O Caminho da Cruz

“Na verdade, na verdade vos digo que, se o grão de trigo, caindo na terra não morrer, fica ele só, mas, se morrer, dá muito fruto. Quem ama sua vida perdê-la-á, e quem, neste mundo, aborrece a sua vida, guardá-la-á para a vida eterna. Se alguém me segue, siga-me; e, onde eu estiver, ali estará também o meu servo. e, se alguém me servir, meu Pai o honrará .”
( João 12: 24-26)

Oremos:
Pai celestial, nossos corações vão a Ti em adoração e louvor. Te louvamos e te agradecemos por saber que estás aqui conosco. Estamosem Tua presença e confiamos no Teu Santo Espírito para vivificar Sua palavra em nossos corações, de maneira que verdadeiramente ela possa ser vida e espírito para nós, para o louvor da Tua glória. Te oferecemos este tempo em Tuas mãos e confiamos no Senhor para fazer aquilo que desejas fazer em cada um de nós. Em nome do nosso Senhor Jesus.
Amém.

A cruz não é apenas um ato - algo que aconteceu na história uma vez e para sempre - mas a cruz é também um caminho que temos que seguir por toda a nossa vida.
A cruz não é apenas a porta para vida, mas também o caminho da vida. É um fato histórico que há dois mil anos, de uma vez e para sempre, nosso Senhor Jesus foi para cruz. Mas também sabemos pela palavra de Deus que nosso Senhor Jesus, na verdade, é o Cordeiro imolado desde a fundação do mundo. Apesar da crucificação ter acontecido em apenas um certo ponto no tempo, no que se refere ao nosso Senhor, Ele já estava seguindo o caminho da cruz desde a fundação do mundo.
Para conhecer o caminho da cruz, primeiramente precisamos saber o significado da cruz. Qual é o significado maligno da cruz? O que é a cruz na verdade? Paulo disse:
"Mas nós pregamos a Cristo crucificado. .." (veja 1 Coríntios 1:23). Existem dois aspectos com relação ao centro do universo. Um aspecto é visto do propósito eterno de Deus, e este é: o centro do universo é Jesus Cristo - a pessoa de nosso Senhor Jesus, filho de Deus, filho do Homem. Há mais um outro aspecto a respeito deste centro. É o do ponto de vista da redenção e este centro está nEle, Jesus, crucificado - a cruz. A cruz significa Ele crucificado. Em outras palavras, a cruz não é algo fora de você, separado de você, que é colocado para a morte. A cruz é onde a própria pessoa é condenada à morte. Satanás fez uma observação bem clara ao dizer: "Pele por pele e tudo quanto o homem tem dará pela sua vida” (Jó 2:4). E como isso é verdade. Estamos dispostos a desistir de tudo, mas não de nós mesmos.
Queremos salvar a nós mesmos na mesma medida em que estamos dispostos a abrir mão de tudo, se pudermos salvar a nós mesmos. E é nisto que a cruz não agrada. Por que as pessoas ficam ofendidas pela cruz? É porque ela exige a nossa própria vida. Isto é uma coisa terrível e é por isso que a cruz é algo que nós, naturalmente, tentaremos evitar.

O CORDEIRO MORTO

Nosso Senhor Jesus tinha seguido o caminho da cruz desde a fundação do mundo.
Ele era o Cordeiro morto desde a fundação do mundo (veja Apocalipse 13:8). Acho que precisamos fazer uma distinção. Ele não é o Cordeiro antes da fundação do mundo, como algumas vezes cantamos em nossos cânticos. Na verdade as Escrituras nunca colocam isto dessa forma.
Ele é o Cordeiro morto desde a fundação do mundo, porque antes da fundação do mundo existe o propósito eterno de Deus e é o Filho que está em vista. "Desde a fundação do mundo" se refere ao conselho de Deus, ou seu plano. Deus, ao ver que o homem que Ele criou iria cair, fez uma provisão mesmo antes de Ele ter criado o homem. Desde a fundação do mundo Ele já tinha feito a provisão, e a provisão era o Cordeiro. Assim, o Cordeiro foi morto desde a fundação do mundo e não antes da fundação do mundo.

A CRUZ DEMONSTRADA EM ENCARNAÇÃO

Ele esvaziou-se a si mesmo
Na plenitude dos tempos, Deus enviou seu Filho ao mundo. Essa encarnação é um passo tremendo do Nosso Senhor Jesus, o Filho de Deus, tomando o caminho da cruz.
Em Filipenses, capítulo 2, diz: Ele, que sendo em forma de Deus, quer dizer, o Filho de Deus. Ele é igual a Deus. Isso não era algo a que Ele tinha que se ater, porque isso é o que Ele é. Essa qualidade é sua. Ele é um com o Pai desde a eternidade. Porém, Ele esvaziou-se a si mesmo, tomando forma de servo; fazendo-se semelhante a homens.
Pense nisto: Ele - sendo Deus, tendo a forma de Deus - esvaziou-se a si mesmo. A forma de servo mencionada no versículo significa "realidade interior". Ele tem a realidade interior de Deus, porque Ele é Deus. Como Deus, Ele tem tudo para si. Mas
por causa do seu amor por nós, Ele se esvaziou a si mesmo. Claro que Ele não pode se esvaziar da sua divindade, é impossível. Mesmo quando estava na terra como homem, Ele ainda era Deus. Mas Ele esvaziou-se a si mesmo de toda glória, honra e majestade que o envolvia como Deus. Ele negou-se a si mesmo, de todas estas coisas.
Ele negou-se a si mesmo Deus precisa negar-se a si mesmo? Pode Deus negar-se a si mesmo?
Por um lado ele não pode porque em 2 Timóteo diz: Se formos infiéis, Ele permanece fiel; não pode negar-se a si mesmo (2: 13). Deus, sendo Deus, é sempre fiel a si mesmo, assim, por um lado, Ele não pode negar-se a si mesmo. Mas, por um outro lado, por causa do seu amor por nós, Ele estava disposto a colocar isto de lado e abrir mão dos direitos que corretamente são seus como Deus. Ele estava disposto a deixar todas estas coisas, e isto significa negar-se a si mesmo.
Ele tomou a forma de servo Deus, sendo Deus, é soberano. Ele tem todos os direitos. Nós não temos direito de questioná-lo. Ele não precisa responder às questões de ninguém, porque Ele é Deus.
Mas, aqui você vê que o nosso Senhor Jesus esvaziou-se a si mesmo. Ele desistiu de todo o direito que lhe pertencia e tomou a forma de servo. Por mais humildes que sejamos como seres humanos, temos alguns direitos e quantas vezes nós nos levantamos em defesa deles. Mas, um escravo é uma pessoa que não tem absolutamente nenhum direito. Ele não tem direito nem à vida. Pense nisto: o Filho de Deus, que tem todo o direito, abriu mão do seu direito como Deus e se tomou um servo verdadeiro, sem quaisquer direitos, nem mesmo à própria vida. Que esvaziar-se!! Esse é o caminho da cruz, demonstrado em carne.

O HOMEM PERFEITO

A palavra de Deus nos diz como Ele, sendo igual ao homem, viveu nesta terra. O evangelho segundo João, nos conta, repetidamente, a respeito desse Homem. Por exemplo, em João capítulo 5, Jesus disse: Na verdade, na verdade vos digo que o filho por si mesmo não pode fazer coisa alguma, se o não vir fazer ao Pai, porque tudo quanto ele faz, o Filho o faz igualmente. (v 19). E novamente Ele disse: Eu não posso de mim mesmo fazer coisa alguma; como ouço, assim julgo, e o meu juízo é justo, porque não busco a minha vontade, mas a vontade do Pai, que me enviou (v 30). Em João capítulo 7, ele disse: Subi vós a essa festa; Eu não subo ainda a essa festa porque ainda o meu tempo não está cumprido (v 8). João capítulo 8: Nada faço por mim mesmo; mas falo como o Pai me ensinou (v 28). Aqui está o Homem; Ele negou-se a si mesmo por completo. Com certeza Ele poderia ter feito várias coisas como ser humano, especialmente Ele que era um homem perfeito. Com certeza Ele poderia ter dito muitas coisas, muito mais do que podemos dizer, mas Ele negou-se a si mesmo. Ele disse: Eu não posso dizer nada nem fazer nada. Tudo que digo é a respeito do que Eu tenho ouvido. Tudo o que faço é o que o meu Pai está fazendo.
Ele venceu a tentação.
Você pensa que, pelo fato de Ele ter sido um homem perfeito, nosso Senhor Jesus não foi tentado em nada? Com certeza, como homem Ele foi tentado, e a palavra diz que Ele foi tentado em todas as coisas, mas não pecou (veja Hebreus 4:15). Com toda tentação pela qual um ser humano pode passar, nosso Senhor Jesus foi tentado. Ele aprendeu a obediência por aquilo que padeceu (Hebreus 5:8). Às vezes pensamos que nosso Senhor Jesus, mesmo tendo sido homem, e tão perfeito, com certeza nunca tenha passado pelas coisas que passamos, mas não é verdade. Quando o nosso Senhor Jesus esteve na terra, ele foi um homem perfeito e, como homem, foi tentado em todas as coisas, muito mais do que nós.
Antes de Ele ter saído para o ministério, após o seu batismo, Ele foi levado pelo Espírito Santo ao deserto e lá foi tentado por Satanás, e como foi tentado! Nas três tentações que são registradas, Ele foi tentado como homem física, mental e espiritualmente. Fisicamente porque teve fome após quarenta dias e noites em jejum e, naturalmente, Ele sentiu fome. Assim o tentador veio a Ele e disse: "Se és o Filho de Deus, manda que estas pedras se transformem em pães e satisfaça sua fome".
Mas nosso Senhor Jesus negou-se a si mesmo. Então Satanás o levou a um lugar alto, a o pináculo do templo e disse: "Se tu és o Filho de Deus, atira-te, então todos saberão que vieste do céu. Não precisas ir a cruz e poderás ser coroado". Mas nosso Senhor Jesus negou-se a si mesmo. Mais uma vez Ele foi levado a um alto monte e a Ele foram mostradas todas as riquezas do mundo e Satanás disse: "Dar-te-ei tudo isso se prostrado me adorares". O Senhor disse: "Satanás, retira-te. Ao Senhor teu Deus adorarás e só a Ele darás culto" (veja Mateus 4: 1-11). Jesus foi tentado física, mental e espiritualmente, mas Ele venceu.
Ele negou-se a si mesmo emocionalmente
À medida que você lê os evangelhos, descobre que, como homem, durante toda a vida, Ele negou-se a si mesmo, todo o tempo. Ele tomou a cruz em sua vida emocional.
Apesar da crucificação ter acontecido por último, a marca da cruz já era percebida em Cristo há muito tempo. Por toda a sua vida na Terra, Ele tomou o caminho da cruz e emocionalmente ele negou-se a si mesmo. Quando sua mãe disse-lhe, esperando por um milagre: "Não há mais vinho", nosso Senhor Jesus disse: "Mulher, meu tempo não é chegado ainda" (veja João 2:5). Quando Ele estava ocupado servindo, sua família estava esperando lá fora e avisaram-no que sua família queria vê-lo. O que disse o nosso Senhor? Ele olhou em volta e disse: "Quem são minha mãe, irmãos e irmãs? Aqueles que fazem a vontade de Deus" (veja Mateus 12:46-50). Mesmo seus irmãos de sangue não acreditaram nEle e disseram: "Não te escondas neste lugar pequeno. Vá a Jerusalém para a festa para mostrar-te ao povo". Mas o Senhor disse: "Meu tempo ainda não chegou" (veja João 7: 1-8). Emocionalmente, nosso Senhor Jesus sempre negou-se a si mesmo.
Ele negou-se a si mesmo mentalmente
Mentalmente, aconteceu a mesma coisa. Após a multidão ter recebido os cinco pães e os dois peixes e terem sido satisfeitos, eles quiseram fazê-lo rei. Que tentação deve ter sido! Mesmo seus discípulos quiseram que nosso Senhor Jesus fosse rei e Ele
teve que mandá-los embora. Depois, Ele despediu a multidão e foi ao monte para orar.
Irmãos e irmãs, deve ter sido um luta mental terrível naquele momento. Pense nisso:
como ser humano você tem a oportunidade de ser rei e recusa.
Nosso Senhor Jesus disse algo muito difícil quando falou: "Quem come a minha carne e bebe o meu sangue permanece em mim, e eu, nele..." (veja João 6:53-58).
Quando todos aqueles que antes tinham sido alimentados e o estavam seguindo ouviram esta palavra, eles disseram que era muito pesada. A multidão não só o deixou como muitos de seus discípulos o abandonaram. O Senhor virou para os doze e disse: ''Vocês também querem ir? Se quiserem vocês podem" (veja João 6:67). Que negação da mente!
A vida de nosso Senhor Jesus com seus discípulos era muito difícil. Muitas vezes Ele tentou dizer algo a seus discípulos e eles não o ouviram, eles o interpretavam mal, completamente. Isso dever ter sido uma limitação muito grande e difícil para nosso Senhor Jesus. Como Ele deve ter se sentido limitado pelo fato de seus discípulos não conseguirem entendê-lo. Agora, irmãos e irmãs, vocês querem que as pessoas lhe entendam? Se vocês tentam, tentam e as pessoas não lhes entendem, o que vocês pensam? Vocês sentem-se frustrados ao ponto de desistirem? Mas o Senhor Jesus ficou com os doze por três anos e mesmo no final eles não o entenderam. Que paciente Ele era com eles! Ele deve ter sofrido mentalmente.
Ele negou Sua vontade
No capítulo 12 do Evangelho de João, vemos alguns gregos que queriam vê-lo.
Humanamente falando, iríamos dizer que não só os judeus, mas agora os gregos queriam vê-lo. Este deve ter sido seu tempo mais glorioso. Mas o Senhor disse: "Na verdade, na verdade vos digo que, se o grão de trigo, caindo na terra, não morrer, fica ele só; mas se morrer, dá muito fruto" (veja João 12:24). Depois, Ele, em sua alma, disse: "Agora a minha alma está perturbada; e que direi Eu? Pai, salva-me desta hora; mas para isso vim a esta hora".
Depois, Ele entrou no jardim do Getsêmani com os onze discípulos.
Ele deixou os oito e levou três consigo e pediu a eles que vigiassem com Ele por um momento. A Bíblia diz que Ele se entristeceu muito na sua alma. Ele estava deprimido. Você pode ter pensado que o nosso Senhor Jesus nunca experimentou depressão, mas a Bíblia diz que Ele ficou muito entristecido e deprimido. Ele continuou e disse: "Meu Pai, se é possível, afasta de mim este cálice, todavia, não seja como Eu quero, mas como tu queres". Ele negou sua vontade para fazer a vontade do Pai.

O CHAMADO PARA SEGUÍ-LO

Nosso Senhor Jesus negou-se a si mesmo durante toda sua vida, andando pelo caminho da cruz o qual foi terminar no Calvário. Lá Ele foi crucificado e morreu por nós.
Agora Ele está nos chamando para o seguirmos. Ele passou por todo o caminho da cruz até que finalmente foi crucificado. Agora Ele nos chama para o seguirmos. A diferença é que Ele seguiu o caminho da cruz e terminou na cruz do Calvário e nós começamos na cruz de Cristo e só então começamos a seguir o caminho da cruz.
Irmãos e irmãs, nunca seremos capazes de ir pelo caminho da cruz a não ser que primeiramente vejamos o que é a cruz de Cristo. Sem saber o significado da cruz do nosso Senhor Jesus e sem receber a mensagem da cruz, não teremos o incentivo e o
poder para seguir o caminho da cruz. É impossível. Por isso temos que começar nossa vida na cruz de nosso Senhor Jesus. Lá na cruz sabemos que nossos pecados estão perdoados. Lá estamos separados do mundo, somos libertos do poder do pecado. Vemos a vitória de Cristo sobre todos os poderes das trevas. Só quando recebemos a cruz de Cristo em nossas vidas é que descobrimos que, por um lado, ficamos constrangidos pelo amor de Cristo e, por outro lado, seremos fortalecidos pelo poder do Espírito Santo.
"Porque o amor de Cristo nos constrange, julgando nós assim: que. se um morreu por todos. logo. todos morreram. Ele morreu por todos, para que os que vivem não vivam mais para si, mas para Aquele que por eles morreu e ressuscitou". 2 Coríntios 5: 14-15.
Começaremos na cruz de Cristo - constrangidos por seu amor, poderosos pela sua força - e lá iremos tomar nossa cruz e seguir nosso Senhor. Lembro que o Dr. Murray uma vez disse: "A cruz de Cristo nos carrega para que possamos carregar nossa
própria cruz". Em outras palavras, o poder para carregarmos nossa cruz vem da cruz de nosso Senhor Jesus.

O SENTIDO CENTRAL DA CRUZ

Preciso Ser Crucificado
Gostaria de ler para vocês algo escrito por uma certa autora, porque acho que ela conseguiu colocar isso de uma maneira bonita e clara que eu não conseguiria colocar.
Temos falado da cruz e de nossa morte para o pecado conforme Romanos 6; a respeito da cruz e de nossa morte para o mundo conforme Gálatas 6; e algumas vezes sobre a vida pela morte do "grão de trigo" descrito em João 12:24. Porém é possível receber luz a respeito de todos esses aspectos da cruz e experimentar uma certa libertação através da verdade e mesmo assim não conhecer, bem lá no profundo do nosso ser, a retirada do EGO como centro em nossas vidas conforme o apóstolo coloca em 2 Coríntios 5:14. Em outras palavras, há mais profundo a ser tratado do que a morte para o "pecado” e para o "mundo". É o EGO, o EU. Será que a cruz já penetrou lá? É até a essa profundeza que precisamos chegar para trazer a cruz. Não há outro meio do Senhor
liberar os seus rios de água viva ou de sermos trazidos ao lugar de autoridade sobre o poder das trevas, porque o EU está envenenado em sua fonte pela natureza caída do primeiro Adão.
Irmãos e irmãs, esse é o sentido central da cruz. Agora é verdade que na cruz nosso Senhor Jesus carregou nossos pecados levando-os, pagando por eles. É verdade que na cruz nosso velho homem foi crucificado e que nós fomos libertos do poder do
pecado que habita em nós. Também é verdade que pela cruz fomos separados do mundo. O mundo irá olhar para nós como estando mortos e nós iremos olhar para o mundo como morto, é verdade. Porém é o EU, o EGO, que você precisa detestar. Não é algo fora de você. É a sua própria vida, você mesmo. O EU precisa ser crucificado na cruz. De outra maneira você não saberá o significado da cruz.
O Senhor ilustrou essa verdade com um grão de trigo. Sabemos que, em primeiro plano, Ele estava se referindo a si mesmo quando usou aquela parábola porque Ele foi o grão de trigo que caiu na terra e morreu. Mas o princípio dessa verdade se aplica a todos nós. Deus muitas vezes usa coisas naturais, coisas terrenas, para ilustrar coisas celestiais porque os princípios são os mesmos. Ele disse: "Um grão de trigo..." Quando você olha para o grão de trigo ele pode até ter uma casca muito bonita, mas aquela casca é dura. A vida do trigo está trancada dentro daquela casca e mesmo que você coloque o grão em cima de uma mesa e o deixe lá por cem anos, ele vai ficar lá sem mudar. A vida dentro daquela casca ainda estará vivendo, mas só haverá aquele grão vivendo sozinho lá. Para que ele se reproduza e multiplique o grão de trigo precisa cair na terra e ser enterrado nas trevas. A casca exterior irá se deteriorar e será destruída.
Porém, a vida começará a explodir para fora da terra e produzirá a cem, sessenta e trinta por um.
Agora é claro que isso se refere ao nosso Senhor Jesus porque antes de termos sido salvos nós éramos todos ervas daninhas. Não éramos nada.
Tínhamos aparência de trigo comestível, mas, na verdade, não éramos nada além de ervas daninhas. Mas graças a Deus que Jesus Cristo foi o primeiro grão de trigo. Ele desceu do céu para a terra e da terra para as regiões inferiores. Ele morreu, foi sepultado, mas ressuscitou e em ressurreição Ele deu vida para muitos de nós. Hoje temos aquela "vida do grão de trigo" dentro de nós. Temos vida eterna em nós. Temos a vida do Espírito em nós. Temos a vida de Deus em nós. Dentro de nós há vida - a vida do grão de trigo, a vida de Cristo, a vida espiritual está em nós, em nosso espírito, mas por fora dessa vida está a casca.
A Vida da Alma
O que é aquela casca? Aquela casca é a nossa alma. A vida do espírito está envolvida pela vida da alma. Dentro de nós há a vida do espírito, a vida de Cristo, vida eterna, vida abundante, plenitude de vida, mas que tem sido aprisionada pela vida da alma. Enquanto estiver aprisionada pela vida da alma, a vida do espírito não terá chance de explodir e gerar mais grãos. De uma coisa precisamos nos lembrar: não é a alma que morre, mas a vida da alma. Às vezes as pessoas pensam que precisamos deixar a alma morrer, mas a alma é um órgão criado por Deus, e é uma parte muito importante do homem porque o homem é chamado de alma vivente. A alma nos dá a nossa personalidade. Podemos pensar, sentir, decidir a respeito das coisas, podemos
raciocinar e escolher. Essas coisas representam nossa personalidade. Em outras palavras, a alma é a pessoa. Não é a alma que precisa ser destruída.
Não é a alma que precisa ser crucificada e jogada fora de maneira que você se tome uma pessoa desprovida de alma. Essa não é a vontade de Deus. É a vida da alma que morre.
O que é a vida da alma? A vida da alma é o EU – a natureza caída. O Senhor Jesus disse: "Quem quiser salvar sua vida perdê-la-á; quem perder a sua vida por minha causa, esse a salvará" (veja Lucas 9:24). A palavra vida lá é a mesma palavra para alma. É a vida da alma - o ego, Eu, o homem caído. Se você ama a sua vida da alma, você vai perdê-la. Se você tentar satisfazer ou realizar a sua vida da alma - seu ego, seu eu - então você irá perdê-la. Mas se você estiver disposto a perdê-la - como se você não fosse mais satisfaze-Ia, realizar-se nela - por amor de Cristo, você irá assim ganha-la para a eternidade.
Se alguém quer me servir, siga-me (João 12:26). Ele está nos chamando para seguir o caminho da cruz. Não é uma questão de ser liberto do poder do pecado; não é uma questão de apenas vencer as tentações que vêm de fora; mas é o morrer para nós mesmos. Talvez tenhamos experimentado o perdão, talvez tenhamos experimentado a separação, ou mesmo a libertação até um certo ponto, ou até vitória às vezes. Mas a menos que o ego seja colocado para morrer, a vida de Cristo não terá como fluir como rios de água viva Não é uma questão de estar morto para o pecado, é uma questão de estar morto para si mesmo, para o ego, o eu.
Quanto a cruz já trabalhou verdadeiramente em nossas vidas? Irmãos e irmãs, nosso problema mais profundo está aqui - não apenas individualmente mas como um corpo. Um dia, como Jó, teremos que dizer que abominamos a nós mesmos. Jó era um homem perfeito. Mesmo Deus pôde desafiar Satanás a respeito de Jó dizendo: " Observaste meu servo Jó?" (Jó 1 :8). Certamente que Satanás o tinha observado. Jó era um homem perfeito, justo e, contudo, o ego na vida dele era muito forte. Ele tinha justiça própria e esta justiça própria era muito forte nele. Todas as suas coisas poderiam ser levadas, todos os seus filhos poderiam ser retirados, sua esposa não podia tentá-lo, nem seus amigos podiam discutir com ele para derrotá-lo. Jó era pessoa tão perfeita, tão forte, com uma justiça própria tão grande, mas era do ego. Então Deus Se revelou a Jó e ele disse: "Eu te conhecia só de ouvir falar, mas agora os meus olhos Te vêem. Por isso, me abomino e me arrependo no pó e na cinza." (veja Jó 42: 5-6).
Irmãos e irmãs, se você possui um ego bonito, justo, você não irá se orgulhar de si mesmo? Você não pensa ser isto a vida? Porém, se esta não for vida de Cristo, você tem que morrer, caso contrário, não haverá esperança. Precisamos de uma revelação de Deus, a revelação de quem o EU é, do que somos, de nós mesmos. Precisamos de uma revelação a tal ponto que, ao olharmos para nós mesmos, nos assustemos, nos abominemos, nos odiemos. É só sob tal luz que estaremos dispostos a morrer diariamente. Como Paulo disse: "Para que possamos trazer em nosso corpo o morrer de Cristo para que a vida de Cristo possa estar nas pessoas". Isso é cruz.
O problema básico com os crentes hoje, especialmente com crentes querealmente estão procurando o Senhor é a questão do ego - aquele justo, perfeito e bom ego. Essa é a casca dura. Você nunca foi quebrado. Não houve nenhum barulho, não houve ferimentos, nenhuma cicatriz. Você é tão perfeito que nem mesmo Deus pode alcançar você. Talvez haja a vida de Deus em você, mas ela está aprisionada. Como precisamos da cruz trabalhando em nossas vidas. Essa vida da alma precisa ser perdida
por amor a Cristo.

A VIDA DA ALMA PRECISA SER TRATADA

Algumas pessoas são fortes no lado emocional de sua vida da alma. Outras pessoas têm o intelecto como lado forte e outras pessoas são muito fortes no lado volitivo da alma. Todo mundo é diferente. As combinações são todas diferentes. Agora, se você é forte na vida emocional, é lá que Deus vai querer tratar com você drasticamente. Se você é muito forte no lado intelectual, será lá que Deus irá trabalhar com você especialmente. Se você é forte no lado volitivo você precisa ser tratado nesse lado - até que aquele ego seja posto à morte, até que não seja mais você, mas Cristo vivendo em você.
Vida Emocional
Em Mateus, capítulo 10, o Senhor Jesus disse: "quem ama seu pai ou sua mãe mais do que a mim não é digno de mim; quem ama seu filho ou sua filha mais do que a mim não é digno de mim e quem ...quem amar sua vida perdê-la-á e quem perder a sua vida achá-la-á." (versículos 37-39). O amor por nossos pais, nossos irmãos, nossos filhos, nosso cônjuges ou nossa própria vida é natural. Em Romanos, capítulo I, um dos pecados listados lá era falta de afeição natural. Isso é um pecado. Se você não ama seus pais, seus irmãos, é pecado. Isso é falta de afeição natural. Mas aqui não tem nada a ver com o problema do pecado, mas é o tratamento com aquilo que é natural. O Senhor disse: "aquele que amar seu pai ou sua mãe mais do que a mim, não poderá ser meu discípulo". Nossa vida emocional precisa ser tratada. Se você ama aqueles que estão perto de você, seus íntimos, você tem satisfação em sua alma. Há uma realização para a sua alma. Você se sente feliz, você se sente completo. Mas, quando o chamado do Senhor e o chamado daqueles que lhe são próximos começam a entrar em conflito, vem a cruz; e é aí que você tem que amar o Senhor mais do que qualquer pessoa, qualquer relação.
Muitas vezes não podemos ir bem no caminho do Senhor porque nossa vida emocional ainda não foi tratada. Estamos presos por emoções humanas, relacionamentos humanos, e isso irá calar a vida de Cristo em nós. Isso tem que ser quebrado. Quer dizer com isso que não iremos mais amar nossos pais nem nosso irmãos? Não. Mas seremos libertos do amor egoísta e trazidos para o amor sem ego. Seremos libertos do amor natural para o amor espiritual e iremos amá-los ainda mais, com o amor de Deus.
Relações familiares, amizades, relacionamentos sociais, tudo isso que tem a ver com a vida emocional deverá ir para a cruz.
Vida Intelectual
Quando o Senhor Jesus começou a revelar que ele tinha que ir à cruz, morrer e ressuscitar no terceiro dia, Pedro na sua boa intenção chamou o Senhor à parte e disse:
"Tem compaixão de Ti. Cuida de Ti mesmo, não faça isso." E o Senhor disse: "Você me ofende porque não cogitas das coisas de Deus e sim da dos homens." (veja Mateus 16: 21-23). Nossa mente, nossa vida intelectual da alma tem que ser tratada. Nossa mente, desde o jardim do Éden tem sido enganada. Satanás construiu uma fortaleza em nossas mentes e como precisamos ser libertos dela. Pensamos que somos espertos, que sabemos tudo e a coisa mais difícil de levar à morte é a nossa opinião. Todos temos nossas opiniões e pensamos que a nossa opinião é a melhor. Ficamos muito ofendidos quando as pessoas desprezam ou negligenciam nossa opinião. Preferimos morrer a perder nossa opinião, mas ela precisa morrer.
Não significa que Deus não queira que tenhamos uma boa mente. Na verdade, Deus quer que tenhamos uma mente renovada e com uma mente renovada poderemos pensar mais claramente. Assim, se você quer pensar direito você precisa ter uma mente renovada, só então você poderá distinguir e ver o que é e o que não é de Deus. Deus quer que tenhamos uma boa mente, mas você não vai tê-la até que você leve aquela velha mente dominada pelo ego para a morte na cruz.
Vida Volitiva
O mesmo é verdade com relação à nossa vontade. Muitas pessoas são muito determinadas, você não as consegue emocioná-las. Não há razão que as possa tocar, nenhuma emoção pode tocá-las, nenhuma lágrima pode tocá-las. Elas são fortes como ferro. Contudo, não significa que Deus não queira que tenhamos vontade. Ele a criou. Na verdade, uma vontade passiva é algo muito perigoso. Mas Ele quer uma vontade que tenha sido quebrada, uma vontade que vá à cruz, uma vontade que seja capaz de querer a vontade de Deus - não a minha, mas seja feita a Sua vontade.
Irmãos e irmãs, vocês já foram tratados de tal forma? Todos os tratamentos anteriores tocam, de uma certa maneira, o seu exterior, mas, a menos que a sua vida da alma seja tratada - o ego, o eu, a cruz não terá sido implantada em você. Você ainda é você. O Senhor Jesus disse: "negue-se a si mesmo, tome sua cruz e siga-me". O que significa negar-se? Como podemos negar o ego? "Eu não te conheço", isso é negar o ego. Pedro negou, mas ele negou a pessoa errada. Ele deveria ter negado a si mesmo, mas ele negou Cristo. E é isso que temos feito todo esse tempo. Sabemos o que significa negar: "Eu não te conheço, eu não tenho obrigação de te seguir, de fazer tua vontade". Negar é uma questão de vontade. Quando somos constrangidos pelo amor de Cristo, então estamos dispostos a negar a nós mesmos. Quando somos deparados com a feiúra de nosso ego então estamos dispostos a negar a nós mesmos. Se você se enxerga bonito você nunca irá negar a si mesmo. Precisamos de revelação. Precisamos do amor de Cristo para nos constranger e fazer-nos dispostos a negar-nos a nós mesmos. Essa é uma questão para a nossa vontade e após termos vontade de negar-nos, o Senhor diz:
"tome sua cruz e siga-me. "
Irmãos e irmãs, você não precisa construir uma cruz para você mesmo nem para as outras pessoas. Quando você está disposto a negar-se a si mesmo, então o Espírito Santo irá providenciar cruzes para você carregar. Ele o fará. Ele providenciará situações
- talvez através de pessoas, de ambientes, de coisas, de acontecimentos. Ele irá providenciar as cruzes para você carregar, e todas essas cruzes terão um propósito:
colocar você na cruz. Esse é o único meio de os rios de água viva serem liberados de dentro de você e essa é a única maneira pela qual você conhecerá a autoridade de Cristo sobre todo o poder das trevas.
Finalmente, a cruz tem que trabalhar na questão da nossa força natural. Quantas vezes tentamos servir ao Senhor com nossa força natural. Precisamos ver que não é por força, nem por poder, mas por Seu Espírito (Zacarias 4:6). Esse é o caminho da cruz e não é apenas dar um pulo, um salto, mas é andando passo a passo. Precisamos andar o caminho da cruz porque esse caminho nos leva à glória.
Oremos:
Pai celestial, o Senhor nos mostrou o caminho da cruz, onde o ego deve ser crucificado. Senhor, que o Seu amor possa nos constranger de maneira que possamos estar dispostos a negar a nós mesmos, não confiar em nós mesmos. abominar nós mesmos, odiar nós mesmos, desejar ser liberto de nós mesmos, que possamos tomar nossa cruz e seguir ao Senhor. No nome de nosso Senhor Jesus. Amém.

Por Theodore Austin-Sparks

 

 

 

Devo contribuir?
Ao receber o Senhor Jesus Cristo como seu Salvador, uma das primeiras coisas que você irá aprender é que Deus é amor. Como resultado disto, você logo perceberá que o amor precisa de uma forma prática para se expressar. Você aprenderá que há uma relação entre amar e dar. Deus é um Deus que nos dá muitas coisas. Amar e dar estão intimamente ligados nas Escrituras. “O Filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim” (Gl 2:20), e “Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito” (Jo 3:16). Continuar Lendo...
Desenvolvido por Palavras do Evangelho.com