Donald Ross Escreve Carta Para Sua Neta

 

"Mas ele foi ferido pelas nossas transgressões e moído pelas nossas iniquidades: o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados."
(Isaías 53:5)
 
 
Prezada Carolina,
Obrigado pela tua carta na qual perguntas como uma pessoa pode ser salva. Bem, neste mês de março completam cinquenta e oito anos que estou salvo e vou te contar como aconteceu. 
 
Era um menino bem comportado e lia a Bíblia. Tinha de ir às reuniões ainda que o lugar distava nove quilômetros da nossa casa. Meu pai insistia que assim eu fizesse, Fazia orações duas vezes ao dia. Isto fazia sem gosto, porém tinha medo que se não o fizesse viria um juízo divino sobre mim. Sabia perfeitamente que não era salvo porque percebia a santidade genuína de meus pais, algo que não havia na minha vida. Naquelas alturas eu não tinha sido despertado para compreender que era um pecador perdido a caminho para o inferno.
 
Em certa época de minha vida eu estava trabalhando uns quinze quilômetros de casa quando recebi uma carta de meu pai avisando que meu irmão, o Duncan, estava muito doente e em perigo de morrer. Fui para casa e vi meu irmão, deitado na cama e evidentemente em estado grave.
 
Naquela hora me ocorreu a seguinte pergunta:"Se fosse eu, aonde iria ao morrer?"
 
A resposta me veio na hora. "Se fosse eu, iria para o inferno e estaria perdido para sempre".
 
Na segunda-feira saí cedo de casa para caminhar até meu local de trabalho. Passando à beira duma lagoa, o pensamento que tive no sábado ao visitar meu irmão, surgiu outra vez, só com mais força: "O Duncan está morrendo, se fosse eu, iria para o inferno porque nunca nasci de novo" (João 3:3). A próxima pergunta era: "Por que não sou salvo? Não há um Salvador? Há, sim.
 
Então por que não sou salvo?
 
O Senhor Jesus não me salvaria?
 
Ele me salvaria, sim. Então tenho errado muito. Atendi a tudo na vida a não ser o mais importante".
 
Logo cheguei ao serviço, mas estava toda hora ponderando minha situação. "Não estou salvo. Estou indo para o Inferno.
 
Relaxei muito a respeito da minha salvação. Que rapaz insensato!" A minha preocupação continuou até que, caminhando no campo, me veio um pensamento tão forte: "Por que não posso me salvar agora mesmo?" De joelhos no brejo clamei a Deus por misericórdia. Levantei-me, mas não senti nenhum alivio. Senti-me perdido e sem recursos.
 
De repente, me lembrei das palavras do Senhor Jesus em João 18:8: "Se, pois me buscais a mim, deixai ir estes". Este versículo conduziu-me em pensamento para a Cruz. Aí podia entender que o Senhor Jesus deu a Sua vida em sacrifício por amor de mim.
 
Seu precioso sangue for derramado em meu lugar. A obra estava feita. Cristo morreu por meus pecados há mil e oitocentos anos.
 
Naquele momento eu confiei em Cristo; recebi-O; descansei Nele.
Tive certeza que estava salvo.
 
Donald Ross (1824-1903) nasceu na Escócia e servia a Deus na pregaçio do Evangelho, na sua pátria, como também nos Estados Unidos e no Canadá. Ele, junto com outros irmãos aprendeu como deve funcionar uma igreja conforme o Novo Testamento e foi usado por Deus para o estabelecimento de muitas igrejas destas emvárias partes do mundo. Nesta carta ele relata como foi salvo.
 
VENDO EU SANGUE, PASSAREI POR CIMA DE VÓS, E NÃO HAVERA ENTRE VÓS PRAGA DE MORTANDADE
 
Estas palavras podem parecer estranhas para certos leitores.
Foram tiradas de Êxodo 12: 13 onde encontramos a história da iibêitãçãô da morte do primogênito em Israei. Aquele capítulo tem sido chamado "O álbum  ilustrado da Redenção".
 
Este derramamento de sangue em Êxoclo 12 leva-nos a pensar no sacrifício do Senhor Jesus na cruz e no derramamento do Seu sangue. O termo indica uma vida sacrificada e ensina-nos como a morte do Senhor Jesus Cristo era uma morte expiat6ria, isto é, uma morte sofrida por amor dos outros, trazendo-Ihes a oferta de perdão e salvação. Uma religião que não dá valor ao precioso sangue de Cristo como base da salvação dos pecadores traz infinito prejuízo aos seus adeptos. Estudiosos e professores do século vinte e um desprezam e riem com sarcasmo dos que anunciam a salvação peio Sangue do senhor Jesus Cristo. Que futuro terrível os esperam no além se não se arrependerem!
 
Voltando para o derramamento do sangue do cordeiro em Êxodo 12 observamos que era o sangue - e somente o sangue - na verga e nas ombreiras da porta que garantia a salvação dos primogênitos de Israel naquela noite terrível. Não era o cordeiro vivo amarrado à porta, nem mesmo o sangue na bacia, mas o sangue aplicado pelo molho do hissopo.
 
FOI SOMENTE O SANGUE DO CORDEIRO DEVIDAMENTE APLICADO que salvou os primogênitos do juízo.
 
Não foram os seus sentimentos de alegria, nem as suas vestes de peregrinos que lhe deram certeza da salvação. Sua salvação repousava em algo infinitamente melhor do que estas coisas mutáveis. Eles tinham a garantia da salvação pela PALAVRA DO DEUS ETERNO, pois Ele havia dito: "Vendo eu sangue, passarei por cima de vós". Isto era o bastante. Eles estavam tão protegidos da espada destruidora do anjo como se estivessem já na terra de Canaã.
 
Como está a sua alma em relação a isso? Você já se refugiou debãixo do precioso sangüe de Cristo? Crê que o sangüe foi derramado por você e que Deus aceitou o sacrifício? Ele vê o sangue, conhece o seu valor e diz a todos que nele depositam a sua confiança "Passarei por cima de vós" isto é garantindo a isenção do juízo.
 
Se realmente O aceitou, você está seguro. Lance fora então, as dúvidas e viva no gozo da sua salvação.
 
"A este dão testemunho todos os profetas de que todos os que nele crêem receberão o perdão dos pecados pelo seu nome." 
(Atos 10:43)
 
Dificilmente um leitor precisa perguntar a quem se refere o "este" neste versículo. Os versículos anteriores explicam que a pessoa em pauta é "Jesus de Nazaré" que morreu, a Quem Deus "ressuscitou ...ao terceiro dia." Ele, e somente Ele pode conceder este perdão completo ao pecador.
 
É absolvição de toda a culpa: "Sendo, pois justificados pela fé, temos paz com Deus por nosso Senhor Jesus Cristo" (Romanos 5:1); é salvação eterna. Os profetas do velho testemunho com voz unida testemunham que Ele é o Único indicado por Deus para trazer perdão ao pecador que O receber.
 
ABRÃAO, o primeiro homem a ser chamado "profeta" previu a vinda do Senhor Jesus. A respeito disso o Senhor disse em João 8:56 "Abraão, vosso pai, exultou por ver o meu dia e viu-o e alegrou-se."
 
DAVI, que também era profeta (Atos 2:30) apresenta em grande detalhe os sofrimentos do Senhor Jesus Cristo na cruz em Salmo 22. Fala de Sua ressurreição em Salmo 16:10 e da Sua exaltação em Salmo 110 onde ainda chama o Salvador de "Meu Senhor" (v.l).
 
ISAÍAS, o grande profeta diz: "Todos nós andamos desgarrados como ovelhas; cada um se desviava pelo seu caminho: mas o Senhor fez cair sobre Ele a iniquidade de nós todos" (Isaías 53:6).
 
ZACARIAS, um dos últimos profetas do Antigo Testamento, fala duma fonte aberta "contra o pecado e contra a impureza" (Zacarias 13:1). Esta fonte logo leva-nos a pensar na morte do Senhor Jesus.
 
No mundo há muitas vozes que clamam por nossos ouvidos com conceitos variadíssimos de como podemos receber o perdão e a salvação, mas abrindo a Palavra de Deus, some-se toda a confusão. De voz unida, em todas as suas partes, apresenta o Senhor Jesus como quem pela Sua morte pode e deseja dar o perdão de Deus. Que o leitor não salvo O receba! 
 

 

Devo contribuir?
Ao receber o Senhor Jesus Cristo como seu Salvador, uma das primeiras coisas que você irá aprender é que Deus é amor. Como resultado disto, você logo perceberá que o amor precisa de uma forma prática para se expressar. Você aprenderá que há uma relação entre amar e dar. Deus é um Deus que nos dá muitas coisas. Amar e dar estão intimamente ligados nas Escrituras. “O Filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim” (Gl 2:20), e “Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito” (Jo 3:16). Continuar Lendo...
Desenvolvido por Palavras do Evangelho.com