O Rei da Selva

Em 1881, Fred Arnot partiu para a África, quando tinha apenas 23 anos.

 

Certa ocasião, quando ele navegava de canoa pelo Rio Zambézia, viu muitos animais diferentes, alguns lindos, outros ferozes. Mas o que o Fred mais queria era levar as boas novas de salvação aos povos que nunca tinham ouvido. Embora apreciando a   beleza por todo o lado, Fred não podia se esquecer das palavras do Rei Liwanika. O rei tratava bem o missionário e deu-lhe permissão de morar entre seu povo, mas impôs um limite no que Fred podia ensinar.

 

Ele disse: "Não é possível que um pobre escravo que aceita esta mensagem possa sentar no palácio de Deus enquanto um grande rei como eu esteja no lado de fora". O Rei Liwanika não queria ouvir a mensagem.

 

Fred tentou mostrar-lhe que a mensagem era a verdade da Palavra de Deus e não uma invenção sua. Mas o rei não se convenceu. Como é triste quando alguém não quer aceitar a mensagem do Evangelho. 

 

De repente, ainda da canoa, Fred viu umas crianças e logo levou-a para onde podia desembarcar. Como era seu costume, ele abriu a Bíblia e começou a ensinar-lhes a respeito do amor de Deus. As crianças escutavam com atenção, e Fred gostava tanto de ensinar-lhes, mas cada vez que o fazia o Rei Uwanika o atacava. Como é que o rei podia ser tão orgulhoso, acreditando que suas idéias eram mais importantes que a Palavra de Deus. Fred se lembrou que somente Deus podia mudar o coração do rei e orou que assim fizesse.

 

A próxima vez que Fred retornou à aldeia de Lealui, o Rei Liwanika o estava esperando. Ele tinha mudado de idéia. Agora preparou-lhe uma cabana no centro da aldeia e tinha um presente para ele. Escutava com respeito a mensagem e deixou seu povo escutar. Fred podia explicar como reis e escravos poderiam habitar juntos no palácio de Deus.

 

A salvação não é para pessoas que se acham melhores que os outros, mas para todos que compreendem que são pobres pecadores e se arrependem. Tanto o rei como o escravo têm de se salvar na qualidade de pobres pecadores perdidos. Deus tem um só plano de salvação para todos. A porta é uma só: Disse o Senhor Jesus: Disse: Eu Sou a porta; se alguém entrar por mim salvar-se-á" (João 10:9).

 

 

QUANTO PESA O PECADO?
 
O seguinte diálogo ocorreu entre duas pessoas, um jovem e um pregador que estava anunciando o Evangelho numa rua.
 
- O senhor fala da carga do pecado!
Afinal de contas, quanto pesa o pecado? Vinte quilos? Duzentos quilos?
O pregador respondeu com outra pergunta:
- Diga-me, se pusesses um peso de oitocentos quilos no peito de um morto ele o sentiria?
- Não, porque está morto - respondeu o Jovem.
- Pois a pessoa que não sente o peso do seu pecado está morta espiritualmente - respondeu o pregador.
 
A Bíblia, a Palavra de Deus dirigi da ao homem, declara que todos estão mortos em ofensas e pecados, mas muitas pessoas não percebem sua condição. "Ele (Jesus) vos deu vida, estando vós mortos em ofensas e pecados, em que noutro tempo andastes segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe das potestades do ar, do espírito que agora opera nos filhos da desobediência, e éramos por natureza filhos da ira, como os outros também" (Efésios 2:1-3).
Muitas pessoas não sentem o peso de seus pecados e por isso ignoram completamente o perigo em que estão.
Écomo o caso do homem gravemente doente e sofrendo intensa dor. Quando, de repente, a dor cessa, sente-se melhor e pensa que logo ficará bom. O médico diz que não. Sabe que o estado crítico já começou e que a morte é inevitável.
 
Logo virá o fim.
 
Será este o seu diagnóstico espiritual, amigo leitor? Você não sente o peso dos seus pecados?
Não tem a mínima preocupação em relação ao seu futuro eterno? Isto é alarmante. Desperte, antes que seja tarde demais!
Porém, talvez já tenha despertado para o fato que é pecador e que precisa vir ao encontro com Deus. Neste caso, alegre-se porque Deus, considerando a sua necessidade, preparou um Salvador na pessoa de Seu Filho, o Senhor Jesus Cristo.
 
Repare nestas palavras consoladoras:
 
"Deus prova o seu amor para conosco, em que Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores". (Romanos 5:8)
Nossos pecados merecem Seu castigo, mas a mensagem do Evangelho diz que o Senhor Jesus é o Substituto que sofreu pelos pecados de todos os que n'Ele crêem. Por isto lemos: "Portanto agora nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus" (Romanos 8:1).
 
Disse Jesus: "Quem ouve a minha palavra e crê naquele que me enviou, tem a vida eterna, e não entrará em condenação, mas passou da morte para a vida" (João 5:24).
 
"Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o Seu Filho unigênito, para que todo aquele que n'Ele crê não pereça, mas tenha a vida eterna". (João 3:16)
 
 
Ninguém nega que Cristo morreu; toda crença admite o fato histórico do Calvário; judeus, católicos, protestantes, ortodoxos, sabatistas - todos concordam que Cristo foi crucificado. Porém a significação daquela morte, e o seu valor para o pecador quanto à sua salvação - estes são os motivos para controvérsias e contenda entre todas as seitas e religiões da humanidade. Todavia, a Bíblia Sagrada esclarece-nos tudo, e embora ser profundo o assunto, porei em poucas palavras alguns pontos elementares que todo pecador precisa saber.
 
Primeiramente, vemos que a morte de Cristo foi um SACRIFÍCIO. Do ponto de vista puramente humano, ela foi o assassínio vil e cruel dum homem inocente. Mas através de tudo, houve um propósito divino: lemos que "sem derramamento de sangue não há remissão (de pecados)", Cristo uma vez por todas se manifestou, para aniquilar o pecado pelo sacriflcio de si mesmo", Ele "por Seu próprio sangue entrou no Santuário, tendo efetuado uma eterna redenção" (Hebreus 9: 12,22,26). Também diz: "O sangue de Cristo, que pelo Espírito eterno se ofereceu a si mesmo a Deus, purificará as vossas consciências das obras mortas para servirdes ao Deus vivo; por isso Ele é o mediador do Novo Concerto" (Hebreus 9: 15).
 
Assim vemos que Jesus, pelo sacrificio de Si mesmo, abriu um novo e vivo caminho que nos dá entrada diretamente à presença de Deus. Notando, então, que a morte de Cristo foi um sacrifício, examinemos a natureza desse sacrifício:
 
1 - O sacrifíco era PENAL. O pecado é ofensa contra Deus, e tem que ser punido. "O salário do pecado é a morte". Mas lemos que aquele que não conheceu pecado, Deus O fez pecado por nós" (fi Coríntios 5:21).
Na cruz vemos a ira divina derramada em juizo contra o pecado. No Calvário o pecado foi castigado e expiado na pessoa do Filho de Deus. Que mistério de amor divino! O Filho de Deus fez-se pecado e sofreu a pena do pecado, para que pudéssemos evitar as terríveis consequências do nosso mal. "Ele sofreu, o Justo pelos injustos, para levarnos a Deus" ...(1 Pedro 3: 18). "Ele mesmo levou os nossos pecados sobre o madeiro" ... (I Pedro 2:24)."0 Senhor fez cair sobre Ele a iniqüidade de nós todos" (lsaías 53:6). 
 
2 - A morte do Senhor Jesus Cristo foi VOLUNTÁRIA. Ele disse "Dou a minha vida pelas ovelhas; ninguém a tira de Mim, mas Eu de Mim mesmo a dou; tenho poder para a dar, e poder para tomar a tomá-La". Não tendo Ele pecado, não precisava morrer, porém Ele entregou-se à morte para nos salvar. A prova disto é a Sua ressurreição.
 
3 - A Morte do Senhor Jesus Cristo foi PROPOSITADA. Deliberadamente escolheu morrer.
Nasceu para que morresse. Veio ao mundo com as palavras: "Venho para fazer a Tua vontade, ó Deus", e sabia que aquela vontade era que Ele morresse. Os homens nascem, e por causa do seu pecado tem que morrer; mas Cristo, vindo do céu, nasceu neste mundo para que pudesse morrer pelos nossos pecados. Amor incompreensível!
 
4 - A morte do Senhor Jesus Cristo era uma NECESSIDADE para nós. Disse Ele: "Importa que o Filho do homen seja levantado (na cruz)" (João 3: 14). Os homens, em Adão estão "mortos em ofensas e pecados" (Efésios 2: 1); ora, remédio nenhum pode curar um morto; a única possibilidade para tal é a re-criação. Disse Jesus: "Necessário vos é nascer de novo" (João 3:7). Eis a grande necessidade humana, e só a morte de Cristo podia suprí-La. Não há salvação fora do novo nascimento, não há novo nascimento fora da morte de Cristo. O Calvário é o grande milagre da graça de Deus.
 
5 - A morte do Senhor Jesus Cristo foi uma OBRA CONSUMADA - uma obra perfeita que nunca poderá nem precisará ser repetida. "Cristo, havendo oferecido um único sacrifíciopelos pecados, assentou-se para sempre à direita de Deus" (Hebreus 10:12). A obra que Ele consumou no Calvário traz a salvação eterna para todo pecador que crê; ali foi satisfeita ajustiça divina, e Deus, na base daquela expiação, oferece agora gratuitamente, a vida eterna a toda pessoa que quer aceitá-Ia de Suas mãos na qualidade de um pecador perdido. No Seu infinito amor, Deus perdoa, salva e abençoa ao pecador que, sem mérito seu, crê no Filho e confia na obra de Cristo na cruz. "O salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna, por Cristo Jesus nosso Senhor" (Romanos 6:23).
 
"Crê no Senhor Jesus Cristo e serás salvo" (Atos 16:31).
 
"Aquele que crê no Filho tem a vida eterna; mas aquele que não crê no Filho não verá a vida, mas a irade Deus sobre ele permanece" (João 3:36).
 
 
 
 
Devo contribuir?
Ao receber o Senhor Jesus Cristo como seu Salvador, uma das primeiras coisas que você irá aprender é que Deus é amor. Como resultado disto, você logo perceberá que o amor precisa de uma forma prática para se expressar. Você aprenderá que há uma relação entre amar e dar. Deus é um Deus que nos dá muitas coisas. Amar e dar estão intimamente ligados nas Escrituras. “O Filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim” (Gl 2:20), e “Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito” (Jo 3:16). Continuar Lendo...
Desenvolvido por Palavras do Evangelho.com