Alcancei Misericórdia

Eu nasci em Antônio Prado, no interior do Rio Grande do Sul. Minha família e todos os parentes eram ligados por tradição à religião Católica Romana. Fui criado naquela tradição e, na minha infância, não conheci qualquer pessoa que fosse de outra religião. Quando era criança lembro da ocasião em que meu pai comprou uma Bíblia. Não posso lembrar de alguém em nossa casa lendo aquele Livro alguma vez.

 

Quando eu tinha 13 anos e morávamos em Caxias do Sul, meu pai faleceu. Logo comecei a trabalhar durante o dia e estudar à noite. Logo o pecado e as coisas mundanas começaram a ter mais e mais lugar em minha vida. Quando tinha 16 anos fomos morar em Porto Alegre e lá continuei no mesmo caminho, largo e espaçoso que me conduzia para a perdição. Me envolvi com vícios, procurei lugares mundanos e pratiquei coisas que nunca me fizeram feliz e das quais me envergonho de lembrar. Era um moço totalmente descuidado quanto à minha alma e meu futuro eterno, do qual nada sabia ou pensava. Aos 20 anos conheci pessoas do Povo de Deus, salvas pela Sua graça. Comecei a freqüentar a casa de uma família na qual a dona da casa me falou da sua salvação.

 

Ouvi e não duvidei. Pela primeira vez em minha vida fiquei sabendo que eu tinha uma alma que precisava ser salva para poder estar com Deus lá no céu. De início não me interessei pelo assunto e continuei minha vida mundana por mais de um ano ainda. Um dia, estando na casa daquela senhora, conheci os pais dela, que também eram salvos. O pai dela era um homem de idade e simples, mas tinha muito jeito para falar com as pessoas sobre a Palavra de Deus. Ele me contou como foi salvo aos 61 anos. Ele foi criado na religião Evangélica Protestante, lia a Bíblia e praticava sua religião. Ele morava numa região rural chamada Itati. O filho dele ouviu o evangelho e foi salvo em Porto Alegre. Levando a notícia para o pai, este compreendeu depois de algum tempo que não tinha esta salvação e precisava dela. Numa manhã lendo Lucas 19: 10 "Porque o Filho do homem veio buscar e
salvar o que se havia perdido", ele, reconhecendo que era um pecador perdido, recebeu o Senhor Jesus Cristo como seu Salvador e encontrou nEle descanso para a sua alma. Ele me falou daquela experiência e também de vários versículos da Bíblia que me mostravam que eu era um pecador e precisava ser salvo senão minha alma iria se perder no inferno. Ao fim ele me disse: "Se tu queres ter certeza disso, leia a Bíblia e Deus vai te mostrar pela Sua Palavra".

 

Foi um ótimo conselho, que eu aceitei. Ganhei um Novo Testamento e comecei a ler e também comecei a assistir as reuniões para o ensino da Palavra de Deus no Salão Evangélico que ficava bem perto de onde eu morava. Não demorou muito e as palavras do conselho que ouvi se cumpriram. Fiquei convencido e convicto pela Palavra de Deus que eu era um miserável  pecador, culpado e perdido aos olhos de Deus, que eu só merecia estar no inferno por causa dos meus pecados. Então compreendi que aquela salvação da qual havia ouvido era a minha grande necessidade, e este assunto se tomou o mais importante nos meus pensamentos. Eu não queria mais os meus pecados porque sabia para onde me levariam. Eu queria ser salvo mas não entendia como poderia ser. Lembrava dos pecados que havia feito e pensava: "Como posso ficar livre deles?". Algumas vezes derramei lágrimas preocupado com isso. Lembrava das pessoas salvas, simples e felizes, com suas almas no caminho para o céu e eu um pobre pecador indo para o inferno. Na minha falta de entendimento pensei que precisava fazer alguma boa obra para merecer a salvação; estes pensamentos não me ajudaram em nada para ser salvo, só me atrapalharam. Mas Deus teve misericórdia de mim.

 

No dia 10 de junho de 1981, saindo do trabalho fui para a reunião no Salão Evangélico. Chegando, entrei e me assentei no último banco perto da porta. Os crentes estavam ajoelhados em oração e depois estudaram uma passagem da Bíblia. No fim da reunião um servo de Deus me deu um folheto com o título: "Os Dois Caminhos". 

 

Mais tarde chegando em casa fui para meu quarto e lá sozinho abri a Bíblia e li Efésios 2. Depois peguei o folheto que havia ganhado e comecei a ler. Falava dos dois caminhos, um estreito e apertado que leva para a vida e outro largo e espaçoso que conduz à perdição. Havia alguns versículos da Bíblia no folheto e no final estes dois: "Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus. Não vem das obras, para que ninguém se glorie" (Efésios 2:8,9). Ao ler estas palavras meu pensamento se voltou para a cruz onde o Senhor Jesus Cristo morreu e compreendi que Ele morreu pelos meus pecados. Naquele momento depositei a minha fé no Senhor Jesus Cristo aceitando-O como meu Salvador e encontrei o perdão dos meus pecados, salvação e descanso para minha alma. Eu não estava doente, não vi nenhuma luz diferente nem ouvi alguma voz; não tinha problemas com ninguém. O meu problema era o meu pecado e suas conseqüências eternas, mas no Senhor Jesus Cristo encontrei a grande salvação que tanto precisava e procurava. Ajoelhei-me em seguida e dei graças à Deus de coração por Ele ter dado Seu Filho para morrer por amor de mim um pobre pecador.

Aquela vida passada cheia de ilusões e engano, estragada pelo pecado, terminou. Em Cristo encontrei uma vida nova, a vida eterna que desfruto, feliz, entre o Povo de Deus, no caminho para o céu.

 

 

Devo contribuir?
Ao receber o Senhor Jesus Cristo como seu Salvador, uma das primeiras coisas que você irá aprender é que Deus é amor. Como resultado disto, você logo perceberá que o amor precisa de uma forma prática para se expressar. Você aprenderá que há uma relação entre amar e dar. Deus é um Deus que nos dá muitas coisas. Amar e dar estão intimamente ligados nas Escrituras. “O Filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim” (Gl 2:20), e “Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito” (Jo 3:16). Continuar Lendo...
Desenvolvido por Palavras do Evangelho.com