MAÇONARIA

Basicamente falando, a Maçonaria é uma sociedade secreta de fins filantrópicos e humanitários com uma filosofia religiosa semelhante ao deísmo inglês do começo do século XVIII.

É lógico, entretanto, que a Maçonaria já se dividiu sobremaneira, de tal forma que não existe hoje um padrão maçom que possa ser aplicado a todas as suas divisões. Consequentemente, a definição de Maçonaria dependerá do País no qual é praticada; da filosofia própria de cada uma de suas divisões ou ainda do conceito que se lhe atribui.

 

UMA RELIGIÃO FALSA?

 

Embora alguns maçons façam questão de afirmar que a Maçonaria não é uma religião, as mais altas autoridades maçônicas do mundo se referiram a ela como tal.

Do Dicionário de Maçonaria tiram os a seguinte definição que nos deixa claro o seu aspecto religioso:

"É um sistema sacramental que, como todo sacramento, tem um aspecto externo e visível, consistente de seu cerimonial, doutrinas e símbolos e outro aspecto interno, mental e espiritual, o culto sob as cerimônias, doutrinas e símbolos, e acessível só ao maçom que haja aprendido a usar a imaginação espiritual e seja capaz de apreciar a realidade velada pelo símbolo externo."

 

A Maçonaria não é uma igreja; entre tanto em seu aspecto religioso inegável e insofismável, é um culto. Exige dos candidatos à crença em Deus e na imortalidade da alma, o que inclui a existência futura. Chama Deus de "O Grande Arquiteto do Universo" e o culto a Ele consiste principalmente nas boas obras, através das quais se aguarda a salvação. Visam seus adeptos a tingir um padrão m oral acima do das demais pessoas e creem que esse padrão lhes garantirá condições para habitar na Glória.

Analisando a Maçonaria à luz das Sagradas Escrituras se chega a conclusão que é anticristã, deísta e racionalista e que agora, um tanto excêntrica — se enquadra perfeitamente no rol das religiões e seitas falsas.

Procuraremos neste pequeno esforço mostrar a incomparabilidade que há entre o cristianismo bíblico e essa sociedade secreta.

 

HISTÓRICO

 

A Maçonaria surgiu nos meados do século XVII quando as associações de pedreiros livres da Inglaterra deixaram de ser simples associações profissionais para admitirem com o membros honorários gente da nobreza, do clero anglicano e outros profissionais liberais. Em 1717, foi fundada a Grande Loja de Londres, pelo reverendo anglicano James Anderson e pelo huguenote refugiado Jean Théophile Desaguliers. Seus principais princípios, no início foram; tolerância religiosa; fé no progresso da humanidade; fé em Deus; certo racionalismo que exclui as formas exteriores da religião organizada como Igreja; aversão contra o sacerdócio oficial e contra a fé em milagres e outros.

Essa organização social dos pedreiros livres deu origem logo a seguir a cerca de 1700 Lojas ou Oficinas, com o são chamados os locais de reunião da Maçonaria. Em 1730, os ingleses introduziram as Lojas nos Estados Unidos. Nesse país está o maior número de maçons do mundo.

 

SALOMÃO FOI MAÇOM?

 

É muito discutida a origem da Maçonaria. Alguns autores situam-na nos primórdios da antiguidade oriental, outros admitem que o seu fundador fosse Hiram Abif, arquiteto do templo de Salomão, que teria sido um maçom; outros ainda, que deriva de corporações operárias criada por NUMA, em 715 a.C. Certo autor maçom afirmou que Jesus usou muitos ensinamentos maçons em sua doutrina e que a origem da maçonaria se perde na noite dos tempos...

No Brasil a Maçonaria teve início nos tempos do Império e afirma ter influído grandemente da história nacional, principalmente na Independência. Muitos vultos históricos da vida nacional tiveram seus nomes ligados de uma ou outra maneira à Maçonaria.

(A palavra maçom vem do francês e significa "pedreiro”, na sua etimologia)

 

A tradição impede o ingresso de mulheres, embora a firmem os maçons que nada acontece lá dentro que a mulher não possa saber ou conhecer e que a sua proibição é puramente tradicional. Já existe em todo o mundo e especialmente nos Estados Unidos a Maçonaria feminina organizada nos mesmos padrões da Maçonaria secular.

A verdadeira origem da Maçonaria está, com o vimos acima, na socialização dos pedreiros livres da Inglaterra; o mais é lenda e fantasia.

 

OS SEGREDOS MAÇÔNICOS

 

Muita lenda e superstição gira em torno da Maçonaria. Os maçons não estão preocupados em desfazê-las, pois lhes agrada serem vistos pelos menos esclarecidos como pessoas misteriosas, superdotadas, anormais, diabólicas ou coisas assim. Riem daqueles que fazem mistério acerca de suas vidas e se divertem da "ignorância" dos profanos (nome que se dá ao não maçom).

Os "segredos maçônicos" constam de símbolos, alegorias, ritos, cerimônias, sinais de identificação, doutrinas filosóficas ou dogmas religiosos que já foram ocasionalmente revelados.

O maior segredo do qual o n e ó fito tom a conhecimento ao penetrar na Maçonaria é o fato de saber que na realidade a coisa não é nada daquilo que pensava.

Os "altos segredos", de um modo gera, são ritos, dogmas e mistérios tirados do judaísmo e do paganismo babilônico e egípcio que misturados no caldeirão maçônico dão um caído semelhante ao que é ingerido pelas sociedades espiritualistas.

A Maçonaria, para defender-se, pode afirmar que fora dela há também o secretismo, entre tanto é bom afirmar que há diferença entre um assunto secreto e um privativo. Numa família, firma ou igreja, pode haver assuntos privativos os quais mudam ou desaparecem, mas na Maçonaria, estes são secretos e firmes.

Na Igreja Evangélica nada há em o culto; tudo é feito à vista de todos e as suas reuniões privativas nada têm de secretismo, pois tal coisa entra em choque com os ensinamentos da Palavra de Deus.

(3 João 13,20; Efésios 5.1 1-1 3; Levítico s 5.4; Deuteronômio 29 .29; Mateus 5.14-1 6)

 

 

A  ESTRUTURA DA MAÇONARIA

 

A Maçonaria é organizada em Ritos, sendo estes divididos em graus. O rito Escocês tem 33 graus, equivalentes aos 10 graus do rito York. Cada grau procura ensinar uma m oral. Os graus 1 a 3 são os mesmos nos dois ritos acima mencionados.

Ao a tingir o grau 3 o maçom tem que escolher o rito Escocês ou o York , se pretender subir a escada hierárquica.

O rito Escocês tem 33 graus que são conhecidos por números ou títulos. Os do rito York são conhecidos apenas por títulos.

— Os juramentos. Para cada grau da Maçonaria há um juramento específico. Muitas vezes os maçons confundem as suas juras com as promessas evangélicas. O fato é que o maçom jura não revelar coisas que ainda nem conhece!

— O ritual de iniciação: Para o 1.° grau — Aprendiz, lhe é posta uma venda nos olhos e com vestes especiais é conduzido à porta do templo onde afirma ser um profano que está vindo para a luz da Maçonaria.

Pode um crente fie l fazer tal afirmação sem contra ria r a Palavra de Deus? Assim, semelhantemente se sucedem os rituais para cada grau ...

— Os símbolos. Instrumentos de pedreiro e arquiteto são muito usados, bem como aqueles usados pelos sacerdotes no Antigo Testamento. O Delta, triângulo que tem no centro um olho que representa todos os a tributos da divindade, fica acima do trono do Venerável Mestre entre o Sol e a Lua que representam as forças do sumo Criador. O esquadro representa a moralidade; o nível a igualdade e o prumo, a retidão.

— O Culto. O 2 .° Código maçônico diz que o verdadeiro culto a Deus consiste nas boas obras. No ritual para o candidato a Mestre Maçom (Grau 3), o Venerável abre e encerra o trabalho em nome de Deus e de um padroeiro, no caso, São João da Escócia. É latente a blasfêmia em ligar o nome de Deus a de um santo padroeiro.

— As orações: Fazem orações, entretanto não as fazem em nome de Jesus com o ensina a Bíblia, nem tampouco fazem citações a Ele ou menção do Seu nome. Parece que nunca leram João 14.13 ss.

— Cerimônias fúnebres: Nos funerais há uma cerimônia na Loja, sem a presença do falecido; outra em uma Igreja ou residência, e outra no cemitério. Em todas elas a salvação pelas obras é enfatizada e diz-se estar o falecido passando da Loja Terrestre para a Loja Celestial, o que logicamente implica no fato de crer a Maçonaria que o seu adepto está salvo; salvação sem Cristo e seu sangue expiador. Veja João 10.1-9.

 

POR QUE NÃO PODE UM VERDADEIRO 

CRISTÃO SER MAÇOM

 

1. A Maçonaria ensina que as boas obras podem levar o indivíduo a atingir um padrão tão elevado de moral, pureza e justiça que ao morrer ingressa na Loja Celestial. Isso se contradiz com a Palavra de Deus que ensina a salvação pela graça, por meio da fé. Efésios 2.5-8.

2. A Maçonaria exige que se jure guardar segredos que ainda não se conhecem previamente. Tal procedimento pode levar o adepto a desmerecer a soberania moral do Senhor em ocasiões que a Maçonaria venha a exigir.

O secretismo maçom faz do adepto um elemento fechado e sem condições de esclarecer determinadas situações. Veja o que diz a Bíblia em Mateus 5.14-16.

3. O secretismo maçom se opõe ao plano divino. As sociedades secretas se caracterizam pela sua origem pagã e são repugnantes à Palavra de Cristo e ao caráter do Cristianismo.

4. A Maçonaria é um a sociedade que prega a fraternidade, ou seja, a comunhão entre todas as pessoas. Exige que se jure solene fraternidade entre os seus adeptos. Como admitir isto se Cristo disse não poder haver comunhão entre a luz e as trevas?

A Palavra de Deus nos proíbe o jugo desigual com os infiéis e ordena que saiamos do meio deles. Vide II Coríntios 6.14-18; I Coríntio s 15.33.

5. A Maçonaria chama a Deus de O Grande Arquiteto do Universo, entretanto parece ser o "deus” da Maçonaria um deus diferente do da Bíblia, Vejamos:

— A Maçonaria não crê na Trindade. (1 João 2.23).

— Admite que pode levar qualquer pessoa A Loja Celestial, desde que esta seja maçom e pratique as boas obras. (I João 2.23)

— Aceita qualquer nome para Deus: Alá, Brama, Buda, Krhisria, Zumbi ou qualquer outro. Todos são identificados com Jeová. Dessa maneira, o deísmo, filosofia herética é praticada pela Maçonaria, veja - Deuteronômio 6.15,15).

 

A Maçonaria é uma sociedade profanadora onde existem símbolos, ritos, dogmas e mistérios, oriundos do judaísmo e do paganismo egípcio e babilônico. Cerimônias e objetos bíblicos são usados com finalidades diferentes ao bel-prazer maçônico em um flagrante desrespeito às Escrituras Sagradas.

O Deus da Bíblia continua a ser "O Deus Zeloso " que não consente ser representado por imagens e concepções falsas que lhe são abomináveis. Apenas o Senhor Jesus Cristo é uma representação digna de Deus. Ele só é a sua expressão tangível. (Hebreus 1.3).

Com respeito ao Senhor Jesus Cristo no período de 12 aos 30 anos, diz a Maçonaria simbólica que dos seus arquivos conservados religiosamente pelos monges do Tibete no Himalaia, aos quais foram confiadas tradições e documentos da maçonaria egípcia, consta que Jesus permaneceu durante anos com os monges do Tibete sendo ali conhecido com o nome de Profeta Issa.

Saindo do convento, Jesus teria passado a pregar tudo aquilo que aprendeu com os "veneráveis monges''. Dentre os ensinamentos de Jesus, o que existe na verdade são fragmentos da doutrina maçônica...

Não sei se os maçons escreveram isso para que acreditássemos ou para que déssemos risadas. No segundo caso, queremos dizer-lhes que apreciamos sobremodo o seu senso de humor.

Embora a Bíblia não descreva a vida de Jesus durante esse período, coisa sem importância, pois seu ministério se desenrolou após os trinta anos, quando se dava a maioridade judaica; no Livro de Marcos, cap. 6, versículo 3, vemos logo no início do Seu ministério que Ele era conhecido com o "o carpinteiro". Se Ele tivesse saído do Convento, diriam: “Não é este o monge; ou o sacerdote; ou coisa parecida?” Ademais, pelas palavras dos seus amigos não apenas nesse texto, pode-se sem nenhum esforço deduzir que Ele passou a sua mocidade exercendo a profissão de seu pai, José.

Não pode ser maçom um verdadeiro cristão; pois crenças como esta devem causar repúdio ao verdadeiro servo do Senhor. Julguem os leitores, com a Bíblia na mão e a consciência voltada para Deus se tal coisa pode acontecer...

 

 

Sabe, porém, isto: que nos últimos dias sobrevirão tempos trabalhosos. Porque haverá homens amantes de si mesmos, avarentos, presunçosos, soberbos, blasfemos, desobedientes a pais e mães, ingratos, profanos, Sem afeto natural, irreconciliáveis, caluniadores, incontinentes, cruéis, sem amor para com os bons, Traidores, obstinados, orgulhosos, mais amigos dos deleites do que amigos de Deus, Tendo aparência de piedade, mas negando a eficácia dela. Destes afasta-te.
Porque deste número são os que se introduzem pelas casas, e levam cativas mulheres néscias carregadas de pecados, levadas de várias concupiscências; Que aprendem sempre, e nunca podem chegar ao conhecimento da verdade.
E, como Janes e Jambres resistiram a Moisés, assim também estes resistem à verdade, sendo homens corruptos de entendimento e réprobos quanto à fé.
Não irão, porém, avante; porque a todos será manifesto o seu desvario, como também o foi o daqueles.
Tu, porém, tens seguido a minha doutrina, modo de viver, intenção, fé, longanimidade, amor, paciência, Perseguições e aflições tais quais me aconteceram em Antioquia, em Icônio, e em Listra; quantas perseguições sofri, e o Senhor de todas me livrou; E também todos os que piamente querem viver em Cristo Jesus padecerão perseguições.
Mas os homens maus e enganadores irão de mal para pior, enganando e sendo enganados.
Tu, porém, permanece naquilo que aprendeste, e de que foste inteirado, sabendo de quem o tens aprendido, E que desde a tua meninice sabes as sagradas Escrituras, que podem fazer-te sábio para a salvação, pela fé que há em Cristo Jesus.
Toda a Escritura é divinamente inspirada, e proveitosa para ensinar, para redarguir, para corrigir, para instruir em justiça; Para que o homem de Deus seja perfeito, e perfeitamente instruído para toda a boa obra.
2 Timóteo 3:1-17

 

Assista ao Vídeo: Tropeços Que Levam ao Inferno

 

Autor: J. CABRAL
RELIGIÕES, SEITAS E HERESIAS À LUZ DA BÍBLIA
Editado pela:
UNIVERSAL PRODUÇÕES - INDÚSTRIA E COMÉRCIO
Caixa Postal 1815
Rio de Janeiro — RJ

 

Devo contribuir?
Ao receber o Senhor Jesus Cristo como seu Salvador, uma das primeiras coisas que você irá aprender é que Deus é amor. Como resultado disto, você logo perceberá que o amor precisa de uma forma prática para se expressar. Você aprenderá que há uma relação entre amar e dar. Deus é um Deus que nos dá muitas coisas. Amar e dar estão intimamente ligados nas Escrituras. “O Filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim” (Gl 2:20), e “Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito” (Jo 3:16). Continuar Lendo...
Desenvolvido por Palavras do Evangelho.com