O CORPO DO CRENTE

 Precisamos saber o lugar que Deus reservou para o nosso corpo

físico, em seu plano e em seu propósito. É impossível negar que existe
uma relação entre o corpo e a espiritualidade. Além do espírito e da alma,
temos também um corpo. Não importa que a intuição, a comunhão e a
consciência do nosso espírito estejam perfeitamente saudáveis, ou que a
emoção, a mente e a vontade da nossa alma estejam totalmente renovadas.
Nosso corpo também precisa estar são e restaurado, do mesmo modo que
o espírito e a alma. Se isso não acontecer, nunca alcançaremos a condição
de cristãos espirituais, nem seremos aperfeiçoados. Pelo contrário,
estaremos continuamente incorrendo em algum erro. Devemos atender
aos impulsos interiores, mas sem negligenciar nosso lado físico. Se
cometêssemos tal disparate, sofreríamos muito.
O corpo é necessário e importante; do contrário, Deus não teria
criado o homem com um corpo. Examinando atentamente as Escrituras,
vemos que a Bíblia fala muito sobre ele. Isso mostra o valor que Deus dá
ao nosso corpo. O mais extraordinário de tudo é que o Verbo se fez carne.
O Filho de Deus assumiu um corpo de carne e sangue e, embora tenha
morrido, continua a ter "essa vestimenta" para sempre.
O ESPÍRITO SANTO E O CORPO
Em Romanos 8.10-13, vemos qual ê a condição do corpo, como o
Espírito Santo o ajuda, e qual deve ser nossa atitude para com ele. Se
aplicarmos esses versículos à nossa vida, teremos um entendimento
correto do lugar que o nosso corpo ocupa no plano redentor de Deus.
"Se, porém, Cristo está em vós, o corpo, na verdade, está
morto por causa do pecado, mas o espírito é vida, por causa
da justiça." (V 10.)
Inicialmente, tanto nosso corpo quanto nosso espírito estavam
mortos. Contudo, quando cremos no Senhor Jesus, nós o recebemos para
ser nossa vida. Através do Espírito Santo, Cristo vive no crente. Esse é um
dos princípios essenciais do evangelho. Cristo habita em todo crente,
mesmo naqueles que são fracos. E este Cristo é a nossa vida. Quando ele
vem fazer morada em nós, vivifica nosso espírito. Antes, tanto o espírito
quanto o corpo estavam mortos. Agora o espírito foi vivificado; apenas o
corpo permanece morto. A condição comum a todo crente é um corpo
morto com um espírito vivo.
Essa experiência revela a enorme diferença entre o estado interior do
cristão e o exterior. Em nosso ser interior flui vida, ao passo que o homem
exterior está cheio de morte. Cheios do Espírito de vida, estamos bem
vivos. Todavia existimos numa "casca" de morte. Em outras palavras,
existe uma diferença radical entre a vida do espírito e a vida do corpo. A
vida do espírito é de verdade; a do corpo, morte real. Isso se dá porque
nossa constituição física é ainda o "corpo do pecado". Por mais avançado
que seja o nível espiritual de um cristão, sua carne continua sendo o
"corpo do pecado". Um dia ainda teremos uma constituição ressurreta,
gloriosa e espiritual, "a redenção do nosso corpo" (Rm 8.23) que se dará no
futuro. O corpo que hoje temos não passa de um "vaso de barro", de um
"tabernáculo" terreno, de um "corpo de humilhação" (2 Co 4.7; 5.1; Fp
3.21). O pecado foi expulso do espírito e da vontade, mas não foi eliminado
do corpo. E é a permanência do pecado que faz com que o corpo
esteja morto. Esse é o sentido do texto que afirma que o nosso "corpo, na
verdade, está morto por causa do pecado". Simultaneamente, porém,
nosso espírito vive. Ou melhor, nosso espírito recebe vida por causa da
justiça que há em Cristo. Quando confiamos nele, nós o recebemos como
nossa justiça, e assim Deus nos justifica. Num primeiro momento, Cristo
nos comunica seu próprio ego (uma transação efetiva). Depois Deus nos
justifica por causa de Cristo (uma transação legal). Se Cristo não
comunicar sua justiça, não pode haver justificação. No momento em que
recebemos a Cristo, obtemos a justificação diante de Deus e desfrutamos
ainda a experiência viva de Cristo haver comunicado a nós sua justiça.
Cristo entra em nós como vida, a fim de vivificar nosso espírito morto. E
isso que significam as palavras: "o espírito é vida, por causa da justiça".
"Se habita em vós o Espírito daquele que ressuscitou a Jesus
dentre os mortos, esse mesmo que ressuscitou a Cristo Jesus
dentre os mortos vivificará também o vosso corpo
mortal, por meio do seu Espírito, que em vós habita." (Rm8.11.)  LER MAIS...

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Devo contribuir?
Ao receber o Senhor Jesus Cristo como seu Salvador, uma das primeiras coisas que você irá aprender é que Deus é amor. Como resultado disto, você logo perceberá que o amor precisa de uma forma prática para se expressar. Você aprenderá que há uma relação entre amar e dar. Deus é um Deus que nos dá muitas coisas. Amar e dar estão intimamente ligados nas Escrituras. “O Filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim” (Gl 2:20), e “Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito” (Jo 3:16). Continuar Lendo...
Desenvolvido por Palavras do Evangelho.com