8 - A VINDA NOVAMENTE DO SENHOR JESUS

Assim, chegamos à última nota da oitava redenção: A Vinda Novamente do Senhor Jesus. Nenhuma tentativa foi feita para dar uma apresentação abrangente de qualquer um desses aspectos da redenção, mas somente para prover, se possível, uma resposta concisa à questão perguntada sobre cada um deles: Por que isto...? Por que aquilo...? Isto é particularmente verdade sobre este último aspecto.

Não irei tentar por um momento cobrir todo o assunto da segunda vinda do Senhor. Por que, então, a Vinda Novamente do Senhor Jesus? A vinda do Senhor é mais comumente pensada como um evento; algo que irá acontecer em um determinado tempo, como um item em um programa; apenas um evento que irá um dia ocorrer. Naturalmente, até certo ponto, isto é verdade; porém é muito importante que pudéssemos saber por que ela deve ocorrer _ Por que Ele virá novamente. Vamos ser claros de que Deus poderia efetivar todas as coisas associadas à vinda de Cristo sem a Sua real vinda. Por exemplo, se é uma questão de levar os cristãos para o Céu, Ele poderia fazer isto sem que Cristo precise vir nos buscar; e há muitas outras coisas como esta que Deus poderia fazer direta e independente. Porém as Escrituras nos mostram que elas estão todas ligadas e centradas na vinda pessoal de Cristo, e é este fato que dá margem à pergunta: Por que deve ser desta forma? Por que deve ser uma questão de Cristo voltar novamente?

 

A SEGUNDA VINDA DO SENHOR JESUS CRISTO

 

Chama-se da Sua segunda vinda porque Ele já veio para este mundo a fim de efetuar a salvação de pecadores. Essas duas vindas são o tema de muitas profecias do AT. Observemos duas profecias apenas para cada vinda:

1 a Vinda "Eis que uma virgem conceberá, e dará à luz um filho, e será o seu nome EMANUEL" (Isaías 7:14)

"E tu, Belém Efrata, posto que pequena entre milhares de Judá, de ti me sairá o que será Senhor em Israel, e cujas saídas são desde os tempos antigos, desde os dias da eternidade" (Miquéias 5 :2)

2° Vinda ''Eu estava olhando nas Minhas visões da noite, e eis que vinha nas nuvens do céu um como o filho do homem: e dirigiu-se ao ancião de dias, e o fizeram chegar até ele. E foi-lhe dado o domínio e a honra, e o reino, para que todos os povos, nações e línguas o servissem". (Daniel 7:13-14)

''E o Senhor sairá, e pelejará contra estas nações, como no dia em que pelejou no dia da batalha. E naquele dia estarão os seus pés sobre o monte das Oliveiras, que está defronte de Jerusalém para o oriente; e o monte das Oliveiras será fendido pelo meio, para o oriente e para o ocidente, e haverá um vale muito grande; e metade do monte se apartará para o norte, e a outra metade dele para o sul." (Zacarias 14:3-4)

Por que é que não se lê do Arrebatamento no AT?

Vale a pena notar que não há referência alguma para o arrebatamento no AT! Por quê? Porque o arrebatamento não é o assunto das profecias do AT. É um dos "mistérios" do NT. (''Mistério'': refere-se a uma verdade que era desconhecida no AT, porém agora no NT fica revelada). Nenhum profeta do AT sabia da Igreja. Aprouve Deus esconder esse fato por motivos conhecidos somente por Ele.

Deve-se entender que no evento da morte do Senhor Jesus Cristo o relógio profético parou de andar. Com esse acontecimento a época da Igreja se introduziu como parêntese no grande programa de Deus. Essa época será consumada no evento do arrebatamento. Depois disso o relógio profético há de recomeçar a andar. Assim o começo e construção da Igreja bem como a sua consumação são verdades neotestamentárias, e não se lê nada deles no AT.

Embora não seja tema do AT, há ainda ilustrações do 'arrebatamento no AT, por exemplo, Enoque. Ele foi trasladado antes da vinda do dilúvio. Ló seria outra ilustração. Ele foi retirado das cidades da campina antes da destruição delas por meio do fogo e enxofre.

Já que agora sabemos do arrebatamento será que se deve dizer que o Senhor Jesus Cristo vem 3 vezes, isto é, (1) a Sua vinda quando nasceu em Belém, (2) o arrebatamento e (3) a Sua vinda para reinar? Não de maneira nenhuma. Há apenas duas vindas como o AT estabeleceu. Contudo deve se dizer que a segunda vinda há de se dar em dois estágios.

Assim, a segunda vinda do Senhor Jesus Cristo se dará em 2 estágios: (1) Estágio Preliminar e (2) Estágio Principal, ou seja, o Arrebatamento e a Manifestação.

Uma Ilustração

O Senhor queria vir a Betânia na ocasião da morte de Lázaro. Chegando perto da cidade as duas irmãs (Maria e Marta) enfim saíram-Lhe ao encontro. Essa parte ilustra o arrebatamento. Mais tarde o Senhor entrou na cidade e deu vida para Lázaro. Isso representa a Manifestação quando o Senhor há de revivificar os ossos secos no vale da morte (Ezequiel 37).

 

A CRONOLOGIA DOS DOIS ESTÁGIOS DA SEGUNDA VINDA 

(fator tempo) O Período entre os dois estágios

 

Há de haver um período de 7 anos pelo menos entre esses grandes acontecimentos. Donde vem esse período? Sabe-se desse período através de Daniel: "Setenta semanas estão determinadas sobre o teu povo, e sobre a tua santa cidade, para extinguir a transgressão, e dar fim aos pecados, e para expiar a iniqüidade, e trazer a justiça eterna, e selar a visão e a profecia, e para ungir o Santo dos santos. Sabe e entende: desde a saída da ordem para restaurar e para edificar Jerusalém, até ao Messias, o Príncipe, sete semanas, e sessenta e duas semanas: as ruas e as tranqueiras se reedificarão, mas em tempos angustiosos. E depois das sessenta e duas semanas será tirado o Messias, e não será mais: e o povo do príncipe, que há de vir, destruirá a cidade e o santuário, e o seu fim será com uma inundação; e até ao fim haverá guerra: estão determinados assolações. E ele firmará um concerto com muitos por uma semana: e na metade da semana fará cessar o sacrifício e a oferta de manjares; e sobre a asa das abominações virá o assolador, e isso até à consumação; e o que está determinado será derramado sobre o assolador" (Daniel 9:24-27). Resumidamente, Daniel fala de um período de 70 semanas, cada semana sendo uma etapa de anos, ou seja, 7 anos. Os 70 anos equivalem 490 anos. Quando foi que esse período se iniciou? Iniciou-se com o decreto de Artaxerxes para restaurar e para edificar a Jerusalém no ano de 445 a.C. Observe que o período de 490 anos se divide em três, isto é:

* 7 semanas (49 anos) Leva-nos ao ano de 396 a.C. Nesse ano consumou-se a reconstrução da cidade de Jerusalém mesmo em "tempos angustiosos".

* 62 semanas (434 anos) Leva-nos ao ano de 36 d.C., justamente o ano em que o Messias "foi tirado". Estudiosos diferem a respeito dessa data.

(Lembra-se de que o relógio profético parou de andar no evento da morte de Cristo, assim há um intervalo indefinido entre as sexagésima - nona e septuagésima semanas. Chama-se esse período de “A dispensação da Graça" ou “A dispensação da Igreja")

* 1 semana (7 anos). Essa septuagésima semana ainda está no futuro. Esse período de 7 anos há de se iniciar com a assinatura de um pacto entre Israel e o príncipe romano, e termina com a descida do Rei dos reis.

Assim, quando Daniel deu a sua profecia a respeito da 70 semanas (490 anos) ele não sabia que Deus há de intercalar um período que até agora se estendeu por 2000 anos.

Assim, estabelecemos um período de 7 anos pelos menos entre os dois estágios da segunda vinda do Senhor Jesus Cristo. Haverá mais do que 7 anos já que não se sabe quanto tempo há de se passar entre o arrebatamento e a assinatura do pacto entre Israel e o príncipe romano - o homem do pecado.

 

OS CONSTRASTES ENTRE OS DOIS ESTÁGIOS 

DA SEGUNDA VINDA

 

No mundo religioso há muito confusão a respeito da segunda vinda do Senhor. Muitos nem vêem uma distinção entre as duas etapas (1. Preliminar e 2. Principal). Assim, convém estudar mais cuidadosamente a fim de identificar as diferenças que existem entre elas.

 

 

 

 

ESTÁGIO PRELIMINAR

(ARREBATAMENTO)

ESTÁGIO PRINCIPAL

(MANIFESTAÇÃO)

1

Quem virá

O Senhor Jesus Cristo (Filip.3 :20)

O mesmo Senhor (1 Tess.4: 16)

O Senhor (Tiago 5:8)

O Filho do Homem (DanieI7:13)

Rei dos Senhores (Apoc.19)

monte das Oliveiras" (Zac.14:4).

2

Destino

Para os ares (1 Tess.4: 17)

Entre as nuvens (1 Tess.4: 17)

''E naquele dia estarão os seus pés sobre o monte das Oliveiras" (Zac.14:4).

 

3

Relação
aos

santos

Virá para Seus santos (João 14:3; 1

Tess.4:17) "aparecerá segunda vez,

sem pecado, aos que o esperam para sem pecado, aos que o esperam para

 

Virá com Seus santos (Judas 14); "E seguiam-no os exér-

citos no céu em cavalos brancos (Apoc.19: 14).

4

Beneficia
dos

A Igreja

A nação de Israel, e conseqüentemente o

Mundo

5

Motivo

"vos levarei para mim
mesmo"

(João 14:3); 

 

"seremos transformados

(1 Cor.15:51 e 52); 

 

"seremos arrebatados juntamente com eles (1 Tess.4: 17);

 

"transformará o nosso corpo abatido" (Filip.3:21).

 

Para fazer juízo

(Judas 15);

Para condenar (Judas 15);

Para tomar vingança

(2 Tess.l :8).

Para ser glorificado

(2 Tess.l: 10)

Para se fazer admirável

(2 Tess.l: 10)

Para destruir os inimi-

gos (Apoe.19:11-21)

6

Quando
virá

Iminente (João 14:2-3; 1 Cor.15:51-52; Filip.3 :20; Co1.3 :4; 1 Tess.1: 10; 5:61 Tim.6: 14; Tito 2: 13 Tiago 5:8; Heb.10:37; Apoc.3:3 etc.

Depois de uma série de sinais Mat.24:6;

Marcos 13:7; Lucas 21:9; 2 Tess.2:3 ete.

7

Caráter da vinda

Secreto

Público "Todo o olho O verá"

8

Previsto no AT.

Foi um "mistério"

Foi profetizado no AT

9

Cristo virá como

Noivo (Efés.5), Salvador (Filip.3:20)

Sumo Pastor (l Pedro 5:4), Senhor,

"Grande Deus e nosso Senhor Jesus

Cristo (Tito 2: 13)

Guerreiro

Juíz

Senhor dos senhores

Reis dos reis

10

Símbolo

A Estrela da Manhã (Apoc.22:16)

O Sol da Justiça (Mal.4:2)


Item 1 A mesma Pessoa virá nos dois estágios, mas deve-se observar os títulos ou nomes que o Espírito emprega nas Escrituras ao Se referir a Ele.

Item 2 Observe com cuidado o destino do Senhor nos dois estágios. As Escrituras claramente mostram que na etapa preliminar o Senhor virá para os ares ao passo que na segunda virá à Terra.

Item 3 No evento do Arrebatamento o Senhor virá para os Seus santos a fim de arrebatá-los instantaneamente para os Céus. Mais tarde virá com eles na Manifestação a fim de estabelecer Seu reino aqui na Terra. A diferença de preposição destaca a distinção entre os dois eventos. É a mesma vinda, porém os estágios são diferentes. Quando os santos virão com Cristo no segundo estágio vão seguir o Comandante Celeste "em cavalos brancos, e vestidos de linho fino, branco e puro" (Apoc.19: 14). Donde vieram os vestidos? Em Apoc.19:8 lê-se que "o linho fino são as justiças dos santos" Assim, é evidente que antes do segundo estágio certos eventos, tais quais o Tribunal de Cristo, vão se realizar. Isso mostra inegavelmente que os dois estágios da segunda vinda são diferentes, e que há de haver tempo suficiente entre eles para certos eventos ocorrer.

 

Quais?

 

* Tribunal de Cristo (Rom. 14: 10; 1 Cor.3: 12-15; 2 Cor.5:10)

* Apresentação da Igreja ao Noivo (Efés.5:27)

* Bodas do Cordeiro (Apoc.19:7 e 19:9)

 

Esses eventos se darão no Céu durante a septuagésima semana. Hão de anteceder a segunda etapa da segunda vinda de Cristo.

Item 4 Certamente a Igreja há de ser beneficiada no primeiro estágio. Ela será removida deste mundo para o Céu num instante. O Rei, no evento do segundo estágio, há de livrar Israel da sua opressão na cidade e providenciar um meio de escape. Os fiéis de Israel estarão encerrados em Jerusalém finalizando a batalha de Amargedom. Os reis do oriente, o rei do norte, o rei do sul e os reis da confederação ocidental hão de cercar a cidade com a pretensão de aniquilar a nação de Israel. O Rei há de descer para libertar os fiéis, destruir os inimigos e inaugurar o Seu reino. O reino do Senhor há de trazer bênção para o mundo inteiro.

Item 5 Os motivos dos dois estágios são diferentes. No primeiro Ele há de livrar os salvos da ira futuro e levá-los para o Céu, enquanto o segundo estágio há de trazer bênção para Israel oprimido e castigo para os que não conhecem a Deus. Depois da descida o julgamento das nações vivas há de se realizar.

Item 6 O fato tempo tem que ser considerado. O arrebatamento é iminente, isto é, pode acontecer a qualquer momento. Não há profecia, sinal ou palavra a ser cumprida antes do seu acontecimento. Uma séria de sinais há de se 'desenrolar antes da segunda etapa da segunda vinda de Cristo Veja Mat.24 onde se lê de guerras, rumores de guerras e terremotos etc. Essas coisas têm que acontecer antes da Manifestação.

Item 7 Note que a primeira etapa será secreta. Apenas a Igreja há de ser atingida antes do mundo saber. Nenhum não salvo há de ouvir o alarido, voa. de arcanjo nem a trombeta. O segundo estágio, porém, será público. Todo o olho O verá. O Rei será visível no dia da Sua Manifestação.

 

Item 8 A primeira etapa é um "mistério"-não é o assunto de profecias no AT. A segunda etapa é o assunto de muitas profecias do AT.

Item 9 Cristo virá como noivo, Senhor, Sumo Pastor e Salvador no primeiro estágio. No segundo será Guerreiro, Rei e Filho do Homem. Devemos aprender a distinguir os dois etapas.

Item 10 Virá com "Estela da Manhã" no arrebatamento, porém será o "Sol da Justiça" na Manifestação. Como sempre a Estrala da Manhã tem que aparecer antes do Sol da Justiça.

 

O NOSSO COMPORTAMENTO À LUZ DA VINDA DE CRISTO

 

Devemos aproveitar o tempo que resta para servir a Deus. O nosso serviço será avaliado no dia do Tribunal de Cristo.

Aquele que tem essa esperança purifica-se a si mesmo. Santidade, pureza. e castidade devem nos caracterizar já que a vinda de Cristo está tão próxima(1 João 3:3).

Devemos "esperar" (1 Tess. 1:10) o arrebatamento, isto é, devemos ficar olhando para cima na expectativa de nos encontrar com Cristo a qualquer hora.

Devemos vigiar a vinda de Cristo (Mat.25:13).

Devemos negociar até que Cristo venha (Lucas 19:13)

 

A CONSUMAÇÃO DA REDENÇÃO

 

A resposta é realmente encontrada em tudo que temos dito nos estudos anteriores. A vinda novamente do Senhor é simplesmente a Sua própria consumação de tudo aquilo. Para os apóstolos Ele disse, ao deixá-los: ‘Estou convosco...até a consumação dos séculos’ (Mat 28.20). Então, o que é isto que, nesta era, será  consumado no final? Será tudo aquilo que temos dito sobre Ele nessas páginas.

Vamos bem apressadamente passar nossos olhos sobre isto, a fim de ver o resumo de Sua vinda.

A primeira e a última vinda estão claramente unidas em propósito e realização. O primeiro estágio da redenção com o qual estivemos ocupados foi a encarnação do Filho do Homem _ Sua vinda na forma humana a este mundo; e nós indicamos que na encarnação houve três propósitos. Primeiro, a redenção do homem pelo Homem.

O pecado veio pelo homem: pelo Homem o pecado deve sair. Pelo homem vieram as consequências: pelo Homem as consequências devem ser destruídas e afastadas.

Este é todo o ponto de ter Ele se tornado Homem. Segundo, a redenção do homem: a reconstituição do homem, para fazer dele o tipo de homem que Deus planejou, mas o qual ele gravemente deixou de ser. Terceiro, o aperfeiçoamento do homem para a glória. Essas eram as três coisas ligadas à Sua vinda em forma de homem na primeira instância.

A segunda fase foi a Sua vida terrena. Nós a resumimos dizendo que, estando aqui desde o nascimento e infância, até a maturidade como homem, através de cada provação e teste, até o último momento na Cruz, quando o fogo foi aquecido sete vezes, Ele ofereceu a Deus um corpo sem a marca do pecado, ou falha. ‘Um corpo Me preparaste’, disse Ele (Hb 10.5); e, tendo passado por todo tipo de prova, Ele ofereceu o corpo sem mancha, sem qualquer perda da característica espiritual. 

Ele o apresentou a Deus, como uma oferta queimada (Hb 9.14), aceitável a Deus. Ele representou o Homem que Deus procura, do início ao fim, vivendo uma vida que foi absolutamente triunfante sobre tudo aquilo que a humanidade tem carência; e assim, Ele Se tornou o modelo de Homem de acordo com o coração de Deus, o Homem que Deus procura e terá.

 

A TERRA É DO SENHOR

 

Havia algo de grande significado no Filho de Deus, como Filho do Homem, ao colocar os Seus pés sobre esta terra. Num estudo anterior, citamos o salmo 24.

Você observa que ele começa com: ‘A terra e toda a sua plenitude é do Senhor’.

Este é o começo do primeiro verso. O segundo verso começa (v.3): ‘Quem subirá até o monte do Senhor?’ E a resposta vem: ‘Aquele que tem mãos limpas, e um coração puro; que não entrega a sua vida à vaidade, que não jura enganosamente’.

Ele _ Ele é esta Pessoa! Então, o terceiro verso: ‘Levantai as vossas cabeças, ó portais eternos, para que entre o Rei da Glória’. Você percebe o movimento? A terra é do Senhor: e Ele pôs os Seus pés sobre ela, Ele realmente pisou nesta terra.

Ele viveu a Sua vida aqui sem mãos sujas, sem coração impuro, e por isso Ele, e somente Ele, é Aquele que está apto a subir ao monte do Senhor. Porque Ele veio aqui e assim venceu, e assim triunfou, os portais eternos estão totalmente abertos: Ele pode entrar.

Agora o ponto é este. A terra é do Senhor, e Ele pôs os Seus pés aqui, e disse: ‘Esta terra pertence a este tipo de Homem, e o Céu irá atestar isto!’ Este é o significado do salmo 24. E este é o porque, quando Ele viveu a vida, obteve a vitória, e ressuscitou triunfante, disse para os Seus discípulos: ‘Vão por todo o mundo: vão e ponham seus pés em toda a terra, e a requeiram. Ela é minha herança, por direito de criação, por direito de redenção. Vão e coloquem seus pés sobre ela: ela Me pertence. Isto está tudo no curso da redenção’.

A Cruz efetivou esta redenção que foi o propósito da encarnação _ efetivou a redenção da terra sobre a qual Ele pôs os pés e viveu Sua vida triunfante. Por Sua Cruz Ele tomou a terra das mãos do príncipe deste mundo, e a tomou de volta para a Sua possessão de direito. ‘Hoje, disse Ele, ‘o príncipe deste mundo é expulso’ (Jo 12.31).

Na Ressurreição Ele está na possessão disto, e por quarenta dias Ele estabelece o grande fato de que Ele está vivo. Ele está vivo! Ele ‘morreu’: ‘Ele está ‘vivo para todo sempre’. Ele possui as chaves da morte e do inferno’ (Ap 1.18), e Ele estabelece isto no núcleo de Sua Igreja, bem no seu início, para todo sempre. 

E, então, Ele vai para a glória na presença deles, e a coisa toda _ a encarnação com o seu significado, a vida com o seu triunfo glorioso, a Cruz com a sua maravilhosa destruição da obra do Diabo _ a coisa toda é tomada e colocada para fora do alcance de qualquer coisa aqui, homens ou diabo, para que não possam tocá-la. Alterá-la. É colocada no Céu. Você se lembra o que Ele mesmo nos diz sobre o Céu: ‘Lá nem traça nem ferrugem consomem, e onde os ladrões não minam nem roubam’ (Mt 6.200. Está fora do alcance. ‘A vossa vida está escondida com Cristo em Deus’ (Cl 3.3). Está lá em cima; nada aqui pode interferir com ela. Esta é a Ascensão.

O Espírito veio como o Espírito do Cristo glorificado no Céu, enviado para trazer _ potencialmente _ todas essas virtudes do Céu para a terra; para efetivá-las nos crentes para esta dispensação.

A Igreja nasceu como um vaso, o ‘novo homem’. Sejamos cuidadosos, nesta conexão, para que não falemos da Igreja como sendo Cristo encarnado novamente.

O Espírito veio para habitar na Igreja: para fazê-la, como o Corpo de Cristo, Sua cópia, para expressar toda obra que Ele mesmo realizou e levou para a glória. 

 

A SEGUNDA VINDA ATÉ A TERRA

 

Finalmente Ele está vindo novamente! Por quê? Para terminar tudo! Para completar a redenção do homem! Para completar aquilo que Ele veio fazer da primeira vez, em cada esfera. O oitavo capítulo da carta aos Romanos trata dessa consumação da redenção em dois aspectos.

Primeiro, a manifestação, a revelação, dos filhos de Deus (Rm 8.19). Eles têm estado em secreto, têm estado escondido; somente entre as Pessoas da Trindade é conhecido quem é de Cristo; porém eles serão revelados. Esta é a consumação da redenção: o trazer para fora e manifestar os filhos de Deus; tornando-os conhecidos, mostrando-os em glória. Sempre penso que esta é uma palavra muito maravilhosa do apóstolo Paulo aos tessalonicenses neste mesmo ponto: ‘Quando Ele vier para ser glorificado nos Seus santos, e para se fazer admirável em todos os que crêem...’ (2 Ts 1.10). Aí está a conclusão do propósito da Encarnação: redenção, reconstituição, aperfeiçoamento, glorificação, tudo trazido à plenitude em Sua vinda. ‘Maravilhado em todos os que crêem’: esta frase sempre me fascina. O que ela significa? Certamente, todos os observadores, todas as inteligências, quando olharem para os santos, irão dizer: ‘Olhem para eles! Não é Ele maravilhoso?!’ ‘Maravilhado em todos os que crêem’, ‘Quando Ele vier’. É a consumação da obra e do propósito da Encarnação, e a consumação nos crentes de todo o significado de Sua vida terrena.

Mas, então, Romanos 8 toca o outro aspecto da redenção. É-nos dito que ‘toda a criação’ está esperando por esta ‘revelação dos filhos de Deus’, e ‘gemendo e está juntamente com dores de parto até agora’ (v.19,22). ‘A própria criação’, diz o apóstolo, ‘será libertada...’ (v.21). Ele coloca os Seus pés sobre a terra e diz: ‘Ela é minha’. Ele veio a esta terra, viveu nela e triunfou sobre ela, e obteve a vitória por ela e sobre ela; e agora, em Sua vinda, ela é redimida, como a consumação da redenção. ‘A própria criação’ é ‘libertada da corrupção’. Mas não é somente a criação que é libertada. Nossos corpos alcançarão o benefício desta consumação daredenção. ‘Nós mesmos gememos, esperando... a redenção do nosso corpo’ (v.23).

Os corpos físicos dos crentes serão ‘libertados da corrupção’.

Tudo isto é o que Ele veio fazer. Tudo que Ele realizou em Si mesmo, tudo o que foi verdade sobre ele, Ele está agora realizando nos crentes. Sei que essas palavras se aplicam primeiramente à Sua Deidade, contudo há uma segunda aplicação delas: ‘Não era possível que Ele fosse detido pela morte’ (At 2.24); “Tu não permitirás que o Teu Santo veja a corrupção’ (v.27). Porque Ele era o Santo, não foi possível que Ele fosse preso e detido pela morte, porque esta é a pena do pecado. Como digo, primeiramente isto se refere a Ele como o Divino Filho de Deus, incorruptível e sem pecado; porém agora, Ele liberta os crentes do pecado e da corrupção, e conseqüentemente da morte, e realiza neles aquilo que foi verdade Nele próprio. Ele não os está levando para a Deidade, mas pela graça Ele está conferindo a eles todos os valores de Seu próprio triunfo. E isto inclui a redenção física.

Você entende o porque da vinda novamente? Para concluir tudo para o qual Ele veio e tudo o que Ele fez na primeira vinda. E isto não é tudo. Na Cruz, enquanto Ele estava lá tratando de toda questão do pecado _ e em Si mesmo Ele tratou dela de forma plena e final _ Ele estava, muito mais do que isso, tratando com toda a questão de Satanás. Temos procurado enfatizar o fato de que a batalha real da Cruz se deu naquele campo cósmico dos principados e potestades. É lá que a batalha real ocorreu; e foi uma batalha terrível, com cada maligno, sinistro, e coisas das trevas do reino de Satanás. E foi lá que o triunfo total do Senhor Jesus foi vencida. Sua vinda novamente é para tornar este triunfo absoluto, final; para levar a Igreja a gozar o Seu triunfo.

Estamos em batalha; e é muito verdadeiro que, quanto mais você permanece no terreno do Calvário, da Cruz, a furiosa batalha começa. Satanás odeia aquela Cruz. Se você realmente permanecer em espírito no terreno da Cruz, você entra na batalha: ele irá fazer de tudo para tirar você deste terreno. O Senhor Jesus irá voltar simplesmente para por fim em todo este conflito  primeiramente para a Igreja e  então para Israel, do mesmo modo como Ele fez em Si mesmo. Quando Ele voltar, Sua vinda irá acabar de uma vez para sempre com o reino de Satanás, com o reino das trevas. Este é o porque de Sua vinda.

 

A VINDA DO FILHO DO HOMEM

 

Deixe-me apenas enfatizar um ponto novamente: a Sua vinda até a terra  para reinar, é a “vinda do Filho do Homem” (Mt 24.27,37,39). É assim que Ele coloca: ‘a vinda do Filho do Homem’.

O Senhor e as Escritura falam da vinda do Filho do Homem para reinar, não do Filho de Deus. Pois como Filho de Deus Ele virá para a Sua Noiva, a Igreja. Mas sem dúvida, a Igreja participará das atividade e conquistas do Seu Senhor neste manifestação. Na verdade, é o Filho de Deus quem está vindo; porém, você compreende o real sentido aqui. Foi o Homem para o homem, como Homem, ao longo de toda trajetória; e será assim no final. A Encarnação não tem significado se não for o Homem para o homem. A vida terrena não tem significado se não for o Homem para o homem, A Cruz não tem significado se não for o Homem para o homem. O mesmo da ressurreição, o mesmo da ascensão e da entronização: É o Homem na glória.

‘Vemos porém...Jesus’ _ Jesus, este é o Seu título humano _ ‘coroado de glória e de honra’ (Hb 2.9). É o Homem para o homem no Céu. A Igreja é o nascimento de ‘um novo homem’ pelo Espírito Santo, enviado do Céu (1 Pd 1.12b). E a nova vinda é o Homem para o homem: é o Homem consumando tudo em relação ao homem, e o homem entrando em sua herança em Cristo. Toda esta coisa maravilhosa é para o homem _ para você e para mim! Ele está vindo como o Filho do Homem. 

Há coisas imensas ligadas a este título. Este título denota relação com a raça humana: toda obra do Senhor para com a raça humana, e Sua representação da raça humana no Céu. O presente apelo é para os homens, na base de tudo isto. Oh, que paródia de tudo isso surgiu com o ‘natal’! Pense nele à luz do que temos dito sobre a Encarnação, a redenção, a reconstituição e a glorificação do homem: onde isto entra, no natal de nosso tempo? O Diabo simplesmente mudou a coisa toda, e fez dela uma contradição ao seu significado real. Ele a tem usado como um meio de atrair aquele outro homem, o velho homem, para a satisfação de si próprio. E assim em tudo mais _ tem sido dada uma volta errada. Na vinda do Senhor Jesus isto será corrigido.

Porém, nesse meio tempo, Seu apelo a nós _ para o homem _ está neste campo, que Ele veio para a nossa redenção. Ele veio para nos fazer diferente, para nos reconstituir: Ele veio para nos aperfeiçoar segundo a Sua própria imagem: Ele veio  para nos glorificar. Ele mostrou em Sua própria vida aqui que isto pode ser feito. Isto foi feito em um Homem. Pode ser feito, pois Ele o fez. Nos é dito: Para isto o Filho de Deus se manifestou, para destruir as obras do Diabo’ (1 Jo 3.8b). Ele veio para destruir as obras do Diabo, e Ele fez isso na Cruz. Ele está nos chamando para um terreno muito amplo. Tudo isso é redenção: redenção é uma coisa tremenda.

Temos uma grande redenção, porque temos um Grande Redentor. Temos estado pensando sobre o tempo quando Ele vier para dar o último grande toque em tudo isto, para dar o toque final nesta grande redenção _ do homem, da terra, em toda a criação: ‘Quando Ele vier para ser glorificado em Seus santos’ (2 Ts 1.10). 

Creio que falo mais pra mim mesmo, quando digo que parece haver algo no ar que diz que a Sua vinda deve estar próxima. Parece que sentimos que isto não pode estar longe. Como filhos de Deus, nós ‘gememos’ mais do que nunca; e há um gemido aumentando em toda a criação. A angústia nesta criação está ficando quase insuportável. Esta terra precisa de redenção; somente Deus sabe o que irá acontecer a ela, se ela não for redimida. Porém, seja como for, há algo dentro do espírito do verdadeiro filho de Deus que diz que Sua vinda está próxima. É a única esperança _ não há esperança em qualquer outra direção. Todos reconhecem isto, salvos e não salvos. A menos que o Deus Todo Poderoso intervenha, não há esperança para este mundo.

Ah, mas Ele está vindo para intervir! Ele está vindo para intervir em Seu Filho, e existe esperança. E assim o apóstolo fala desta ‘bendita esperança’ _ a ‘bem-aventurada esperança e o aparecimento da glória do grande Deus e nosso Senhor Jesus Cristo; ’ (Tt 2.13). Que o Senhor nos encha com nova alegria na contemplação de Sua vinda que está próxima, para completar tudo o que Ele começou.

Devo contribuir?
Ao receber o Senhor Jesus Cristo como seu Salvador, uma das primeiras coisas que você irá aprender é que Deus é amor. Como resultado disto, você logo perceberá que o amor precisa de uma forma prática para se expressar. Você aprenderá que há uma relação entre amar e dar. Deus é um Deus que nos dá muitas coisas. Amar e dar estão intimamente ligados nas Escrituras. “O Filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim” (Gl 2:20), e “Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito” (Jo 3:16). Continuar Lendo...
Desenvolvido por Palavras do Evangelho.com