BATISMO EM O NOME DE JESUS

 BATISMO EM O NOME DE JESUS”.

 

        Desde que a verdade da parte de Deus existe entre nós, o erro, como uma erva daninha, tem encontrado acolhimento no coração dos simples para germinar. E, o que nos chama a atenção é que, o erro e a heresia surgem justamente de uma aparente verdade. Homens que fazem prevalecer seus pensamentos, seus ideais, seus raciocínios; e assim afugentam e desprezam o Espírito da verdade, entregando-se ao espírito do erro.

      O apóstolo Pedro falando desses, disse: “... irmão tende por salvação a longanimidade de nosso Senhor, como também o nosso amado irmão Paulo vos escreveu, segundo a sabedoria que lhe foi dada, falando disto, como em todas as suas epístolas, entre as quais há pontos difíceis de entender, que os indoutos e inconstantes torcem e igualmente as outras Escrituras, para sua própria perdição”. (2 Pedro 3: 15-16)

    Quando a simplicidade da palavra de Deus é deixada de  lado, e homens maliciosos procuram introduzir as “profundezas de satanás” (Apocalipse 2: 24), ai nascem toda sorte de erro,  heresia, facção, carnalidade e locura que submergem os homens na pedição e ruína.

     Tendo em vista ajudar aqueles que amam a verdade, procurarei esclarecer uma falsa contradição na forma batismal ensinado pelo Senhor em Mateus 28:19, e a prática dos discípulos em Atos do Apóstolos.

     O nosso Senhor Jesus depois da sua morte e ressurreição disse a seus discípulos: “Portanto,  ide, ensinai todas as nações, batizando-as em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; ensinando-as  a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado; e eis que eu estou convosco todos os dias, até à consumação dos séculos. Amém!” (Mateus 28: 19-20). Em o livro dos Atos dos Apóstolo, vemos que as ocorrencias batismais, aparentemente, não são pronunciadas conforme a forma estabelecida pelo Senhor. Como podemos explicar isso.

     Primeiro, o mais simples: se houve alguma aparente contradição entre a prática dos apóstolos e a ordem clara do Senhor, é ao Senhor que devemos seguir. Obviamente não creio que haja alguma contradição, mas se há alguma dúvida na mente de algum  salvo, então a ordem clara do Senhor Jesus “batizando-as em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo”; deve ser suficiente para nós. 

    Mas,olhando mais de perto os vescículos que parecem apoiar a prática de batismo em nome de Jesus, veremos que a realidade é outra.

     Em Atos 10:48 lemos: “E mando que fossem batizados em nome do Senhor”. Isto quer dizer que Pedro, ao batiza-los dizia: “Eu vos batizo em nome do Senhor”, ou que Pedro está dizendo: “Eu mando, com a autoridade do Senhor Jesus, que vocês sejam batizados?” A segunda apção é, gramaticalmente,  tão aceitável quanto a primeira, e encaxa perfeitamente com Mateus 28:19.

     Em Atos 2:38, lemos: “E disse-lhes Pedro: Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo, para perdão dos pecados”. Novamente,  faz mais senido pensar que o nome do Senhor Jesus é mencionado aqui, não como representado a fórmula batismal, mas para desafiar estes judeus que, poucos dias antes, haviam cricificado esse mesmo Jesus.

    Convém destacar também que as preposições usadas nos três trechos são diferentes:

 1°- Mateus 28:19 “EIS”, que significa “em direção a”. “Batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo”.

 2°- Atos 2:38  “EPI”, que significa “por”. “Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado por causa do nome de Jesus Cristo”.

3°- Atos 10:48 “EN”, que significa “pelo”. “E mando que fossem batizados pelo nome do Senhor”. (Isto é, Mandou, pelo nome do Senhor, que fossem batizados).

      Em Atos 19:5, vemos que Apolo não foi batizado novamente, os doze também não foram. Jesus não recebeu outo batismo que o de João. O que se trata aqui, é que estes doze homens eram ignorantes do significado do batismo de João, no que respeito ao arrependimento, ao messianismo de Jesus, ao Espírito Santos. Por isto Paulo os batizou não tanto como de uma maneira real, no nome ou autoridade o Senhor Jesus, tal como Ele mesmo havia dito em Mateus 28:19, e tal como era o costume apostólico universal. O entendimento apropriado de “Jesus” incluia a todo o resto da tri-unidade (Pai, Filho e Espríto Santo). Em Atos dos Apóstolos capítulo 19, Lucas o escritor, não nos da ali uma fómula batismal, se não que simplesmente explica que estes homens tinham um objeto adequado de sua fé “Jesus”, e que agora foram realmete batizados.

      “Jesus”, este é o nome esencial no batismo cristão. Mas estas passagem em Atos do Apósotlos dão autoridade para o “ato batismal”, e não a “formula” empregada pelos apóstolos, e ensinada pelo nosso Senhor. “Portanto,  ide, ensinai todas as nações, batizando-as em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; ensinando-as  a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado; e eis que eu estou convosco todos os dias, até à consumação dos séculos. Amém!” (Mateus 28: 19-20). 

     “Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isso não vem de vós; é dom de Deus. Não vem das obras, para que ninguém se glorie.” (Efésis 2: 8-9)

 

 

 

Devo contribuir?
Ao receber o Senhor Jesus Cristo como seu Salvador, uma das primeiras coisas que você irá aprender é que Deus é amor. Como resultado disto, você logo perceberá que o amor precisa de uma forma prática para se expressar. Você aprenderá que há uma relação entre amar e dar. Deus é um Deus que nos dá muitas coisas. Amar e dar estão intimamente ligados nas Escrituras. “O Filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim” (Gl 2:20), e “Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito” (Jo 3:16). Continuar Lendo...
Desenvolvido por Palavras do Evangelho.com