Conversão de Hudson Taylor

Missionário na China 

 

Aconteceu num dia inesquecível da minha vida que tinha um feriado. Minha mãe não estava em casa, e de tarde procurei algum livro na biblioteca de meu pai que seria interessante para ler durante aquelas horas. Não encontrando nada de interessante virei o conteúdo duma caixa de folhetos e panfletos. Selecionei um folheto evangélico que me chamou a atenção com a intenção de ler apenas a primeira parte. Sabia que normalmente tais folhetos começassem com uma história para prender a atenção do leitor para na segunda parte aplicar a lição. Pretendia deixar esta última parte para mais alguém.

 

Eu não podia imaginar o que estava acontecendo com a minha mãe naquela hora. Ela estava visitando parentes num lugar uns 100 km distante. Ela se levantou da mesa após o almoço e sentiu uma grande preocupação pelo filho que ainda estava em seus pecados. Retirou-se para seu quarto e fechando a porta, se pôs de joelhos e continuou em oração um bom tempo até que de repente não podia mais continuar a interceder pela salvação do filho. Ela estranhou após ter sentido tanta liberdade. Desconfiou que a oração já tivesse sido atendida e logo a desconfiança se transformou na firme convicção de que Deus realmente tinha atendido sua oração e ainda de joelhos, certo de que o filho tinha se salvado àquela hora ela passou a louvar a Deus pela oração atendida.

 

Eu, nada sabendo de tudo isto, estava lendo o folheto quando deparei com a expressão "A obra consumado de Cristo".

 

Porque o autor usa esta expressão, ponderei?

Logo de imediato me lembrei das palavras do Senhor Jesus Cristo na cruz:

 

"Está consumado"

(João 19:30).

 

O que é que estava consumado?

O pagamento do preço do pecado.

A dívida do pecado foi saldada.

Daí me perguntei a mim mesmo: "Se a obra salvadora está consumada e a dívida paga, o que é que feita para mim fazer".

Nisto me veio a convicção tão abençoada que não havia nada mais a fazer a não ser me por de joelhos e aceitar este Salvador e Sua salvação. Senti que podia louvá-lo por toda a eternidade.

Tudo Cristo já tem feito e com perfeição; Deus, com isto satisfeito dá-nos salvação.

Quando a mãe voltou para casa quinze dias depois, eu fui ao encontro dela para transmitir-lhe as boas notícias. Mas para surpresa minha ela disse: "Eu sei, meu filho. Faz quinze dias que estou dando graças a Deus pela tua salvação". Daí a mãe me relatou a sua experiência naquela tarde que para sempre seria inesquecível tanto para ela como para mim.

 

UM PROBLEMA & UMA SOLUCÃO

 

Em qualquer momento do dia, quase todos nós deparamos com algum problema. Há problemas entre colegas, mal entendidos etc. Pode haver problemas no colégio, problemas financeiros e assim por diante. Não seria interessante se fosse possível ficar com um problema só?

A Bíblia descreve a vida dum homem que vivia na Síria há muitos anos. A passagem apresenta somente um problema na vida dele. Provavelmente ninguém entre nós trocaria nossos muitos problemas pelo deste homem. "E Naamã, chefe do exército do Rei da Síria, era um grande homem diante do seu senhor, e de muito respeito e era homem valoroso porém leproso ( 2 Reis 5:1).

Apesar de aparentar ter uma vida bem sucedida e feliz, tudo é comprometido por um fato triste; era leproso. O sucesso de sua carreira militar, o prestígio que gozava e seu desempenho dinâmico não podia compensá-lo pela humilhação e infelicidade de ser um leproso.

Naquela época poucas doenças eram tão temidas como esta. A lepra era incurável, desfigurava a pessoa e conduzia a uma vida a distancia sociedade.

 

UM PROBLEMA & UMA SOLUCÃO

 

Vida a distância da sociedade.

Talvez nossos muitos problemas parecem poucos quando comparados com este grande problema de Naamã. Mas Deus faz uso desta doença na Bíblia para ilustrar uma condição que todos temos desde a nascença. O pecado tem permeado nosso ser com consequências sérias. Assim como o leproso não pôde curar-se a si mesmo, nós, como pecadores não podemos salvar-nos a nós mesmos. A lepra afastava o sofredor dos limpos, e o pecado separará o pecador de Deus por toda a eternidade.

 

Lendo a história em 2 Reis 5, vemos que havia uma só solução para curar a lepra de Naamã. Na primeira instância ele recusava a cura indicada por Deus. Parece que preferia sofrer do que aceitar a solução divina. Assim também Deus preparou uma só maneira de se purificar do pecado. A aceitação de Cristo, O Salvador que padeceu pelo pecado na cruz e a maneira única que a Bíblia apresenta ao pecador que procura o perdão dos pecados.

 

A maioria dos problemas que nos preocupam não têm sequelas duradouras. Mas o problema do pecado conduz a consequências eternas. A lição que a história de Naamã nos ensina é que devemos tratar do assunto da nossa salvação antes que seja tarde demais. Apesar de todos os complexos problemas que enfrentamos nesta vida, podemos resumir todos eles numa palavra só. O problema principal: O PECADO. A solução única: CRISTO MORREU POR NOSSOS PECADOS.

Devo contribuir?
Ao receber o Senhor Jesus Cristo como seu Salvador, uma das primeiras coisas que você irá aprender é que Deus é amor. Como resultado disto, você logo perceberá que o amor precisa de uma forma prática para se expressar. Você aprenderá que há uma relação entre amar e dar. Deus é um Deus que nos dá muitas coisas. Amar e dar estão intimamente ligados nas Escrituras. “O Filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim” (Gl 2:20), e “Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito” (Jo 3:16). Continuar Lendo...
Desenvolvido por Palavras do Evangelho.com