COMO DEUS CURA HOJE?

Em Filipenses 2:25- 30 nós lemos que Epafrodito um crente daquela igreja - e que Paulo chama de seu irmão e cooperador e companheiro nos combates -, esteve muito doente, mesmo bem perto da morte. Deus se 4 apiedou dele e curou-o. O que a passagem bíblica não diz é como Epafrodito foi curado. Seria apenas pela fé? Pela oração e imposição das mãos de Paulo? Com a ajuda de alguma medicina?
O que sabemos pelo ensino das Escrituras, é que Deus tem e usa vários meios para curar. Vamos, então, considerar os meios, ou modos como Deus cura nos nossos dias.
1.PELA ORAÇÃO SOMENTE
No Salmo 34:6 e 17, David afirma: "Clamou este pobre, e o Senhor o ouviu e o livrou de todas as suas angústias. Os justos clamam, e o Senhor os ouve, e os livra de todas as suas tribulações".
Nós cremos no valor da oração. Nós temos os nossos cultos de oração, onde intercedemos pelos doentes. E podemos afirmar que o Senhor tem respondido as nossas orações.
Tiago 5:14 diz: "Está alguém entre vós doente? Chame os presbíteros da Igreja, e orem sobre ele ungindo-o com azeite em nome do Senhor". Note-se o que aqui se diz: "chame os presbíteros da igreja". Não diz para se chamar um pregador que afirma ter o dom de curar, e muito menos ir a uma campanha, ou reunião, de curas divinas. O doente aqui é aquele que está de cama e, por isso, deve chamar os presbíteros (anciãos) da igreja local.
Em tempos passados estivemos afazer um trabalho evangelístico com literatura numa certa área do nosso país. Visitamos algumas igrejas de certa denominação, onde vimos alguns crentes doentes. Pediram-nos até para orarmos por eles. Em conversa com um irmão responsável tivemos o seguinte diálogo:
- Irmão Carlos, nós temos irmãos com o dom de curar. - Aonde, perguntei, têm algum aqui nesta área? Não, respondeu.
- Então, têm algum em Portugal? Parece-me que não, respondeu ainda. - Então, onde têm? Na América, afirmou. Eu respondi-lhe: Não acredito, irmão. Porque se eu acreditasse, eu mesmo contribuiria para que ele viesse imediatamente e curasse os vossos doentes.
Irmãos, não vos deixeis enganar. Os milagres de cura que o Senhor Jesus e Seus Apóstolos operaram eram sinais para uma época - o começo da Igreja. Eram sinais temporários e, por isso, não continuaram. Aqueles que, em nossos dias, dizem ter o dom de curar, como nosso Senhor e Seus Apóstolos, falham redondamente. E têm sido motivo de grande desonra para o Evangelho. Nós temos sido testemunhas disso já de há longos anos.
Vejam agora o que disse recentemente o conhecido professor das Escrituras e presidente da Aliança Evangélica Mundial, Dr. Theodore Williams,e que veio publicado na revista "AIM" do passado mês de Maio: "Estou preocupado com muitos desvios e diluições da verdade na Índia. É como uma doença o facto dos auto-proclamados profetas e obreiros de milagres estarem a atrair muitas pessoas no pais. Muitos crentes nas nossas igrejas vão atrás de pregadores que afirmam ter dons de profecia e de cura e acabam por se tornar discípulos mortos, cujas vidas são inúteis para Deus e para o Seu reino".
2. PELA MEDICINA
O Senhor Jesus disse que os doentes necessitam de médico (Lucas 5:31). Lucas era um médico muito amado e fiel no Senhor (Col.4:14). Jesus contou uma história em que certo homem encontrou outro caído na berma da estrada, bastante ferido, pois tinha sido pelos salteadores despojado, espancado e deixado meio morto. Este abeirou-se dele, atou-lhe as feridas deitando-lhes azeite e vinho (Lucas 10:34). Era uma espécie de enfermagem daquela época.
Um profeta de Deus, aconselhou a porem uma pasta de figos sobre a chaga de um rei que estava que morrer e ele sarou (2Reis 20:7).
Paulo, que operara tantas curas pela fé, pois tinha dom de curar, agora, que no fim da sua vida terrena aconselha a Timóteo a usar um pouco de vinho, por causa do seu estômago e das suas frequentes enfermidades (1Tim.5:23). Era um medicamento da época, e que sabe se orientado pelo médico Lucas.
3. PELA CIRURGIA
A cirurgia também está Bíblia. Deus serviu-se dela ao cortar a carne de Adão tirar-lhe uma costela para formar a primeira mulher (Gen.2:21).
Os sacerdotes de Israel foram ordenados por Deus rasgarem a pele do leproso para se certificarem c veracidade da cura (Lev.1 3:56).
A cirurgia dos nossos dias está maravilhosamente desenvolvida e os filhos de Deus devem usá-la, se precisarem. Quem vos escreve precisou dela há 33 anos; pela segunda vez há 26 anos e ultimamente, e mais precisamente há 3 meses, como é de conhecimento de muitos. Deus foi servido de curar seu servo por meio da cirurgia, glória ao Seu Nome.
4. PELO ABANDONO DO PECADO
O pecado origina a doença e por fim a morte (Rom.6:23) Ananias e Safira, por causA do pecado da mentira foraM mortos (Actos 5:4,5,10).
Geazi, por causa dO pecado da mentira e da cobiça, ficou leproso (II Rei. 5:27).
Também Miriã ficou leprosa por murmurar contra' Moisés, seu irmão (Num.12:10).
Havia na igreja de Corinto muitos fracos e doentes e outros que tinham sofrido a morte, devido ao pecado de participarem da Ceia do Senhor indignamente (1Cor. 11:28-30)
5.POR MEIO DE SUGESTÕES MENTAIS
Muitos crentes andam tristes e desanimados devido aos problemas materiais. Há situações difíceis, como os estudos, o emprego, a família, etc., e tudo isto trás sofrimento e até doenças. A Palavra do Senhor ensina-nos a lançar sobre Ele toda a nossa ansiedade porque Ele tem cuidado de nós (1 Ped.5:7).
Vamos colocar a nossa mente no Senhor (Col.3:1 -4). Há muitos exemplos na Bíblia, de crentes que passaram tempos bem difíceis, mas tudo isso contribuiu para o aperfeiçoamento da fé, e eles ainda experimentaram dias de gozo e felicidade.
6.PELA ALEGRIA DO ESPÍRITO SANTO
O fruto do Espírito é alegria (Gal.5:22). Paulo, mesmo na prisão, em Roma, escreveu aos crentes de Filipos para se regozijarem sempre no Senhor (Fil.4:4). Também, quando o povo de Israel, que voltara do cativeiro ouvia a Palavra do Senhor lamentava-se e chorava de arrependimento. Então Neemias e Esdras animaram o povo e disseram-lhes que não estivessem tristes, porque "a alegria do Senhor é a vossa força" (Neem.8:10).
Se pensarmos mais nas bênçãos que o Senhor já nos concedeu, como o perdão de todos os nossos pecados, a certeza de irmos para a presença do Senhor, que Ele está connosco e habita em nós, que tudo quanto Ele permite vir à nossa vida é para o nosso bem, então não andaremos tristes, nem desanimados. E isso nos livrará de muitas enfermidades.
7. A CURA FINAL - UM CORPO IMORTAL
Embora o Senhor nos possa curar de várias enfermidades, usando estes meios que aqui mencionamos, temos que reconhecer que algumas enfermidades; nos acompanharão até que o Senhor nos chame para a Sua presença. Estou a pensar que temos irmãos deficientes, cegos coxos, paralíticos, etc. Alguns movem-se em cadeiras de rodas, outros estão retidos nos seus leitos de dor. Temos, porém, a gloriosa esperança de que; quando Cristo vier buscar-nos, "transformará este corpo abatido, para ser conforme o Seu corpo glorioso" (Fil.3:21). Na Vinda do Senhor para arrebatar a Sua Igreja, "os nossos corpos corruptíveis serão revestidos de incorruptibilidade, e isto que é mortal se revestirá de imortalidade. Então cumprir-se-á a palavra que está escrita: Tragada foi a morte na vitória. Onde está ó morte, o teu aguilhão?" (1 Cor.15;1-55).
"Por isso não desfalecemos; mas, ainda que o nosso homem exterior se corrompa, o interior, contudo, se renova de dia em dia. Porque a nossa leve e momentânea tribulação, produz para nós um peso eterno de glória mui excelente" (2 Cor.4:16,17).
Por Carlos Alves
 
1. Os Cristãos concordam no fato de que todas as doenças, duma forma geral, são resultado do pecado no mundo. Se o pecado nunca tivesse entrado, não haveria doenças.
2. Algumas vezes as doenças são resultado direto do pecado na vida de uma pessoa. Em 1 Cor. 11.30, lemos que determinados Coríntios se encontravam enfermos por terem participado na Ceia do Senhor sem julgarem o pecado nas suas vidas, isto é, sem o terem confessado e abandonado.
3. Nem todas as doenças são resultado direto do pecado na vida duma pessoa. Jó ficou enfermo a despeito do fato de ter sido o homem mais justo (Jó 1.8). O homem que nasceu cego não estava a sofrer por pecados que tivesse cometido (João 9.2,3). Epafrodito adoeceu devido à sua actividade incansável na obra do Senhor (Fil. 2.30). Gaio era espiritualmente saudável embora fisicamente aparentasse encontrar-se menos bem (III João 2).
4. Por vezes a doença é resultado de actividade satânica. Foi Satanás que fez com que o corpo de Jó fosse coberto com uma chaga maligna (Jó 2.7). Foi Satanás que encurvou de tal modo que esta não se conseguia endireitar: "mulher que tinha um espírito de enfermidade, - pense nisto - havia já dezoito anos" (13:16). Paulo teve uma enfermidade fisica provocada por Satanás. Ele denominou-a de "um espinho na carne... um mensageiro de Satanás, para me esbofetear" (2 Cor. 12.7).
5. Deus pode curar e cura. De facto, toda a cura é verdadeiramente divina. Um dos nomes de Deus no VT é Jeová-Rofeka - "o Senhor que te cura" (Êxo. 15.26). Nós devemos reconhecer Deus em todo o caso de cura. E claro nas Escrituras que Deus usa diferentes meios no acto de curar. Por vezes cura por intermédio de processos orgânicos naturais. Ele colocou no corpo humano tremendos poderes de recuperaçao. Os médicos sabem que a maior parte dos pacientes encontram-se melhores pela manha. Outras vezes cura por meio de medicamentos. Por exemplo, Paulo aconselhou Timóteo a usar "um pouco de vinho, por causa do estômago e das ... frequentes enfermidades" (1 Tim. 5.23). Outras, cura através da libertação de temores, ressentimentos, preocupações, e culpas, que produzem doenças. Outras ainda, cura por meio de médicos e cirurgiões. O Senhor Jesus ensinou explicitamente que os doentes necessitam de médico (Mat. 9.12). Paulo falou de Lucas como "o médico amado" (Col. 4.14), reconhecendo a necessidade de médicos entre os Cristãos. Deus usa médicos no ministério da cura. Como Dubois, o famoso cirurgião Francês disse, "O cirurgião veste a ferida; Deus cura-a".
6. Mas Deus também cura miraculosamente. As Escrituras contém disto muitas ilustrações. Seria incorreto afirmar que Deus cura desta forma dum modo geral, mas também não devemos afirmar que nunca o faz. Não há nada na Bíblia que nos desencoraje da crença que Deus hoje pode curar miraculosamente.
7. No entanto também deve tornar-se claro que a cura nem sempre é da vontade de Deus. Paulo deixou Trófimo doente em Mileto (2 Tim. 4.20). O Senhor não curou Paulo do seu espinho na carne (2 Cor. 12.7-10). Se fosse sempre da vontade de Deus curar, alguns nunca envelheceriam nem morreriam!
8. Deus não prometeu curar em todos os casos; por conseguinte a cura não é algo que possamos exigir d'Ele. Em Fil. 2.27, a cura é falada como sendo uma misericórdia, não algo que tenhamos o direito de esperar.
9. Apesar de, num sentido geral ser verdade que a cura se encontra abrangida pela "Expiação", também é verdade que nem todas as bênçãos que a Expiação abarca nos foram já concedidas. Por exemplo a redenção do corpo está incluída na obra de Cristo por nos mas não a experimentaremos antes da Sua vinda para os Seus santos (Rom. 8.23). Então seremos completa e finalmente curados de todas as doenças.
10. Não é verdade que o insucesso da cura indicie falta de fé. Se assim fosse, tal significaria que alguns viveriam indefinidamente; mas não há nenhum exemplo disso. Paulo, Trófimo, e Gaio, não foram curados, mas apesar disso a fé deles foi viril e ativa.
Por William McDonald
Devo contribuir?
Ao receber o Senhor Jesus Cristo como seu Salvador, uma das primeiras coisas que você irá aprender é que Deus é amor. Como resultado disto, você logo perceberá que o amor precisa de uma forma prática para se expressar. Você aprenderá que há uma relação entre amar e dar. Deus é um Deus que nos dá muitas coisas. Amar e dar estão intimamente ligados nas Escrituras. “O Filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim” (Gl 2:20), e “Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito” (Jo 3:16). Continuar Lendo...
Desenvolvido por Palavras do Evangelho.com