selados com o Espírito Santo da promessa. O qual é o penhor da nossa herança, para redenção da possessão adquirida, para louvor da sua glória."
 
Voltando à sua dúvida, que é de como um crente no Antigo Testamento podia viver sem o Espírito Santo, a resposta é que o Espírito agia e eventualmente habitava nele, mas não de modo definitivo como o temos agora graças à promessa de Jesus de que ele ficaria conosco "para sempre" (Jo 14:16). Repare em como isso é diferente do que Davi experimentava em seus dias: "Não me lances fora da tua presença, e não retires de mim o teu Espírito Santo." (Sl 51:11).
 
Depois do arrebatamento tudo vai voltar a funcionar como no Antigo Testamento, e os convertidos não terão o Espírito habitando permanentemente em si, mas eventualmente no caso de Davi. Hoje a pessoa recebe vida para poder sentir o peso de seus pecados (novo nascimento), crer em Jesus (conversão) e receber o selo do Espírito Santo (habitação do Espírito). Mas e no Antigo Testamento? Ficavam eles sem qualquer assistência, influência ou poder para viver uma vida nova, já que o Espírito só viria habitar na terra em Atos 2 no dia de Pentecostes, quando foi formada a Igreja?
 
Pelas palavras de Jesus aos discípulos no Evangelho, antes o Espírito estava COM ELES e depois passou a habitar NELES. Nossa posição é de um privilégio mais elevado, mas não quer dizer que antes os convertidos ficavam desassistidos. " E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Consolador, para que fique convosco para sempre; o Espírito de verdade, que o mundo não pode receber, porque não o vê nem o conhece; mas vós o conheceis, porque habita convosco, e estará em vós." (Jo 14:17).
 
Se você prestou atenção na expressão "para sempre" percebeu como é perversa a doutrina pentecostal de que um crente possa ser crente sem ter sido selado pelo Espírito, ou que possa perdê-lo depois por algum motivo. Perversa é também a doutrina que diz que apenas crentes "vencedores" subiriam no arrebatamento, enquanto o restante (os crentes carnais) parmaneceriam na terra para sofrer na Grande Tribulação. O inimigo sempre irá incutir na mente das pessoas, inclusive de crentes em Jesus, ideias que possam anular em alguma medida a obra completa e perfeita operada por Cristo na cruz do calvário.
 
Talvez aqui surja em sua mente a dúvida: "Mas o que aconteceria se alguém nascesse de novo e morresse antes de ouvir o evangelho claro, como Cornélio ouviu de Pedro, e crer e ser selado com o Espírito Santo?". Bem, se você conhece realmente o caráter do Deus que lhe dá a salvação não teria dúvidas a respeito do destino dessa pessoa, mas teria, como diz no versículo de Filipenses 1:6, "por certo isto mesmo, que aquele que em vós começou a boa obra a aperfeiçoará até ao dia de Jesus Cristo". Quando Deus começa uma obra, ele termina com certeza.
 
Por Mário Persona
Devo contribuir?
Ao receber o Senhor Jesus Cristo como seu Salvador, uma das primeiras coisas que você irá aprender é que Deus é amor. Como resultado disto, você logo perceberá que o amor precisa de uma forma prática para se expressar. Você aprenderá que há uma relação entre amar e dar. Deus é um Deus que nos dá muitas coisas. Amar e dar estão intimamente ligados nas Escrituras. “O Filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim” (Gl 2:20), e “Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito” (Jo 3:16). Continuar Lendo...
Desenvolvido por Palavras do Evangelho.com