Vivendo nos Lugares Celestiais

 

Efésios. 1:3,20; 2:6; 3:10; 6:12; 1:6,9-10; 3:11,21.

 
Meditando na carta aos Efésios, entramos num campo inteiramente novo. É como passar de um mundo para o outro. Em „Coríntios‟ encontramos tudo ligado à terra, de uma forma carnal e almática (vida controlada pela alma), e todas as características que encontramos aí é devido à uma vida cristã terrena. Em „Gálatas‟ encontramos ainda coisas ligadas à terra, porém desta vez numa forma religiosa. Quando passamos para „Efésios‟, as amarras terrenas acabam. A única palavra que governa é „os lugares celestiais‟. É um novo campo com um novo fator de tempo. Passamos das coisas terrenas para as celestiais, e do tempo para a eternidade. Queremos compreender, tanto quanto nos é possível, o que isto significa.
O Efeito Limitador das Coisas „sobre a Terra‟
Podemos, naturalmente, concluir de imediato que, se os nossos horizontes ficam para traz e se esta é a nossa condição, isto pode seguramente significar crescimento espiritual. Mas como? Se quisermos interpretar esta palavra „celestiais‟ de uma forma prática, encontramos a chave no verso 3 do primeiro capítulo da carta _ "...nos abençoou com toda sorte de bênçãos espirituais nos lugares celestiais em Cristo”. Significa que agora, neste campo da vida do cristão, os valores espirituais são preeminentes. Isto é facilmente visto pela comparação com as duas cartas anteriores. Em „Coríntios‟ os valores espirituais não eram realmente preeminentes. Interesses pessoais governavam aí. Tudo era julgado a partir do ponto de vista da vantagem para as pessoas em questão, e do seu efeito sobre elas aqui nesta vida terrena. Até mesmo as coisas espirituais eram puxadas para baixo, os dons espirituais eram arrastados para o campo onde as pessoas podiam tirar proveito elas mesmas.
Na carta de gálatas a mesma coisa é verdadeira, porém do ponto de vista da religião. Tudo é trazido para baixo, para a terra. O Apóstolo coloca o seu dedo sobre o coração da questão quando disse dos judaizantes que estavam capturando os crentes gálatas, pois queriam se gloriar na carne (Gal. 6:13); isto é; a fim de que eles pudessem ser capazes de levantar a cabeça e dizer, „ Vejam quantos convertidos nós temos! Vejam que sucesso é o nosso movimento, quantas pessoas estão se juntando a nós!' E ele coloca isto contra a ofensa da cruz. A ofensa da cruz é que não há nada do que se gloriar na carne. Toda glorificação na carne, até mesmo de forma religiosa, é removida pela cruz. Há uma vida religiosa terrena que quer fazer do cristianismo algo daqui, visto e sentido. É uma „igreja terrena‟.
Somente o Valor Espiritual Conta para Deus
Assim, aqui, quando chegamos à posição de „Efésios‟, somos imediatamente apresentados à preeminência de valores espirituais. É isto o que significa „nos lugares celestiais‟ - como as coisas são vista de cima; não o que elas parecem ser do ponto de vista terreno, não como nós as medimos e as pesamos aqui de baixo, na terra, mas como elas são do ponto de vista do céu, como o Senhor elevado nas alturas as vê. É isto que governa toda esta carta, em cada ponto - valor
espiritual; não números, não o que os homens chamam de sucesso, não todas essas coisas que são de muita importância para as pessoas aqui, mas apenas aquilo que tem valor para Deus; e isto é valor espiritual.
"Tem-nos abençoado com toda sorte de bênçãos espirituais”, ou, mais propriamente e literalmente, “todas as bênçãos do Espírito”. Vimos como Paulo buscava, tanto com os coríntios quanto com os gálatas, levá-los para a posição onde o Espírito era a grande e dominante realidade. Agora aqui esta realidade é trazida plenamente à vista, onde o espiritual importa mais do que qualquer outra coisa. Assim, se quisermos crescimento espiritual, se realmente estivermos indo para esta plenitude maior, teremos que abandonar esses padrões terrenos, e julgamentos e interesses, e chegar à posição onde, afinal de contas, nada mais importa do que o valor espiritual. Até que ponto uma coisa tem valor aos olhos do Senhor? Podemos tomar como certo de que somente o valor espiritual importa para Deus.
Conhecimento de Cristo no Céu, a Medida do Valor Espiritual.
Cristo está no céu. Devemos conhecê-Lo agora apenas de uma forma espiritual, e não mais segundo a carne. Não O conhecemos como os homens se conhecem uns aos outros na terra. Ele verdadeiramente disse: “O mundo não me verá mais, mas vós me vereis" (Jo 14:19). Para o momento, isto levantou uma questão para os discípulos: eles não podiam entendê-Lo. Eles disseram: “Senhor, de onde vem que te hás de manifestar a nós, e não ao mundo?” Eles entenderam isto mais tarde perfeitamente. Cristo somente pode ser verdadeiramente conhecido agora somente de forma espiritual; Ele está no céu. Assim, aqui novamente a grande frase é “nos lugares celestiais em Cristo”; isto é, o grande valor espiritual é Cristo conhecido numa forma espiritual. Crescimento é uma questão de conhecimento de Cristo. “E conhecereis a verdade e a verdade vos libertará”. (Jo 8:32). Paulo tentou fazer os gálatas verem isto. Suas epístolas estão cheias do nome „Cristo‟ - a epístola aos gálatas mais do que qualquer outra.
Formas Terrenas não devem Governar
Agora, a carta aos Efésios começa - não apenas termina - com isto: “...todas as bênçãos espirituais em Cristo”. Isto é, conhecer Cristo de forma espiritual é o caminho do crescimento espiritual; não há outra forma na qual podemos verdadeiramente conhecê-Lo. Assim, em „Efésios‟ encontramos esta idéia do espiritual. O Espírito e “espiritual” ocorrem freqüentemente nesta carta. O toque terreno, temos dito, é severo. Este toque terreno visto na carta aos Coríntios significa divisão - “Eu sou de Paulo, de Apolo, de Pedro”: partidos, círculos, sectarismos, dividindo o Corpo. Este é o aspecto terreno e o toque terreno, e nós sempre entramos nesta área de divisões se tocarmos uns aos outros neste nível terreno. Em „Coríntios‟ e em „Gálatas‟ é - Judeu e Grego, servo e livre, macho e fêmea (Gal. 3:28). Este é o toque terreno, as divisões da vida terrena. Mas „nos lugares celestiais‟ não há toque terreno, e isto resulta em não haver homem terreno. Aqui em „Efésios‟ temos contato com o homem espiritual, Cristo, e, então, com o „novo homem‟. Aqui não há judeu, nem grego: não é Judeu e Grego trazido juntos em amizade; aqui não há servo e livre; aqui não há nenhuma daquelas divisões absolutamente, mas um novo homem em Cristo. "Ele nos fez um, e derrubou a parede de divisão... para criar em Si mesmo dos dois um novo homem”. (Ef. 2:14) Assim, isto espiritualmente e celestialmente significa que conhecemos os crentes somente em Cristo. Nós não os conhecemos por aquilo
que eles são em si mesmos, nem pelo que são religiosamente - se pertencem a esta ou a aquela, ou não pertencem a este ou a aquele. Essas coisas não entram em consideração absolutamente. Conhecemos os irmãos em Cristo, e a medida da nossa unidade prática será a medida de Cristo. Nós vamos até onde podemos com a medida espiritual de cada um; fazemos disso a coisa que governa.
Agora, se temos que nos aprofundar e ampliar na comunhão, devemos crescer em medida espiritual. O crescimento espiritual resultará numa expressão mais plena de comunhão. Este é o ensino desta carta.
O crescimento espiritual, então, é uma questão de se distanciar do nível do velho homem, „das coisas terrenas‟, no sentido dos coríntios - e até mesmo religiosamente, no sentido dos gálatas _ para as coisas celestiais, neste sentido, de modo que Cristo conhecido na forma espiritual seja o terreno onde vivemos. Outras coisas não governam, absolutamente; é o próprio Senhor e as coisas que são espirituais que predominam conosco. Este é o terreno celestial. Há muito mais, naturalmente, nesta carta, porém isto é apenas um começo.
Apenas Valores Espirituais nos Importam
Bem, agora, o que é mais importante para mim? Onde estou vivendo? É neste miserável campo terreno de pessoas e coisas aqui em baixo, ou é no campo de Cristo? É a vida espiritual e os valores espirituais que interessa? Se pudermos nos levantar aí e verdadeiramente dizer „não me importa nem um pouquinho como alguma coisa me afeta pessoalmente; a questão é: - Quanto do Senhor há nisto? Quanto pode haver para Ele? Eu não sou influenciado pelo relacionamento com as pessoas aqui em baixo; tomo o campo mais elevado dos lugares celestiais e os encontro, não como isto, aquilo ou alguma coisa mais de acordo com a designação terrena, mas eu os encontro em Cristo, o novo homem‟.
Naquele nível não há nada que impeça o crescimento espiritual. A medida espiritual não é uma questão relacionada aqui em baixo, mesmo que para o Senhor - seu sucesso, seu apoio, - mas apenas quanto se está respondendo ao pensamento pleno de Deus de uma forma espiritual. É isto o que importa, e isto é um terreno espiritual. Nós bem sabemos que se as pessoas estiverem mais preocupadas com a manutenção de alguma coisa para o Senhor nesta terra - manter as coisas caminhando, construir, fazer que sejam bem sucedidas - essas pessoas estão num campo de limitação espiritual, e enquanto elas não forem completamente libertas de tais considerações com apenas uma questão. Até que ponto isto está respondendo à mente plenamente revelada do Senhor? E se não forem governadas somente por isso, não pode haver real progresso e crescimento espiritual. Não é verdade?
E é impressionante que as pessoas que estão realmente amarradas com alguma coisa - alguma organização, alguma obra, alguma sociedade, alguma missão, alguma instituição - mesmo que seja para o Senhor com toda sinceridade - se este for o horizonte dessas pessoas, se isto constituir o mundo delas, elas estão limitadas espiritualmente. Elas irão até um certo ponto espiritualmente, não mais. Estão amarradas às suas próprias cercas terrenas, as cercas de algo em particular. Saia dessas coisas, vá para a vastidão eterna de Deus, do propósito eterno, e verá que todas as cercas vem abaixo e o crescimento espiritual toma lugar. É a única forma.
O que o Senhor procura? Não apenas coisas boas para Ele mesmo, embora sejam boas; Ele procura nada menos do que a grande síntese de todas as coisas que está em Cristo.
Efésios. 1:10

Por Theodore Austin-Sparks

 

 

Devo contribuir?
Ao receber o Senhor Jesus Cristo como seu Salvador, uma das primeiras coisas que você irá aprender é que Deus é amor. Como resultado disto, você logo perceberá que o amor precisa de uma forma prática para se expressar. Você aprenderá que há uma relação entre amar e dar. Deus é um Deus que nos dá muitas coisas. Amar e dar estão intimamente ligados nas Escrituras. “O Filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim” (Gl 2:20), e “Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito” (Jo 3:16). Continuar Lendo...
Desenvolvido por Palavras do Evangelho.com