John MacCan (1914-2012)

John MacCan nasceu 15 de junho de 1914 no townland de Donegrayh. Seu pai morreu de repente, em 1930.
John foi salvo dois anos mais tarde em 26 fevereiro de 1932 (17 anos).



Mais tarde ele foi batizado e recebido na comunhão da igreja em Kilmore, Co. Armagh, na Irlanda do Norte. Ele tinha um profundo interesse nas escrituras desde o momento da conversão, e esforçou-se para ser de ajuda em todas as atividades da igreja. Se exercitava para saber o que o Senhor queria que fosse feito por Ele, e foi dirigido para as terras carente espiritualmente do Brasil.

Ele foi recomendado pela igreja em Kilmore em 1947. E navegou para o Brasil em março 1948 seguido por sua noiva, a senhorita Kathleen Boston. Casaram-se na embaixada britânica em São Paulo. Primeiramente moraram em São Paulo até que estivessem familiarizados com o idioma Português. Então, mudou-se para o sul do Brasil em outubro de 1950.

A princípio, não houve aparente resultado do seu trabalho naquele grande Estado.
Orando, começaram um trabalho em uma cidade italiana chamada Caxias do Sul. Fizeram muitos contatos, mas nada foi visto na época em Caixas. No entanto, o primeiro homem a ser salvo em Porto Alegre, quando John começou a trabalhar na cidade grande, em 1956, foi Antônio Pinto, a quem ele evangelizou em Caxias.

Mudaram-se para Osório em 1953, e foi lá que tiveram a alegria de ver os primeiros frutos no Rio Grande do Sul. Um jovem chamado Alécio foi alcançado e salvo. Este irmão ainda vive e está firme nas coisas de Deus.

John e Kathleen, em 2004, mudaram-se para diferentes lugares com o objetivo de espalhar o evangelho do Senhor Jesus Cristo. Eles foram verdadeiros pioneiros, e com o resultado deste trabalho, hoje há no Rio Grande do Sul muitas igrejas, e também no sul do Estado vizinho, em Santa Catarina.

Ele sempre falou do dia em que ele se sentiu sozinho e longe de casa, em Caxias. Sentou-se no pequeno parque central, e lembrou-se das palavras do Senhor Jesus antes da sua partida para o céu: "Eis que estou convosco todos os dias." Estas palavras o fortaleceram muito.

Mais detalhes sobre John...
John ouviu o falecido Sr. William Maxwell da Escócia contar suas experiências no Brasil, e suas palavras tocaram seu coração e convenceu-o que o Senhor estava chamando-o para este País. Em março de 1948, ele partiu para Santos com outros missionários da Inglaterra. Nessa época, houve a malária desenfreada em Santos. Quando o capitão descobriu que ele estava indo sem salário garantido e foi simplesmente confiado no Senhor para atenderem as suas necessidades, ele estava decidido a pedir-lhe para não desembarcar.

Cerca de 50 anos depois, John provou que não só o Senhor o tinha chamado, mas também que ele estava servindo a um Deus fiel, e que tinha suprido todas as suas necessidades.

Ele morou em Piracicaba-SP, onde se casou com Kathleen Boston na embaixada britânica. Então, mudou-se para Uberaba, onde ele rapidamente se tornou fluente em Português. John foi profundamente tocado pelo fato de que havia grandes Estados no Brasil em que não tinham chegado o Evangelho, então ele decidiu viajar até o Estado mais meridional do Brasil, o Rio Grande do Sul, com sua esposa e a filha Helen com dois anos de idade. Ele se estabeleceu em uma cidade chamada Caxias do Sul, onde nasceu seu filho Thomas.

Aqueles primeiros anos foram tempos difíceis. Eles estavam sozinhos e o trabalho era árduo. A princípio eles não viram muito fruto pelo trabalho feito. No entanto, John tinha um espírito pioneiro e foi consumido pela enormidade da tarefa. Isso o impulsionou a mudar-se para novos lugares. Ele pensava em estabelecer igrejas locais e depois deixá-las aos cuidados dos missionários mais novos que estavam chegando, enquanto ele iria insistir em novos lugares.
John ficou muitas vezes impressionado pelo fato de que havia cidades com milhares de pessoas que nunca tinham ouvido o evangelho.

O foco de conduta da sua vida sempre foi a grande comissão que Cristo estabeleceu para ele e sua devoção sacrificial ao seu mestre. Ele tinha um profundo amor pelo povo brasileiro e eles responderam a ele, vendo nele alguém que era sincero e genuíno e que estava disposto a dar a sua própria vida por eles. Em suas viagens, ao se encontrar com alguém doente ou desabrigado ele costumava trazê-los para casa. Ele era um estudioso da Bíblia, que estava mergulhada na Palavra de Deus.

Um de seus legados mais importantes é o trabalho agora crescente no Rio Grande e Santa Catarina, e a vinda de novos missionários.

Sabemos que John gostaria que você mantenha-os em suas orações, para pedir fruto ainda maior do que ele viu em seus muitos anos servindo ao Senhor no Brasil.


"Com a partida do Sr. John McCann para estar com Cristo, o povo de Deus aqui na Brasil sentiu a lacuna que nosso irmão deixou. É com profundos sentimentos partilhamos a dor da família e dos nossos irmãos em Cristo. Nós, aqui, nas áreas atingidas pela pobreza espiritual do Brasil, reconhecemos que nunca teríamos tomado conhecimento da grande verdade "que Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna" Se este ilustre filho da Irlanda do Norte, com sua falecida esposa, não tivesse vindo para o sul do Brasil com a mensagem do evangelho a fim de trabalhar para Deus, sofrer, chorar e amar os brasileiros, muitos dos brasileiros não estariam salvos hoje.
Que Deus ajude o seu povo aqui no Brasil a seguir o exemplo deste servo de Deus, para servir e amar o único Deus verdadeiro.”
Uma carta enviada do Brasil pelo irmão Sr. Carlos Adeni da Silva.

"O meu pai, Sr. John McCann, que serviu ao Senhor no Rio Grande do Sul, passou para a presença do Senhor no dia 9/3/2012 aos 98 anos de idade. Ele veio para o Brasil em 1948, juntamente com os casais de irmãos Jones e King e respectivas famílias que regressavam ao seu trabalho missionário. Ele passou algum tempo com a família Maxwell, em Uberaba-MG, e em Piracicaba-SP, com a família Jones. Posteriormente se mudou para o Rio Grande do Sul, onde permaneceu por 50 anos."
Sinceramente, Helen Lineen, filha.

Conferência em Porto Alegre em 2010.

Uma pequena amostra dos resultados deste homem de Deus em nosso País.

John & Kathlenn McCann
 
Procedentes da cidade de Uberaba, em Minas Gerais, chegaram em setembro de 1950, em Caxias do Sul, o Sr. João e dona Cataria McCann.
Apesar de virem daquele Estado brasileiro, não eram naturais dali, mas sim da IRLANDA DO NORTE.
Não vinham com a finalidade de enriquecerem, mas vinham, pelo contrário, com a finalidade de se gastarem, e se sacrificarem para ver ALMAS SALVAS no Sul do nosso País. 
Não havia nenhum conhecido para recebê-los, não havia nenhuma IGREJA DE DEUS no Rio Grande do Sul. Aqui ninguém sabia que podia ter a CERTEZA DA SALVAÇÃO. 
A prova de como vieram não para ganhar, mas para darem-se a si mesmos e se sacrificarem, se viu quando, após alguns meses da chegada do Sr. João a São Paulo, em 1948, a sua noiva, chegou sozinha da Irlanda para se casar com ele. A fé, a coragem e a certeza de estar fazendo a vontade de Deus, fez de dona Catarina, já na sua mocidade, aquele tipo de pessoa que até hoje conhecemos: decidida, incentivadora e resolvida em todos os aspectos da Obra de Deus em que pode cooperar. 
As constantes mudanças deles para levarem adiante a Obra de Deus, exigiu muito dela, sem dúvida, como esposa, mãe e também como conselheira em particular daquelas senhoras e moças, que com o passar dos anos e nos diversos lugares, iam se salvando.
A trajetória deles no Rio Grande do Sul, mostram MARCAS que com a BÊNÇÃO DE DEUS DURARÃO PARA A ETERNIDADE. Muitos que se salvaram através dos esforços deles já os estão esperando nos céus. Valeu a pena todo o sacrifício, pois já produziu e ainda produzirá resultado para a eternidade, tantas almas salvas do inferno. 
Além disto, nos diversos lugares, as igrejas reunidas somente ao Nome do Senhor Jesus Cristo são provas inequívocas, que o trabalho deles não foi em vão no Senhor. Que exemplo eles deixaram para aqueles que vieram depois deles, e para todos os salvos. 
Também os salões construídos são uma prova da fidelidade de Deus para com eles. 
Pois o Evangelho sempre eles o pregaram de graça.
Dos esforços feitos em Caxias do Sul, não vieram resultados imediatos, mas nem por isto eles desanimaram. Passados diversos anos puderam ver o Sr. Antônio Pinto Moreira, que tinha ouvido em Caxias, então morando em Porto Alegre, foi salvo, sendo a primeira pessoa salva em Porto Alegre.
Ainda em Caxias do Sul, em 1952, veio da Irlanda o Sr. Henrique e depois, em agosto de 1953 foram para a cidade de Osório. Ali em Osório, apesar das dificuldades de todo tipo, inclusive a indiferença do povo, um moço assistia firme, mas sem interesse no início. Deus operou, e este moço, se salvou após poucos meses ouvindo o Evangelho, sendo o primeiro crente no Rio Grande do Sul: seu nome é Alécio Freitas.
Algumas outras famílias que, pela graça de Deus, permanecem até hoje, foram resultado daqueles primeiros meses em Osório, e alguns como o falecido irmão Antônio José da Silva já partiram para estar com Cristo. 
A 1ª Igreja iniciou com 4 membros em Osório em dezembro de 1955.
 
Em 1955 se mudaram para Gravataí onde ficaram alguns meses. 
No mesmo ano vieram para Porto Alegre. 
Em 1957 encontraram o Sr. Telmo e família. E o trabalho prosseguiu em Porto Alegre Alegre, lembrando que ali eles colheram o fruto da semente semeada em Caxias do Sul em 1950: o Sr. Antônio Pinto Moreira, o primeiro crente em Porto Alegre.
Em julho de 1958 tinha chegado ao Brasil nosso falecido irmão Sr. Samuel Curran. 
Em 1960 ele se mudou para Osório, Sr. Henrique ficou em Porto Alegre e Sr. João se mudou para Rio Pardo. Pouco a pouco aumentava os trabalhadores nestas terras e também os campos conquistados para Deus. 
A 1ª conferência em Porto Alegre realizou-se em 1960.
No trabalho em Rio Pardo havia outro companheiro: Sr. Ronaldo Watterson. Depois este irmão se mudou para o estado de São Paulo.
 
Em 1963 já havia uma igreja local em Rio Pardo. Durante este período, no início da década de sessenta o Evangelho foi pregado também em Cachoeira do Sul e Caçapava do Sul, mas na época não houve o progresso esperado nestes lugares, mas agora, na década de noventa é que Deus graciosamente tem dado a nossos irmãos resultados nestes dois lugares.
Em 1963 se mudaram para Santa Cruz do Sul, onde na época também não viram resultado esperado, o qual apareceu com a mudança para lá de outro trabalhador que tinha chegado: Sr. Tomie Wesley.
Depois de Santa Cruz e antes da chegada de Wesley nos anos 70, Sr. João já tinha se mudado para Candelária e também Sr. Thomas e Sr. Wilfredo, já falecido, já tinham chegado e cooperavam com ele nestes diversos lugares.
Dia 7 de abril de 1991 formava-se a igreja em Cachoeira do Sul onde Sr. João morava. 
 
Das 8 cidades em que eles moraram, em 6 tem uma igreja local. Na sua última visita ao Brasil, eles não ficaram em Cachoeira do Sul.
 
Estes fatos foram relembrados, numa reunião especial para a comemoração dos - 50 ANOS DO TRABALHO DELES no Brasil. Esta reunião foi realizada no Salão Evangélico em Porto Alegre, no dia 28 de fevereiro de 1998 e no dia seguinte eles viajaram para a Irlanda do Norte, deixando-nos o exemplo para que não gastemos as nossas vidas naquilo que o fogo há de queimar, mas que trabalhemos à luz da eternidade.
Devo contribuir?
Ao receber o Senhor Jesus Cristo como seu Salvador, uma das primeiras coisas que você irá aprender é que Deus é amor. Como resultado disto, você logo perceberá que o amor precisa de uma forma prática para se expressar. Você aprenderá que há uma relação entre amar e dar. Deus é um Deus que nos dá muitas coisas. Amar e dar estão intimamente ligados nas Escrituras. “O Filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim” (Gl 2:20), e “Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito” (Jo 3:16). Continuar Lendo...
Desenvolvido por Palavras do Evangelho.com