A CASA DE DAVI E A CASA DE DEUS

 NÃO há nada em que a mesquinhez do coração humano se manifeste tão prontamente como na sua compreensão da graça divina. Somos muito inclinados para o legalismo por- que dá um lugar à personalidade e exalta-a. Porém é isto precisamente que Deus não pode permitir: « ... nenhuma carne será justificada diante d'Ele» (Rom. 3:20), é um decreto que nunca poderá ser revogado. Deus tem de ser tudo, fazer tudo, preencher tudo e dar tudo. Quando o salmista inquiriu, «Que darei ao Senhor por todos os benefícios que me tem feito?» (Salmo 116:13), fez, sem dúvida, uma interrogação piedosa, mas qual foi a res- posta? «tomarei o cálix da salvação». A maneira de «dar» alguma coisa ao Senhor é tomar abundantemente da Sua mão bondosa. Ser-se agradecido, como recipiente da graça, é o modo de glorificar a Deus muito mais do que tudo que Lhe possamos dar.

O evangelho da graça de Deus põe o homem inteiramente de parte como um ser arruinado, culpado, e perdido: um ente que, quando entregue a si mesmo, nada pode fazer senão estragar tudo e agir em oposição a todos os planos de bênção que Deus tem delineado a seu favor. Por isso Deus tem de ser o executante no plano da redenção. A re- denção foi planeada pela Sua graça, e de acordo com os Seus desígnios, muito antes que o mundo existisse; e reali- zada pelo Seu poder irresistível mediante o sacrifício de Cristo oferecido uma VEZ para sempre (Hab. 10:10); e é somente pelo Seu Espírito Eterno que o pecador, morta em pecados, pode ser vivificado e crer as boas novas que ela comporta. Perante isto, o homem tem de ficar mudo, tanto quanto se refere à sua própria justiça, sem excluir a sua jactância, pois o pecador não pode vangloriar-se numa esfera da qual ele é expulso para todos os efeitos, e onde só pode estar corno indigno e necessitado. Quão felizes somos nós por sermos os objetos de urna tal graça, que apaga os nossos pecados, deixa a nossa consciência em descanso, e santifica todas as afeições do nosso coração! Bendita seja para todo o sempre a fonte de onde e pela qual corre esta graça salvadora para pecadores que só mereciam o inferno! O capítulo 7 do 2 Livro de Samuel está cheio do ensino do grande princípio da graça: o Senhor tinha feito muito pelo Seu servo David; tirara-o de um lugar de extrema obscuridade e elevara-o a uma posição excessivamente ele- vada, e David compreendeu isto e 'pôde olhar à sua volta e meditar nas misericórdias que, com profusão, pavimenta- vam, por assim dizer, o seu caminho. «E sucedeu que, estando o rei David em sua casa, e que o Senhor lhe tinha dado descanso de todos os seus inimigos em redor: disse o rei ao profeta Natan: Ora olha, eu moro em casa de cedros, e a arca de Deus mora dentro de cortinas». Notem-se as palavras: «estando o rei David em sua casa». Ele achava-se rodeado de boas circunstâncias e pensou que era preciso fazer alguma coisa para Deus; mas infelizmente estava enganado na idéia de edificar urna casa para o Senhor. A arca morava, sem dúvida, dentro de cortinas, porque ainda não era chegado o tempo de encontrar um lugar de repouso. Deus havia estado sempre na mais plena compaixão com o Seu amado povo.         LER MAIS...

 

 

 

 

 

 

 

Devo contribuir?
Ao receber o Senhor Jesus Cristo como seu Salvador, uma das primeiras coisas que você irá aprender é que Deus é amor. Como resultado disto, você logo perceberá que o amor precisa de uma forma prática para se expressar. Você aprenderá que há uma relação entre amar e dar. Deus é um Deus que nos dá muitas coisas. Amar e dar estão intimamente ligados nas Escrituras. “O Filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim” (Gl 2:20), e “Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito” (Jo 3:16). Continuar Lendo...
Desenvolvido por Palavras do Evangelho.com